Tertuliano de Cartago: “pai da Teologia Latina”

Tertuliano de Cartago: “pai da Teologia Latina”

  • Para conhecer mais personagens da fé cristã, clique aqui.

Tertuliano foi um apologista cristão, teólogo e moralista do início do cristianismo de Cartago, no norte da África. Zeloso e articulado, Tertuliano era altamente educado nas áreas de direito, retórica, literatura, grego e latim. Suas obras tiveram um impacto significativo na igreja primitiva, dando forma e definição à teologia cristã ocidental, e sua influência ainda ressoa até hoje. Como o primeiro grande teólogo a produzir extensa literatura cristã em latim, Tertuliano ganhou o título de “Pai da Teologia Latina”.

Dados Rápidos: Tertuliano

  • Também Conhecido Como: Quinto Sétimo Floreno Tertuliano
  • Conhecido Por: Prolífico escritor cristão que produziu as primeiras obras doutrinais formais do cristianismo ocidental
  • Nascimento: A data exata de seu nascimento é desconhecida; provavelmente em Cártago (hoje Tunísia), Norte da África entre 145-160 d.C.
  • Falecimento: Após 220 d.C. em Cártago (hoje Tunísia), Norte da África
  • Obras Publicadas: Ad Nationes, Apologeticum, Ad Martyras, Adversus Hermogenem, Adversus Marcionem, De Carne Christi, De Resurrectione Carnis, e muitas outras*.*
  • Citação Notável: “O sangue dos mártires é a semente da igreja.”

Primeiros anos

Tertuliano nasceu em Cartago, uma província romana no norte da África, que agora é a Tunísia. Historiadores situam a data de seu nascimento entre 145 e 160 d.C. Nesse período da história, Cartago era um importante centro cultural e educacional, segundo apenas a Roma. Tertuliano recebeu uma educação superior em disciplinas como direito, retórica, filosofia, literatura, gramática, grego e latim.

Além do que pode ser inferido de seus próprios escritos, a vida inicial de Tertuliano é pouco documentada. Seus pais eram gentios e seu pai talvez tenha sido um centurião romano. Por volta dos 20 anos, Tertuliano se mudou para Roma para continuar seus estudos. É provável que ele tenha praticado direito em Roma por algum tempo. Além disso, enquanto estava em Roma, Tertuliano foi profundamente abalado ao testemunhar a brutal perseguição e martírio de cristãos, o que provavelmente preparou o terreno para sua conversão ao cristianismo.

Devoção radical

No final do segundo século, Tertuliano retornou a Cartago, onde residiu até sua morte. Por volta dos 30 anos, Tertuliano passou por uma mudança radical quando se converteu a Jesus Cristo. Ele se casou com uma mulher cristã e, após a morte dela, permaneceu viúvo.

Como crente, Tertuliano se dedicou ao estudo das Escrituras. Logo ele se destacou como professor na igreja de Cartago e começou a escrever extensivamente em defesa das crenças e práticas cristãs. Um estudioso do quarto século, Jerônimo, afirmou que Tertuliano era um sacerdote ordenado, mas essa ideia tem sido contestada pela pesquisa atual.

Por meio de um compromisso inabalável com sua fé e com a verdade, Tertuliano ficou descontente com o que percebia como negligência na igreja ortodoxa. Eventualmente, ele deixou a igreja em Cartago e se juntou a um movimento separatista recém-formado conhecido como Montanismo. O grupo, com sua rígida aderência à moralidade, atraiu Tertuliano. Em sua maior parte, a seita estava livre de influências heréticas, mas mesmo os montanistas não eram suficientemente rigorosos para Tertuliano. Com o tempo, ele rompeu com eles e formou seu próprio grupo dissidente chamado Tertulianistas. Os Tertulianistas permaneceram ativos na África até algum momento do quinto século, quando se reuniram à igreja em Cartago. Apesar das ideias rígidas de Tertuliano sobre a vida da igreja, ele permaneceu doutrinariamente correto até sua morte.

