A Bíblia é Confiável? | #03

A Bíblia é Confiável? | #03

INTRODUÇÃO: Bem-vindo ao nosso curso online “Fundamentos do Evangelho”! Este é o terceiro estudo da nossa série.

Esta série busca responder às grandes questões da vida e explorar as maravilhas da existência humana, desde a complexidade do corpo humano até as realidades eternas.

Quem sou eu? Por que estou aqui? Para onde vou? Qual é a base da moralidade? Qual é a realidade última? Estas não são apenas perguntas, mas o início de uma jornada para descobrir a verdade sobre nós mesmos e o universo que nos rodeia.

Neste curso, você será guiado por uma série de estudos e discussões que irão desafiar, inspirar e equipá-lo para viver a vida com um propósito maior. Vamos mergulhar em tópicos como a estrutura fascinante do DNA humano, o funcionamento complexo do nosso cérebro e o papel vital do nosso sangue.

Este curso foi projetado para todos os que buscam respostas, sejam eles novos na fé ou aqueles que desejam aprofundar seu entendimento. Junte-se a nós nesta jornada emocionante para descobrir a majestade de Deus e a maravilha da Sua criação.

Prepare-se para ser surpreendido, desafiado e transformado!

https://youtu.be/y4MxZst2M7E

 

A singularidade da Bíblia

Num jantar universitário, organizado por um grupo cristão com o objetivo de apoiar comunidades no exterior, dois indivíduos, um professor de história e um convidado especial, encontraram-se sentados lado a lado. O professor, desavisado da verdadeira identidade de seu vizinho de mesa, expressou seu ceticismo sobre a importância de participar de tais eventos, criticando-os por considerá-los meramente um exercício de correção política. Contudo, a conversa tomou um rumo inesperado quando o tema se voltou para a literatura antiga, uma paixão que ambos compartilhavam.

Ao ser questionado sobre qual livro antigo ele considerava mais preciso, o professor citou “A Ilíada” de Homero, além das obras de Júlio César e do historiador Josefo, explicando seus motivos para confiar na autenticidade desses textos. No entanto, sua postura se tornou defensiva quando a Bíblia foi mencionada. Ele prontamente a descartou, alegando que “não competia” com as outras obras em termos de precisão histórica.

O convidado especial, então, apresentou um argumento convincente, sugerindo que, se os critérios usados para avaliar as outras obras fossem aplicados à Bíblia, ela se mostraria ainda mais autêntica. Esta revelação surpreendeu o professor, que admitiu nunca ter considerado a Bíblia sob essa perspectiva, sentindo-se um tanto envergonhado por sua rápida desconsideração.

Quando o convidado especial foi chamado para discursar, pediu e obteve permissão do professor para usar a conversa como exemplo em sua fala, mantendo o anonimato do professor.

Mais tarde, o pastor que discursou naquele dia, soube que um professor cristão compartilhou o evangelho com o professor de história e ele se tornou um seguidor de Jesus.

Pessoal, como cristãos, nossa fé é em Deus, não em algo misterioso ou numa força distante do universo. Deus é um ser que pensa, tem sentimentos e faz planos. Ele cria tudo com uma intenção e está sempre agindo no mundo. Ele deseja que a gente se relacione com Ele e nos capacitou para isso. Como já vimos no estudo passado, Deus não pode ser definido em termos físicos, como nós humanos. Ele é Espírito, invisível, infinito e sabe de tudo. Mas a Bíblia também nos mostra que Ele é um Deus de amor e santidade, justiça e misericórdia, equidade e graça. Ele nos fez com um objetivo muito claro: para que possamos conhecê-lo e refletir a Sua imagem.

 

A Bíblia é a revelação especial de Deus

No último estudo, a gente viu que Deus se revelou através das belezas da criação, mas isso não nos deixa saber quem Ele realmente é ou porque Ele se empenhou tanto para criar o mundo. Se você fosse Deus e quisesse se conectar com as pessoas que você criou, como faria isso? Deus decidiu se revelar de várias maneiras, e uma delas é através da Bíblia. Ele usou a linguagem e os escritores humanos para se revelar e mostrar seus planos para nós.

