A Parábola dos Solos | Mt 13:1-23

A Parábola dos Solos | Mt 13:1-23

Introdução:

Como podemos nos preparar para estudar a Bíblia? Um jeito é se livrando de tudo que pode atrapalhar nosso entendimento da Palavra de Deus. Em Esdras 7:10 está escrito que Esdras “tinha decidido estudar a lei do Senhor, obedecer a ela e ensinar seus decretos e estatutos ao povo de Israel”. Na ARC, ele “preparou o seu coração”.

Na Bíblia, o coração se refere, muitas vezes, à nossa mente, vontade e emoções. É a essência de quem somos. Provérbios 4:23 diz:

Acima de todas as coisas, guarde seu coração, pois ele dirige o rumo de sua vida. (Pv 4:23)

Nosso coração influencia nosso trabalho, família, amizades e nossa conexão com Deus e a Sua Palavra. Em Mateus 13:1-23, Cristo exemplifica isso na Parábola dos Solos. Ele descreve a Palavra de Deus sendo plantada no “solo” de quatro corações diferentes – o solo à beira do caminho, o solo rochoso, o solo espinhoso e o bom solo. Apenas o bom solo gerava frutos duradouros. Assim, também nós, como agricultores, precisamos perceber o solo do nosso coração e prepará-lo para receber a Palavra de Deus e produzir frutos.

Nesse contexto, vamos analisar seis empecilhos ao estudo das Escrituras, que vão nos ajudar a preparar o solo do nosso coração para que ele produza o máximo de frutos.

Obstáculo 1: Coração que não se arrepende.

Tiago 1:21 nos diz:

Portanto, removam toda impureza e maldade e aceitem humildemente a palavra que lhes foi implantada no coração, pois ela tem poder para salvá-los. (Tg 1:21)

É interessante notar que o conselho de Tiago para abandonar o pecado indica que a Palavra de Deus já estava no coração dos ouvintes, mas não estava sendo eficaz. Para que a Palavra pudesse transformá-los, eles precisavam abandonar o pecado. O pecado interfere na nossa capacidade de realmente receber a Palavra de Deus.

Pedro falou algo parecido:

1Portanto, livrem-se de toda maldade, todo engano, toda hipocrisia, toda inveja e todo tipo de difamação. 2Como bebês recém-nascidos, desejem intensamente o puro leite espiritual, para que, por meio dele, cresçam e experimentem plenamente a salvação, (1 Pedro 2:1-2).

Como Pedro chama os crentes para abandonar o pecado antes de instruí-los a “ansiarem” ou “desejarem” pela Palavra de Deus, fica implícito que o pecado não só nos impede de realmente receber a Palavra de Deus, mas também de desejar por ela. Muitos crentes têm dificuldade com seu apetite pela Palavra de Deus porque se deleitam com o pecado e com o mundo. Da mesma forma, em 1 João 2:15, João disse:

15Não amem este mundo, nem as coisas que ele oferece, pois, quando amam o mundo, o amor do Pai não está em vocês. (1 João 2:15)

Existe um princípio que rege o sistema mundial que afasta as pessoas de Deus. Ele busca satisfazer as pessoas à parte de Deus, e é totalmente contrário a Ele.

Pense nesse ditado:

“A Palavra de Deus vai te proteger do pecado, ou o pecado vai te afastar da Palavra de Deus”.

(autor desconhecido)

Como as pessoas se relacionam com a Palavra de Deus é muitas vezes um indicativo de como elas se relacionam com o pecado. Uma vida caracterizada pela ausência na igreja ou em pequenos grupos (onde a Palavra de Deus é ensinada), ou por não ler a Palavra de Deus, levará as pessoas ao pecado. Quando as pessoas estão vivendo em pecado ou sendo atraídas por ele, elas frequentemente param de frequentar lugares ou fazer coisas onde ouviriam a Palavra de Deus. O pecado é um obstáculo para estudar a Palavra de Deus.

Obstáculo 2: Coração sem compromisso

Quando Cristo falou sobre o solo rochoso, na parábola dos solos, em Mateus 13:20-21:

A pessoa que ouve a palavra e imediatamente a recebe com alegria, é como a semente plantada em solo rochoso. Mas essa pessoa não cria raízes profundas e não resiste quando as dificuldades ou perseguições aparecem por causa da palavra. Quando isso acontece, ela rapidamente desiste

Esse tipo de solo é uma metáfora para pessoas que ouvem a mensagem da Bíblia na igreja, em grupos pequenos, na leitura pessoal ou de outras formas, e a recebem com alegria. No entanto, a lealdade delas à mensagem não dura muito. Quando as dificuldades ou perseguições chegam, elas rapidamente desistem. O solo do coração delas é raso e o compromisso é fraco; por isso, elas não continuam seguindo a mensagem da Bíblia e muitas acabam se afastando de Deus.

