Abraão: Um exemplo de fé e obediência

Abraão: Um exemplo de fé e obediência

ESTUDO DE PERSONAGEM BÍBLICO

Significado do nome: Abrão significa “pai exaltado”. Abraão significa “pai de um grande número”.

Ancestralidade e vida familiar: Abraão foi a décima geração de Noé. Ele era descendente de Sem e seu pai era Terá. Abrão tinha dois irmãos e casou-se com sua meia-irmã, Sarai. De acordo com Josué 24:2, sabemos que o pai e o avô de Abraão adoravam falsos deuses. Abraão era bastante rico e possuía muitos servos. Ele é o ancestral dos hebreus, árabes, edomitas e várias outras tribos, como os midianitas.

Quando e onde viveu: Originalmente, Abraão era de Ur dos Caldeus. Foi aqui que Deus originalmente chamou Abrão (Atos 7:2-3). Ur era um próspero e avançado centro pagão no sul da Mesopotâmia (354 km SE de Bagdá). Sua “idade de ouro” foi durante o tempo de Abraão. Um grande zigurate foi construído ali, que Abraão provavelmente teria visto. No caminho para Canaã (também um centro de idolatria), Abraão e sua família pararam em Harã por um tempo. Finalmente, eles chegaram a Canaã, onde Abraão permaneceu o resto de sua vida. A jornada de Ur a Canaã foi de cerca de 2400 km.

Treinamento e ocupação: Alguns estudiosos acreditam que Abraão era um comerciante. Ele evidentemente possuía grande riqueza. É provável que ele estivesse familiarizado com o pastoreio, pois tinha muitos rebanhos e rebanhos (Gênesis 13:2). Pelo relato bíblico, parece que Abraão era sábio e bem educado.

Lugar na história: Abraão ocupa um lugar extremamente importante na história. Um grande número de pessoas e grupos de pessoas no mundo descendem diretamente dele. Mais importante ainda, Abraão é o pai espiritual (João 8:39-40; Romanos 4:13-25) de todos os crentes. O mundo tem se mostrado repetidamente rebelde e pecador. Deus primeiro enviou o dilúvio e depois espalhou as nações e confundiu suas línguas, mas as pessoas ainda não se arrependeram.

Portanto, Deus escolheu um homem, uma família e uma nação fora do mundo e, a partir desse ponto (até a morte de Cristo), tratou principalmente dessa nação. Deus estabeleceu Sua aliança com Abraão. Talvez o aspecto mais crucial e a principal razão para esse convênio seja encontrado em Gênesis 12:3 e 18:19. Abraão não é apenas uma figura do Antigo Testamento; ele também é mencionado sessenta e sete vezes no Novo Testamento. Muitas dessas referências utilizam Abraão como exemplo de fé e do fato de que Deus justifica não com base em obras, mas com base na fé. Abraão é um modelo de fé para todos os crentes.

Pontos Fracos:

Enganoso (Gênesis 12:12-20; 20) – Abraão enganou sobre sua esposa, Sara. Por duas vezes ele disse que ela era sua irmã para evitar a possibilidade de ser morto. Isso era mentira e demonstrava falta de amor por sua esposa. Nessas ocasiões, ele estava disposto a arriscar para se proteger, mas não a protegeu tão bem quanto deveria.

Falta de fé às vezes – Abraão demonstrou falta de confiança na promessa de Deus de lhe dar um filho através de Sara e foi facilmente persuadido a tomar Agar como esposa (Gênesis 16). Com Agar, ele seguiu o conselho de Sara e tentou resolver as coisas à sua maneira, em vez de confiar em Deus. O resultado foi devastador e as consequências persistem até hoje. Parte do conflito no Oriente Médio pode ser atribuído a esse erro.

