Ef 2:3-7 – Recipientes da Graça e Misericórdia

Ef 2:3-7 – Recipientes da Graça e Misericórdia

Estudo 02 no livro de Efésios

Quebra-Gelo

  1. Quem é a pessoa mais graciosa que você conhece? Por que você acha que ela é tão graciosa?
  2. Como você foi disciplinado quando criança? Lembre-se de uma ocasião explicando isso.

Introdução:

Qual é a diferença entre um presente e um salário? Um presente é algo que não merecemos ou que podemos retribuir. Um salário é algo que merecemos pelo nosso trabalho.

Um presente tem mais a ver com a Graça e a Misericórdia, já o salário com tem mais a ver com a Justiça.

Então, quando Deus nos salvou do pecado, Ele não o fez porque merecíamos ser salvos ou porque poderíamos retribuir a Ele por Seu sacrifício. Embora Deus seja justo e devesse nos dar o que merecíamos, Ele escolheu nos mostrar misericórdia e graça, poupando-nos da penalidade pelos nossos pecados.

Essa mensagem maravilhosa é retratada vividamente na carta de Paulo aos Efésios, onde ele destaca o imenso amor e a misericórdia de Deus para conosco.

Palavra:

Efésios 2:3 Todos nós vivíamos desse modo, seguindo os desejos ardentes e as inclinações de nossa natureza humana. Éramos, por natureza, merecedores da ira, como os demais. 4 Mas Deus é tão rico em misericórdia e nos amou tanto 5 que, embora estivéssemos mortos por causa de nossos pecados, ele nos deu vida juntamente com Cristo. É pela graça que vocês são salvos! 6 Pois ele nos ressuscitou com Cristo e nos fez sentar com ele nos domínios celestiais, porque agora estamos em Cristo Jesus. 7 Portanto, nas eras futuras, Deus poderá apontar-nos como exemplos da riqueza insuperável de sua graça, revelada na bondade que ele demonstrou por nós em Cristo Jesus. (EFÉSIOS 2:3-7)

Nesta estudo, vamos examinar três conceitos para entendermos mais sobre Deus: justiça, misericórdia e graça. Mas antes de prosseguirmos, vamos esclarecer algo:

A Pessoa Graciosa

Quando pensamos em graça, talvez possamos refletir sobre pessoas que conhecemos que exemplificam essa qualidade. A graça pode ser vista em gestos de bondade não merecida, em generosidade espontânea, em perdão imerecido. No entanto, por mais graciosa que uma pessoa possa ser, a graça de Deus a ultrapassa infinitamente.

A Justiça de Deus

A Bíblia deixa claro que, como seres humanos, todos pecamos e não conseguimos alcançar a glória de Deus (Romanos 3:23). Nossa tendência ao pecado vem de nossa natureza pecaminosa, que se rebela contra Deus (Romanos 3:9-18).

Este trecho bíblico fala sobre a ideia de que, mesmo que tentemos fazer coisas boas, ainda assim não é suficiente para nos redimir dos nossos pecados. A pensamento por trás disso é que, como Deus é justo, o pecado deve ser punido.

Veja bem: Nossos pecados merecem a ira e o julgamento de Deus. E esse é o papel da justiça de Deus em ação – Ele é perfeitamente justo e, portanto, deve punir o pecado. Afinal, se Deus ignorasse nosso pecado, ele não seria justo.

No entanto, Deus, em sua infinita misericórdia, providenciou uma maneira para que fossemos salvos do castigo que merecemos. Como Ele fez isso? Ele enviou seu Filho, Jesus Cristo, para pagar a pena por nossos pecados, satisfazendo assim sua justiça.

A Misericórdia de Deus

E esse é o papel da misericórdia. A misericórdia de Deus opera quando Ele não nos dá o que merecemos. Romanos 6:23 nos diz: “Pois o salário do pecado é a morte, mas a dádiva de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.” Por causa da misericórdia de Deus, em vez de recebermos a morte (a justa punição) que nossos pecados merecem, recebemos a vida eterna por meio de Cristo Jesus.

A Graça de Deus

E aqui entra o papel da graça. A graça de Deus é quando Ele nos dá o que não merecemos. Efésios 2:8 nos diz: “Porque é pela graça que vocês foram salvos, por meio da fé – e isto não vem de vocês, é o dom de Deus…”. Mesmo que não mereçamos a salvação, Deus, em sua graça, nos oferece como um presente gratuito. Além disso, Deus, em sua graça, nos abençoa com todas as bênçãos espirituais em Cristo (Efésios 1:3).

O que isso significa?

Significa que em Cristo, não apenas fomos poupados do castigo que merecíamos. Mas também recebemos as bênçãos que não merecemos. A graça seria não apenas poupar um criminoso da pena de morte, mas dar-lhe uma nova família, uma casa, um carro, um emprego e tudo o mais que ele precisasse. É assim que Deus é para nós.

Conclusão

Estes conceitos – a justiça, a graça e a misericórdia de Deus – são essenciais para entendermos a magnitude do amor de Deus por nós. Embora mereçamos a punição, Deus em sua misericórdia nos poupou do castigo e em sua graça nos ofereceu a salvação. Isso deve inspirar em nós gratidão, humildade e amor por Deus, e um desejo de compartilhar as boas novas de Sua graça com os outros

Agora que…

… Sabemos que merecemos a justiça de Deus, mas recebemos Sua misericórdia e graça em vez disso, como isso afetará sua vida?

O que você pode fazer em resposta a isso?

Como você pode crescer em sua compreensão da misericórdia e graça de Deus nesta semana?

Por Diego Gonçalves.

Estudo para células - Escrito em 20/05/2023 para a Igreja Comec.


Gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos e familiares para que eles também possam aprender mais sobre o assunto. E não se esqueça de se inscrever em nossas redes sociais para receber mais conteúdo como este. Até a próxima!

Inspire-se com outros devocionais e reflexões no meu site.

© O Diário de um Jondô

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.