Isso é o que chamamos de coração descompromissado. Pessoas com um coração descompromissado podem até parecer que estão vivendo uma vida que honra e prioriza a Deus. Elas podem estudar a Bíblia, frequentar a igreja e participar de grupos pequenos regularmente, mas não produzem frutos duradouros por causa da falta de comprometimento. Elas querem Deus e Sua palavra enquanto as coisas estão indo bem, enquanto Deus está lhes abençoando; mas quando as coisas dão errado, elas deixam de ler a Bíblia, de ir à igreja e de obedecer a Deus. Elas podem até ficar com raiva de Deus e negá-lo completamente.

Então, como saber se temos um coração descompromissado? É só observar como reagimos às dificuldades. Se sempre nos irritamos com Deus e fugimos Dele nas provações, em vez de procurá-Lo, temos um coração descompromissado, e isso afeta negativamente nossa capacidade de receber a palavra de Deus.

Pense na nossa reação normal a alguém que não é comprometido ou confiável: a gente confiaria nossos segredos mais profundos a essa pessoa, ou daria a ela uma tarefa importante? Não, não faríamos isso, porque provavelmente essa pessoa seria infiel com isso. Podemos ter certeza de que Deus também não confia a revelação de Sua palavra a alguém que não é comprometido ou confiável.

Salmos 25:14 diz:

4O Senhor é amigo dos que o temem; ele lhes ensina sua aliança. (Salmos 25:14)

Deus revela sua Palavra aos seus amigos, àqueeles que são leais e não aos descompromissados. Corações rasos só recebem revelação rasa. Conforme se tornam fiéis com pouco, Deus lhes dará mais (cf. Lc 16,10).

Quando são infiéis com pouco, Deus tira até o que eles têm (cf. Mateus 13:12). O coração sem compromisso é um obstáculo para estudar a Palavra de Deus.

Obstáculo 3: Coração que se preocupa demais

Em Mateus 13:22, Cristo fala sobre um tipo de coração que é como um terreno cheio de espinhos. Esse tipo de coração está sempre preocupado com a vida, e isso impede que a mensagem de Deus dê frutos. Cristo diz que quem é assim ouve a palavra de Deus, mas as ansiedades da vida sufocam a palavra, e ela não consegue frutificar.

A Bíblia está sempre nos dizendo: “Não tenha medo”, “Não se preocupe” e “Não fique ansioso”. Por que será? Porque quando nos preocupamos, estamos basicamente dizendo a Deus: “Eu não confio em você” ou “Você não está no controle”. Mas a Bíblia nos garante que Deus está no controle de tudo e que ele está sempre trabalhando para o nosso bem. Então, precisamos confiar nele.

Se pensarmos em nossos relacionamentos humanos, vamos ver que quando não confiamos em alguém, isso afeta o que estamos dispostos a dar ou receber dessa pessoa. O mesmo acontece com Deus. Como podemos esperar que ele nos ensine se não confiamos nele? Um dos principais ensinamentos da Bíblia é que precisamos confiar em Deus. Isso vale tanto para a nossa salvação quanto para recebermos as promessas de Deus.

Em Marcos 9:23, Cristo diz: “Tudo é possível ao que crê”. Então, se deixamos o medo tomar conta, isso atrapalha nossa capacidade de receber as promessas de Deus e sua palavra.

A verdade é que muita gente dedica tempo para ler a Bíblia, mas a palavra de Deus não faz efeito em suas vidas por causa da preocupação. Elas estão sempre preocupadas com o futuro, com o passado, com os relacionamentos e com tudo mais. Essa preocupação acaba sufocando a palavra de Deus e a torna infrutífera.

Então, se queremos preparar nosso coração para estudar a palavra de Deus, temos que decidir não nos preocupar, mas sim orar, agradecer a Deus e confiar nele.