Defendendo a Fé

Não muito depois de sua conversão, Tertuliano começou a produzir uma quantidade copiosa de escritos cristãos centrados em três áreas: apologética, dogma e moralidade. Muitas dessas obras literárias estão em latim e ainda existem até hoje. Dois de seus trabalhos iniciais mais notáveis foram Ad Nationes, um ensaio sobre a injustiça da perseguição romana aos primeiros cristãos, e Apologeticum, uma defesa polida da liberdade religiosa e da fé cristã.

Com um forte senso de verdade, Tertuliano atacou as heresias de seu tempo e frequentemente abordou os problemas teológicos de oponentes específicos. Por exemplo, em Adversus Hermogenem (“Contra Hermógenes”), Tertuliano refutou as ideias de um pintor cartaginês local que acreditava que Deus formou a criação a partir de matéria pré-existente.

O estilo de escrita de Tertuliano empregava um humor mordaz e uma força confrontacional sem igual entre as autoridades cristãs primitivas. Como advogado, Tertuliano reconhecia o valor da razão humana na defesa das doutrinas da fé cristã. Em Adversus Marcionem, Tertuliano escreveu: “Todas as propriedades de Deus devem ser tão racionais quanto naturais… nada mais pode ser considerado propriamente bom do que aquilo que é racionalmente bom; muito menos a bondade em si pode ser defeituosa em qualquer irracionalidade”.

Tertuliano escreveu para a igreja sobre doutrinas como a ressurreição (De resurrectione carnis), o batismo (De Baptismo) e a alma (De anima). Ele escreveu para ajudar os crentes a lidar com problemas cotidianos, como como se vestir de forma modesta como mulher (De cultu feminarum), sobre casamento e novo casamento (De exhortatione castitatis), sobre as artes (De spectaculis), idolatria (De idolatria) e arrependimento (De poenitentia).

Tertuliano acreditava que o conflito entre o cristianismo e a sociedade pagã era inevitável, levando à perseguição. Em De fuga in persecutione, Tertuliano encorajou os cristãos que enfrentavam perseguição a imitar Cristo e aceitar o martírio. Tertuliano também escreveu devocionais e ensinamentos sobre a oração (De oratione).

Um Legado Misto

A dedicação de Tertuliano à sua fé é melhor percebida em sua abundante produção de obras literárias, muitas das quais são preservadas até hoje. Frases cristãs familiares — incluindo “Deus abençoe”, “Deus conceda” e “Se Deus quiser” — originaram-se da pena de Tertuliano. Ele também foi o primeiro escritor em latim conhecido por usar o termo Trindade.

Quando Tertuliano se desviou da ortodoxia católica em direção ao montanismo, ele perdeu o favor da maioria dos estudiosos antigos e da igreja. No entanto, os acadêmicos de hoje estimam Tertuliano como uma das figuras mais influentes e brilhantes da história da igreja. Suas obras delineiam muitas das doutrinas centrais do cristianismo em seu estágio inicial de desenvolvimento. Por exemplo, Tertuliano escreveu sobre a Trindade como três pessoas em uma substância; sobre a natureza plenamente divina e plenamente humana de Cristo; sobre a queda do homem e o pecado original; e sobre o nascimento virginal de Jesus Cristo. As ideias de Tertuliano tiveram um impacto direto em homens como Atanásio e Agostinho, bem como em outros pais da igreja e nos concílios que eles influenciaram.

De acordo com a tradição da igreja, Tertuliano viveu até uma idade avançada. Suas últimas escritas são datadas por volta do ano 220 d.C., embora alguns suponham que ele possa ter vivido até 240 d.C.

Fontes

  • Tertuliano – https://paisdaigreja.com.br/tertuliano
  • Tertuliano de Cartago – Biblioteca Charles Spurgeon (spurgeonline.com.br).
  • Tertuliano – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

Eu sou o Diego Gonçalves, teólogo e evangelista, e este é o meu blog www.diegon.org – “O Diário de um Jondô”. Aqui, reflexões teológicas diárias te esperam!

Todos os direitos reservados
© O Diário de um Jondô

S.B.CAMPO – SP

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.