Pontos fortes:

(Hebreus 11:8-12; Gênesis 12:1-4) – Essa foi a qualidade mais notável de Abraão. Apesar de suas falhas, ele frequentemente demonstrou uma fé incrível. Alguns exemplos notáveis incluem sair de casa quando não sabia o destino final, deixar Ló escolher a terra preferida quando tinha o direito de escolher primeiro e acreditar na promessa de Deus de que teria um filho na velhice. Embora tenha havido momentos de dúvida, a trajetória geral de sua vida foi marcada pela crença no impossível. Ele estava disposto a sacrificar Isaque, acreditando que Deus o ressuscitaria dentre os mortos.

Altruísmo (Gênesis 13:9) – Abraão mostrou-se muito altruísta. Embora fosse mais velho que Ló e tivesse o direito de escolher a melhor terra, ele deu a Ló a primeira escolha. Através desse ato altruísta, a vontade de Deus foi cumprida, e Abraão foi para Canaã, onde Deus o abençoou grandemente. Mais tarde, Abraão arriscou sua vida para salvar Ló. Enquanto o senso comum muitas vezes é “olhar para o número um”, Ló parece ter seguido essa abordagem. Em contraste, Abraão abriu mão de seus “direitos” pelo bem dos outros.

Adoração – Abraão continuamente construía altares para Deus e lhe dava glória e louvor. Isso mostrava sua dependência de Deus em todos os aspectos de sua vida.

Dízimo (Gênesis 14:20; Hebreus 7:4; Malaquias 3:7-12; 1 João 3:17) – Abraão honrava a Deus com seu dinheiro. Ele não era ganancioso e não queria receber despojos ou dinheiro do rei de Sodoma. Em vez disso, deu 10% a Melquisedeque. Mais uma vez, Deus abençoou Abraão e multiplicou ainda mais seus bens.

Hospitalidade (Gênesis 18) – Abraão era muito hospitaleiro com estranhos. Ele convidou três homens para comer e matou um bezerro para eles.

Em Oração (Gênesis 18; 20:17) – Abraão suplicou fervorosamente a Deus pelos habitantes de Sodoma e Gomorra, mesmo sem conhecê-los pessoalmente. Sua oração revelou um coração de amor e compaixão por todas as pessoas. Ele não apenas cuidava delas, mas também era zeloso na defesa da honra e justiça de Deus. Ele corajosamente “ficou na brecha” como intercessor. Devemos também orar pelos outros com a mesma ousadia e intensidade.

Jornadas de Abraão – Criadas pelo diegOn.org de acordo com o Atlas do Software Bíblico Logos

Terá (pai de Abraão) habita em Harã – fonte: Atlas do Software Bíblico Logos
Abraão emigra para Canaã – fonte: Atlas do Software Bíblico Logos
Abrão e Sarai vao para o Egito – fonte: Atlas do Software Bíblico Logos
Abraão e Ló se separam – fonte: Atlas do Software Bíblico Logos
Terra de Deus concedida a Abraão – fonte: Atlas do Software Bíblico Logos

Atos e eventos importantes:

  1. Deixou seu país e foi para Canaã.
  2. Permitiu que Ló escolhesse primeiro a terra.
  3. Salvou Ló e o Rei de Sodoma.
  4. Conheceu Melquisedeque.
  5. Tomou Agar como esposa e teve Ismael.
  6. A aliança foi reafirmada com ele e ele recebeu a circuncisão.
  7. Suplicou a Deus por Sodoma e Gomorra.
  8. Obedeceu a Deus para sacrificar Isaque, mas Deus poupou seu filho.

Como morreu: Morreu após uma vida longa e gratificante aos 175 anos (Gênesis 25:7).

Lições de sua vida:

  • Todos nós devemos estar dispostos a sair de nossa “zona de conforto” para seguir a Deus. Abraão deixou seu país, seus amigos e muitos de seus parentes para seguir o chamado de Deus a ele. Note que quando Deus lhe disse para ir, Ele não disse imediatamente para onde. Em vez disso, Ele disse a Abrão para ir “à terra que eu te mostrarei”. Assim, Abrão recebeu a ordem de iniciar uma jornada para um destino que ainda não havia sido revelado. A parte mais importante do mandamento de Deus era ir, começar a se mover. Uma vez que Abrão estava se movendo, seria fácil para ele mudar de direção. Mas um objeto que não está se movendo não pode mudar de direção.