Filipenses 4:6-7 diz:

6Não vivam preocupados com coisa alguma; em vez disso, orem a Deus pedindo aquilo de que precisam e agradecendo-lhe por tudo que ele já fez. 7Então vocês experimentarão a paz de Deus, que excede todo entendimento e que guardará seu coração e sua mente em Cristo Jesus. (Filipenses 4:6-7)

E 1 Tessalonicenses 5:16-18 diz:

16Estejam sempre alegres. 17Nunca deixem de orar. 18Sejam gratos em todas as circunstâncias, pois essa é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus. (1 Tessalonicenses 5:16-18)

Obstáculo 4: Coração materialista.

Quando Cristo falou sobre a terra cheia de espinhos que não deu frutos, Ele mencionou não só a preocupação, mas também a ilusão da riqueza como um obstáculo. Em Mateus 13:22, Ele diz que a pessoa que ouve a palavra, mas se deixa enganar pela riqueza, sufoca a palavra, e ela não dá frutos.

Essa parece ser uma das tentações que fez com que Eva desobedecesse a Palavra de Deus. Mesmo tendo tudo, Eva foi seduzida pelo que não podia ter: o fruto da árvore proibida. Ela olhou, desejou e comeu, desobedecendo a Palavra de Deus.

Desde então, a ilusão da riqueza, ou materialismo, tem sido um grande obstáculo para estudar e obedecer à Palavra de Deus. Cristo deixa claro que não dá para servir a dois senhores, Deus ou o Dinheiro. Ou amamos um e odiamos o outro. Ele também fala sobre como é difícil para alguém rico entrar no céu. Muitas vezes, somos iludidos pela riqueza, pensando que ela vai nos satisfazer completamente, e por isso a buscamos mais do que buscamos a Deus. Paulo diz a Timóteo que muitos se machucaram por amar demais a riqueza e alguns até deixaram a fé de lado.

Por isso, se queremos preparar nosso coração para estudar a Palavra de Deus, precisamos nos proteger contra o materialismo. Não podemos amar coisas mais do que Deus e as pessoas. É fácil deixar que dinheiro, roupas, carros e eletrônicos se tornem nossos ídolos, atrapalhando nosso amor pela Palavra de Deus e nossa vontade de obedecê-la.

Como podemos proteger nossos corações do materialismo? Precisamos ser obedientes a Deus. Cristo ensina que não devemos acumular tesouros na terra, pois são temporários e podem consumir nossos corações. Devemos acumular tesouros no céu, que são eternos. Paulo também diz que precisamos ter cuidado para não nos prendermos às coisas deste mundo. Precisamos usar as coisas, mas não podemos nos deixar envolver por elas. Às vezes, isso pode significar não adquiri-las, doá-las ou simplesmente ser disciplinado com elas. Também precisamos praticar o contentamento. Paulo diz que se temos o que comer e onde morar, devemos estar contentes. O contentamento é uma disciplina espiritual que precisamos aprender e praticar. Muitas vezes, começa simplesmente com agradecer a Deus pelo que temos e escolher não buscar mais do que temos.

Você tem um coração materialista? Cristo disse que só podemos ter um mestre: Deus ou dinheiro. Vamos amar um e odiar o outro. Para estudar a Palavra de Deus, precisamos amar a Deus e estar atentos ao materialismo, que pode sufocar a Palavra de Deus e torná-la ineficaz.

Obstáculo 5: Coração ocupado demais.

Um obstáculo comum que impede muitas pessoas de conhecer e receber a Palavra de Deus é simplesmente estar muito ocupado. Isso é bem ilustrado na história de Maria e Marta em Lucas 10. Jesus visitou a casa delas e enquanto estava lá, ele estava compartilhando a Palavra de Deus com os discípulos. Maria sentou-se com eles e escutou tudo, enquanto Marta estava super ocupada tentando ser a anfitriã perfeita. No final, Marta reclamou com Jesus e pediu a ele para dizer a Maria para ajudá-la. Jesus respondeu: (Lucas 10:41-42).

“Marta, Marta, você se preocupa e se inquieta com todos esses detalhes. 42Apenas uma coisa é necessária. Quanto a Maria, ela fez a escolha certa, e ninguém tomará isso dela”. (Lucas 10:41-42).