 

A Bíblia é um livro único

A Bíblia é um conjunto de 66 livros (39 no Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento), escritos durante quase 1600 anos por 40 autores diferentes, em três idiomas: hebraico, grego e aramaico. Seus autores variam de agricultores a pescadores, reis a sacerdotes. Mas ainda assim, é singular na sua mensagem e propósito, oferecendo insights sobre por que podemos ser tão ruins e destrutivos, tão autocentrados. Mas também nos mostra como podemos ser diferentes e atingir nosso verdadeiro potencial para sermos pessoas completas, capazes de se conectar com Deus e fazer a diferença na vida dos outros.

 

A Bíblia contém fatos científicos surpreendentes

“Porque a vida de um ser está no sangue” (Lv.17:11). Esse conceito seria totalmente desconhecido até a era moderna. Antigamente, sem entender o papel restaurador do nosso sangue, as pessoas acreditavam que tirar sangue ou fazer sangrar alguém doente poderia ajudar na recuperação.

Agora sabemos que Levítico estava certinho. Um adulto médio tem de 4,5 a 5,5 litros de sangue circulando no corpo. No sangue adulto, temos cerca de 3 litros de plasma, glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. Vitaminas, eletrólitos e outros nutrientes são carregados pelo sangue e distribuídos para as células do corpo, ajudando a manter a saúde em dia. Muitas enfermidades e problemas de saúde podem ser descobertos com simples exames de sangue. E aí vem a pergunta: como Moisés sabia o quanto o sangue é importante para o nosso corpo?

Quero sugerir que isso foi revelado a ele como parte do plano de Deus para confirmar a autenticidade das Escrituras. Durante séculos, as pessoas debatiam sobre a forma da Terra, e os exploradores eram alertados que poderiam cair da borda do mundo porque acreditavam que era plana!

Mas, em Isaías 40:22, lemos que Deus “está entronizado acima do círculo da Terra”. Isaías 40:12,18-20,22,26 diz:

‘Quem mediu as águas na palma da própria mão, ou estendeu o céu com a largura da mão? Levante os olhos e veja: Quem criou todas essas coisas? Ele é o que traz constelações de estrelas, uma por uma, e chama cada uma pelo nome. Devido ao seu grande poder e força poderosa, nenhuma delas está faltando.’ Na verdade, agora descobrimos que existem inúmeras estrelas no céu!

Certa vez, as pessoas ridicularizaram a promessa a Abrão em Gênesis 22:17,18:

“Certamente vos abençoarei e farei com que os vossos descendentes sejam tão numerosos quanto as estrelas no céu e como a areia à beira-mar”.

Agora entendemos que a promessa feita a Abrão era que Deus conduziria através da linhagem de Abrão “o Cristo”, que veio para nos reconciliar com Deus. De fato, se lermos a linhagem do Messias prometido em Mateus 1, vemos que Jacó era o pai de José, que era marido de Maria, e Maria era a mãe de Jesus, o Messias. Agora sabemos algo que Abrão nunca poderia ter entendido: que Deus já tinha tudo isso planejado desde o início.

 

A Bíblia é inspirada por Deus

Os cristãos acreditam que a Bíblia é um livro sobrenatural que veio até nós de Deus através daqueles que Ele separou para transmitir sua revelação. Conseguimos entender a história real da humanidade e como podemos conhecer a Deus porque o plano Dele está bem claro na Bíblia, especialmente na história do evangelho. O apóstolo Paulo, em sua carta a Timóteo (2 Timóteo 3:16,17), escreveu isso de uma maneira bem clara.

“Toda a Escritura é inspirada por Deus e é útil para ensinar, repreender, corrigir e treinar na justiça, para que o servo de Deus esteja completamente equipado para toda boa obra”

(2 Timóteo 3:16,17)

e na segunda epístola de Pedro lemos:

“Acima de tudo, vocês devem entender que nenhuma profecia da Escritura se realizou pela própria interpretação das coisas do profeta. Pois a profecia nunca teve sua origem na vontade humana, mas os profetas, embora humanos, falavam de Deus enquanto eram levados pelo Santo Espírito’.

(2 Pe 1:20,21)

É crucial entender que a Bíblia não está aqui para nos ensinar a sermos religiosos! Ela foi escrita para nos orientar sobre como ter um relacionamento íntimo com Deus através de Jesus. Não é só um livro com um monte de regras, mas um guia que nos mostra o sentido e o objetivo da vida – o melhor plano que existe para a humanidade. A Bíblia é confiável? Alguns dizem que ela mudou muito com várias traduções e acréscimos, até o ponto de não sabermos mais o que estava nos manuscritos originais.