Naquela época, viajar não era tão fácil quanto hoje. A viagem final foi de quase dois mil e quinhentos quilômetros. E havia muitas incógnitas no caminho. Era um mundo muito mais perigoso do que hoje, onde o Estado de Direito não estava estabelecido. Mas Abraão foi obediente. E por causa de sua obediência, o mundo mudou para sempre.

Aplicação: Deus pode nos pedir que saiamos de nossa zona de conforto para segui-Lo. Isso pode assumir muitas formas. Ele pode pedir que você deixe sua família e seu país para servi-Lo. Ele pode pedir que você deixe seu emprego. Ele pode dizer a você para compartilhar o evangelho com alguém quando isso o deixar nervoso. Ele pode pedir que você faça amizade com outro crente ou descrente e, portanto, passe menos tempo com seu próprio círculo de amigos.

Você está pronto para fazer sacrifícios, ir para o desconhecido, colocar fé completa em Deus e obedecer ao Seu chamado? Começa com as pequenas coisas (Lucas 16:10) e, à medida que você obedecer, Ele lhe dará responsabilidades mais significativas. O que você acha que é uma área onde Deus está chamando você a ter fé Nele e sair de sua zona de conforto?

  • Deus não é um Deus vingativo, pronto para nos destruir no momento em que cometemos um erro. Abraão cometeu um grande erro ao escolher procriar com Agar e tentar ter um filho através dela. Embora sua motivação fosse “ajudar” a Deus, ele deveria ter percebido que Deus não precisa de ajuda. Era pecaminoso sair do desígnio de Deus para o casamento para alcançar Seus objetivos, em vez de confiar e esperar por Seu tempo. O pecado de Abraão causou problemas em seu casamento e família. Esses problemas ainda se manifestam no mundo de hoje em muitos conflitos no Oriente Médio.

E, no entanto, mesmo quando Abraão falhou, Deus olhou para ele e cumpriu Sua promessa. Deus não voltou atrás em Sua promessa. Em vez disso, Ele perdoou e restaurou Abraão.

Aplicação: Deus é misericordioso. Quando pecamos, Ele não nos expulsa. Em vez disso, Ele está esperando de braços abertos para nos receber a Si mesmo novamente e nos purificar de nossos pecados.

  • Abraão não tomou o melhor para si, mas deu aos outros a primeira escolha. Podemos aprender muito com essa atitude. Somos o tipo de pessoas que sempre querem escolher primeiro, ou damos aos outros a primeira escolha e cuidamos de seus interesses? Abraão deu a Ló a primeira escolha da terra quando ele tinha o direito de escolher. Esta não foi uma decisão pequena, como dar ao seu amigo a primeira escolha de sobremesas. Isso afetou onde eles morariam e fariam negócios, que terra possuíam e quem seriam seus amigos.

E, no entanto, muitas vezes brigamos, brigamos e temos motivos errados, mesmo sobre coisas simples. Em que áreas específicas você pode mostrar um coração generoso para com os outros e deixá-los escolher? (Por exemplo, deixe sua família escolher o restaurante ou programa de televisão. Ofereça-se para lavar a louça, tirar o lixo, lavar a roupa, etc.)

A questão é que devemos nos preocupar mais com o bem-estar dos outros do que com o nosso. A melhor coisa sobre isso é que quando estamos preocupados com os outros, Deus está preocupado conosco e multiplica nossa alegria e bênçãos ainda mais.

Ló olhou para a terra e pegou o que achou melhor. Mas, em seu egoísmo, fez a escolha errada. Ele cercou sua família de más influências. Claramente, ele mesmo estava revoltado com algumas das práticas da cidade em que escolheu morar. No entanto, a exposição diária a essas tentações afetou sua família. No final, alguns de seus filhos foram mortos, sua esposa foi transformada em pedra, suas filhas perderam sua pureza e ele mesmo cometeu abominações.

Abraão, por outro lado, foi abençoado e, finalmente, seus descendentes receberam a Terra Prometida.

