2Tm 4:7 – Reflexão: Lutando, Correndo e Guardando a Fé em 2023

2Tm 4:7 – Reflexão: Lutando, Correndo e Guardando a Fé em 2023

Na segunda carta de Paulo a Timóteo 4:7, ele afirma que lutou um bom combate, completou a carreira e guardou a fé. Vamos refletir sobre isso hoje. Em nossa vida agitada, cheia de desafios e pressões, é essencial fazermos uma autoavaliação para continuarmos crescendo pessoal e espiritualmente.


No texto bíblico, Paulo está avaliando a vida dele como um todo, mas você pode fazer uma autoavaliação mais curta, talvez do ano de 2023. Então, vamos explorar os três pontos importantes desta passagem:

  1. Lutar o Bom Combate:

Todos nós enfrentamos desafios diários. Ao refletir, pense: estou lutando por causas importantes? Estou usando minha energia em lutas que constroem e refletem meus valores? Lembre-se de que nem todas as lutas são boas; alguns combates não valem a pena.

  1. Completar a Carreira:

A vida é uma corrida de crescimento pessoal e espiritual. Olhe para trás, celebre suas conquistas, melhore aquilo que ficou aquém do esperado, e aprenda com seus desafios. Pergunte-se: estou no caminho certo para o propósito que Deus tem para mim?

  1. Guardar a Fé:

A fé é fundamental em nossa vida. Ela nos dá força nas adversidades. Avalie sua fé: ela tem guiado suas decisões? Nos momentos mais difíceis, é a fé em Deus que nos leva à sabedoria.

Que você possa ficar com esse pensamento para reflexão em seus ouvidos.


Eu sou o Diego Gonçalves, teólogo e evangelista, e este é o meu blog www.diegon.org – “O Diário de um Jondô”. Aqui, reflexões teológicas diárias te esperam!

Todos os direitos reservados
© O Diário de um Jondô

S.B.CAMPO – SP

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.