Na verdade, é o contrário: os responsáveis por copiar os manuscritos originais foram cuidadosamente escolhidos e trabalharam com uma equipe que sempre conferia e re-conferia as cópias. Qualquer erro era imediatamente notado e resultava na eliminação da cópia. Em diferentes momentos da história bíblica, havia especialistas treinados e dedicados à tarefa de fazer cópias. De 500 a.C. até 100 d.C., um grupo de estudiosos chamado Soferim se dedicou a isso. Depois, até a invenção da impressão, outros grupos, incluindo os Massoretas, que tinham um grande respeito pelos escritos sagrados, estavam totalmente comprometidos com a precisão. (Isso é mencionado na Enciclopédia Britânica(.

Em 1947, um pessoal que cuidava de cabras perto do Mar Morto tropeçou em uma caverna cheia de jarros de barro contendo centenas de pergaminhos antigos. Por uma década, mais dez cavernas foram descobertas, e todas elas estavam repletas de fragmentos de cópias do Antigo Testamento. Esses pergaminhos, conhecidos como Manuscritos do Mar Morto, confirmaram a precisão e a consistência histórica do Antigo Testamento.

Até um tempo atrás, muita gente duvidava da confiabilidade do Antigo Testamento. Isso porque as primeiras cópias que a gente tinha tinham sido feitas mais de mil anos depois que esses pergaminhos foram encontrados nas cavernas. Mas a maioria desses pergaminhos eram livros completos, como o livro de Isaías, e ficou bem claro que eram fiéis aos originais. Não tinha rolado nenhuma alteração, ao contrário do que alguns afirmavam, e a integridade do Antigo Testamento foi confirmada. Isso é um argumento bem forte, né? Por isso, vale a pena conferir o que FF Bruce, um estudioso super respeitado da Bíblia, fala no livro dele, “Merece confiança o Novo Testamento?”:

“A evidência de nossos escritos do Novo Testamento é sempre muito maior do que a evidência de muitos escritos de autores clássicos, cuja autenticidade ninguém sonha em questionar. E se o Novo Testamento fosse uma coleção de escritos seculares, sua autenticidade seria geralmente considerada como além de qualquer dúvida.”

“Merece confiança o Novo Testamento”, de FF Bruce

Ele continua dizendo:

“Não há, imagino, nenhum corpo de literatura no mundo que tenha sido exposto ao estudo analítico rigoroso que os quatro Evangelhos sustentaram nos últimos 200 anos. Isso não é algo a ser lamentado: é algo a ser aceito com satisfação. Os estudiosos de hoje que tratam os Evangelhos como documentos históricos credíveis fazem-no à luz deste estudo analítico, não fechando as suas mentes a ele.”

“Merece confiança o Novo Testamento”, de FF Bruce

Ninguém coloca em dúvida a precisão da Ilíada de Homero, escrita lá por volta de 720 a.C., que conta a história das guerras de Tróia. O exemplar mais antigo que temos hoje é uma reprodução feita no século 10 d.C., ou seja, mais de 1700 anos depois do original ser escrito, e só existem 643 cópias. Mesmo assim, os historiadores garantem que ela é 95% precisa.

O documento mais antigo que temos das obras de César, escritas entre 100 e 44 a.C., é de 900 d.C. e só temos 10 cópias. Ainda assim, os estudiosos veem isso como basicamente correto. As obras de Aristóteles, que viveram entre 382 a 322 a.C., não são questionadas, mesmo que só tenhamos 49 cópias e a mais antiga tenha sido copiada 1400 anos após o original.

E sobre as obras de Platão, que viveram entre 427 e 347 a.C.? As cópias mais antigas que temos foram feitas 1200 anos depois que ele escreveu, e só temos 7 delas. Mesmo assim, ninguém questiona que são autênticas!

Agora, se compararmos com a Bíblia, você vai ver que as evidências que comprovam a credibilidade dela são muito mais fortes. A maioria dos documentos do Novo Testamento pode ser rastreada até o século II e III.