Aplicação: Quando uma pessoa toma o melhor para si, provavelmente está perdendo o melhor de Deus.

  • Abraão deu dízimos e ofertas a Melquisedeque. Com seu exemplo, aprendemos que também precisamos dar dízimos e ofertas a Deus. Isso é ordenado em toda a Bíblia (Hebreus 7:4, Malaquias 3:7-12, 1 João 3:17). Nosso dinheiro não é nosso. É de Deus. Dar a Deus requer fé. Devemos acreditar que Deus cuidará de nós e do nosso futuro, mesmo sem os fundos dos quais abrimos mão.Mas se nos segurarmos e nos priorizarmos sobre Deus, podemos descobrir que Ele está trabalhando ativamente contra nós. Um exemplo disso pode ser visto em Ageu. Quando o povo se recusou a construir o templo de Deus e reformou suas próprias casas com adições luxuosas, Deus devorou o que eles ganharam e o explodiu como pó.Quando damos generosamente, Deus recompensa. Isso, às vezes, assume a forma de bênçãos financeiras. Afinal, Deus pode dar mais recursos àquele que foi fiel para usar o que já tem. Mas nem sempre assume essa forma. As recompensas podem ser outros tipos de bênçãos e se você está dando para tentar receber alguma recompensa monetária de Deus em troca, lembre-se de que Ele vê seu coração!

Quando Abraão deu, Deus disse-lhe em Gênesis 15:1: “Eu sou um escudo para você; Sua recompensa será muito grande”.

  • Precisamos fazer as coisas à maneira de Deus em vez do nosso caminho. Quando nos falta fé e nos apoiamos em nosso entendimento, atrapalhamos as coisas e fazemos uma bagunça. O resultado do pecado de Abraão ainda vive hoje. Não tente criar um plano melhor do que o que você lê na Bíblia. Não tente “ajudar a Deus”. Faça as coisas à Sua maneira.

Aplicação: Você pode compartilhar um exemplo de uma época em que tentou fazer algo do seu jeito em vez do de Deus? Qual foi o resultado?

  • Nunca devemos duvidar de Deus. Teria sido fácil para Abraão duvidar quando Deus lhe disse para sacrificar Isaque, mas ele tinha uma confiança tão forte no caráter de Deus que sabia que o Senhor não o desviaria.Da mesma forma, Deus nunca nos conduzirá pelo caminho errado. Haverá muitas vezes em que não compreenderemos o plano de Deus. É como tentar trabalhar um quebra-cabeça, mas só ver uma peça. Essa peça por si só não parece muito. Não dá para saber o que é. Mas quando todo o quebra-cabeça estiver terminado, o significado de cada peça será revelado e, se até mesmo uma estiver faltando, haverá um buraco gritante. Mesmo quando não sabemos por que Deus quer que façamos algo e mesmo que não saibamos para onde isso levará, devemos seguir com fé. Ele nos conduz passo a passo. Isso significa que, embora Ele possa não nos mostrar o que devemos fazer dez anos no futuro, Ele nos guiará para o que precisamos fazer hoje.

Aplicação: Que princípio você aprendeu com Abraão que acha que deve seguir em sua própria vida? Pode compartilhar um exemplo específico de como vai aplicar esse princípio esta semana?

Oração

Deus de promessas, cujo amor é maior do que podemos entender, a Ti entregamos nossos corações. Foste Tu quem prometeu a Abraão e Sara uma descendência tão numerosa quanto as estrelas. Tua palavra é nossa luz nas trevas e nossa esperança em tempos difíceis. Pedimos que nos guies, ajudando-nos a viver com fé e a acreditar em Tuas promessas. Em nome de Jesus Cristo, pedimos Tua graça e misericórdia. Amém.


Referências: Software Bíblico Logos

Organizado por Diego Gonçalves

Gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos e familiares para que eles também possam aprender mais sobre o assunto. E não se esqueça de se inscrever em nossas redes sociais para receber mais conteúdo como este. Até a próxima!

Inspire-se com outros devocionais e reflexões no meu site.

© O Diário de um Jondô

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.