Da mesma forma, muitas pessoas não estudam as Escrituras simplesmente porque estão muito ocupadas. Frequentemente, o que as afasta do estudo da Palavra de Deus não são coisas ruins; podem ser coisas boas, como escola, trabalho, família ou hobbies. No entanto, muitas vezes o inimigo do melhor não é o pior, mas o bom. É por isso que Paulo orou pelos filipenses:

9Oro para que o amor de vocês transborde cada vez mais e que continuem a crescer em conhecimento e discernimento. 10Quero que compreendam o que é verdadeiramente importante, para que vivam de modo puro e sem culpa até o dia em que Cristo voltar. 11Que vocês sejam sempre cheios do fruto da justiça, que vem por meio de Jesus Cristo, para a glória e o louvor de Deus. (Filipenses 1:9-11)

Como pessoas criadas à imagem de Deus, temos uma grande capacidade de amar; No entanto, nosso amor deve ser sábio. Precisamos ser capazes de discernir o que é melhor para que possamos ser santos, fecundos e trazer a máxima glória a Deus.

A ocupação está impedindo você de estudar a Palavra de Deus e receber todos os benefícios que vêm dela, incluindo a fecundidade? Cuidado com o obstáculo de ter um coração ocupado.

Obstáculo 6: Coração que se apega demais a um grupo ou denominação.

O coração “de torcida” ou “da galera” é quando a gente coloca um líder, igreja ou grupo em um pedestal tão alto que fica difícil entender e seguir as Escrituras corretamente. Esse jeito de pensar já tava dando dor de cabeça na igreja desde o começo, e até antes dela ser formada. Em 1 Coríntios 3:1-5, Paulo deu uma bronca nos Coríntios por eles estarem exaltando demais seus mestres.

Esse mesmo jeito é mostrado por Josué na sua admiração por Moisés. Em Números 11:28-29, dois caras estavam profetizando no acampamento israelita e Josué falou:

28“Moisés, meu senhor, faça-os parar!”. 29Moisés, porém, respondeu: “Você está com ciúmes por mim? Que bom seria se todos do povo do Senhor fossem profetas e se o Senhor colocasse seu Espírito sobre todos eles!”.

Da mesma forma, a gente tem um jeito de dividir tudo em grupos em volta de grandes líderes, igrejas e grupos e ficar com ciúmes para proteger eles, mesmo quando eles podem estar errados. Quando a gente admira demais eles, a gente pode ficar cego para os erros deles. Nossa idolatria atrapalha a gente de entender e aplicar a Palavra de Deus direito.

Deus usa grandes mestres e líderes para ajudar a gente a crescer, mas a gente tem que lembrar que eles também erram — inclusive na hora de interpretar as Escrituras. Isso também vale para igrejas e grupos. Ninguém tem a receita certa da verdade. Dito isso, a gente deve deixar Deus usar nossos professores, igrejas e grupos para ajudar a gente a aprender a verdade. Porém, a gente deve, como os bereanos, conferir tudo o que foi ensinado (e praticado) comparando com a Palavra de Deus (Atos 17:11), ficando com o que é bom e descartando o que é ruim.

Como aplicação, a gente deve sempre ir para as Escrituras com o coração e a mente abertos — tentando entender honestamente o que as Escrituras dizem, mesmo que seja diferente do que a gente aprendeu ou aceitou antes. A gente deve reconhecer que só a Palavra de Deus é infalível — não a gente mesmo, nossa cultura, grandes líderes, igrejas ou grupos.

Conclusão

Assim como Esdras se dedicou para estudar as Escrituras, temos que fazer o mesmo. Precisamos eliminar tudo que possa ser um obstáculo para a gente estudar e obedecer as Escrituras. Provérbios 4:23 nos lembra que devemos cuidar bem dos nossos corações, pois é deles que vêm nossas decisões e atitudes. Precisamos estar super atentos a obstáculos do tipo:

  1. Coração que não se arrepende.
  2. Coração sem compromisso.
  3. Coração que se preocupa demais.
  4. Coração materialista.
  5. Coração ocupado demais.
  6. Coração que se apega demais a um grupo ou denominação.

Reflexão

  1. Qual obstáculo chamou mais a sua atenção na leitura e por quê?
  2. Você já percebeu como a Bíblia pode te proteger do pecado ou como o pecado pode te afastar da Bíblia?
  3. Por que se preocupar tanto atrapalha nosso entendimento e obediência à Palavra de Deus? Como você lida com a preocupação? Como podemos evitar esse obstáculo?
  4. Como a correria do dia a dia pode ser um obstáculo para entender e obedecer à Palavra de Deus? Como podemos driblar isso?
  5. Você já se deparou com um coração muito apegado a um grupo ou denominação? Qual seria a solução para essa tendência não muito legal?
  6. Quais outras perguntas você tem ou aplicações você tirou da leitura?
Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.