É impressionante que ainda existem mais de 13 mil cópias manuscritas do Novo Testamento, além de muitas partes do Antigo Testamento, somando 24 mil manuscritos no total. Os mais antigos são do evangelho de João, datado de 130 d.C. Quando falamos sobre a precisão e autenticidade da Bíblia, não estamos só olhando para os manuscritos do Antigo Testamento, mas também para os do Novo Testamento. Isso é super importante.

A maioria dos livros do Novo Testamento que temos atualmente já era conhecida e usada pela igreja nos primeiros anos de sua existência, lá pelo final do século I. Eles logo foram aceitos como parte fundamental e oficial das Escrituras.

  • Líderes influentes da igreja nos primeiros tempos, como Justino Mártir, Irineu, Clemente e Orígenes, mostraram total confiança nesses manuscritos. Eles acreditavam que esses textos eram a maneira de Deus revelar a si mesmo e transmitir sua mensagem para as pessoas através da igreja.
  • O Chester Beaty, um dos museus mais respeitados e antigos do mundo, que fica em Dublin, na Irlanda, tem vários papiros super antigos que contêm muitas partes do Novo Testamento, datados do ano 200 d.C.
  • Além disso, o Museu Britânico em Londres tem muitas cópias de manuscritos do Novo Testamento (o Codex Vaticans, por exemplo, é de 400 d.C.).

 

Segundo FF Bruce, aquele estudioso famoso da Bíblia, temos três perguntas importantes para fazer aqui:

a. A Bíblia que temos agora, é basicamente a mesma que foi escrita originalmente?

b. O que foi escrito no começo é confiável em termos de história, ciência, teologia e realidade?

c. Não seria lógico pensar que um Deus que nos criou, se quisesse, poderia se comunicar conosco? E mais, ele não poderia fazer isso por meio de textos inspirados?

 

A verdade bíblica impacta nossas vidas

Movimentos importantes de Deus estão fortemente ligados ao compromisso de entender e explicar claramente as Escrituras. A primeira igreja acreditava que todo crescimento espiritual vem diretamente do entendimento e da reação positiva ao evangelho, tal como é apresentado na Bíblia.

Paulo nos disse que a fé surge quando entendemos e acreditamos nas grandes verdades que a Bíblia registra sobre a morte e ressurreição de Jesus. Ele afirma em Romanos 10:9:

“Se você declarar com sua boca ‘Jesus é o Senhor’, e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, você será salvo’ .

(Romanos 10:9)

E afirma em 2 Timóteo 3:16 que

“Todas as escrituras têm valor para ensinamento, correção, instrução e encorajamento” .

(2 Tm 3:16)

A alma tem uma sede profunda que só pode ser saciada por Deus, que nos criou para nunca estarmos completamente satisfeitos sem Ele. Como mencionamos no primeiro estudo, quer o reconheçamos ou não, existe dentro de todos nós um desejo intenso de se conectar com o “supremo” – essa conexão espiritual que pode ser difícil de explicar, mas que tem a capacidade de acalmar a insatisfação interna que muitos de nós sentem.

Então, os cristãos acreditam que a Bíblia não é apenas legítima e confiável, mas ela nos mostra quem é Deus, um pouco do que Ele é, do seu caráter e do seu plano. Ela declara o motivo pelo qual Ele nos criou e como podemos conhecê-lo e experimentar essa realidade nas nossas vidas. Ela nos orienta em como podemos ser o que Ele planejou para nós. Ela atende às necessidades mais intensas do nosso coração.

Deus é a última e mais importante conexão que podemos fazer e ele tornou isso incrivelmente possível por meio da Sua palavra inspirada.

 

Perguntas para discussão

  1. A Bíblia que temos hoje é original? Isto é, basicamente igual à que foi escrita lá no começo?
  2. O que foi escrito na Bíblia desde o começo é confiável? Isso vale para história, ciência, teologia e realidade?
  3. Não faz sentido pensar que, se Deus nos criou e quisesse se comunicar conosco, ele poderia fazer isso através de textos inspiradores?

Deus te abençoe. Até a próxima!

  • Para ler ou assistir o próximo estudo desta série, clique aqui.

 

REFERÊNCIAS:

Avatar de Diego Souza

3 respostas para “A Bíblia é Confiável? | #03”

  1. […] Para ler ou assistir o próximo estudo, clique aqui. […]

  2. […] Para ler ou assistir o terceiro estudo, clique aqui. […]

  3. […] Para ler ou assistir o terceiro estudo desta série, clique aqui. […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.