Jo 18.36 – Nosso reino não é aqui!

Jo 18.36 – Nosso reino não é aqui!

Devocional:

Jesus foi preso e está sendo interrogado por Pilatos. Ele é acusado de ser um revolucionário que lideraria uma revolta violenta contra o império. Pilatos, que já teve contato com possíveis libertadores, tem dificuldade em entender Jesus como um revolucionário. Com apenas um punhado de seguidores, ele se questiona se Jesus realmente é capaz de liderar uma revolta. Pilatos pergunta diretamente a Jesus se ele é o rei dos judeus, e Jesus confirma seu chamado real, mas explica que sua realeza é diferente e segue um caminho diferente.

Palavra:

Jesus respondeu: “Meu reino não é deste mundo. Se fosse, meus seguidores lutariam para impedir que eu fosse entregue aos líderes judeus. Mas meu reino não procede deste mundo”. (João 18:36)

Interpretar as palavras de Jesus de uma forma que separa claramente o seu reino celestial da ação de Deus no mundo é um erro. O reino de Jesus não é tão celestial que não possa fazer bem na terra. Embora não se origine deste mundo, o reino de Jesus não é um reino que não se preocupa com a terra. É por isso que Jesus proibiu seus seguidores de usar a violência. Jesus é um tipo diferente de rei e isso torna seu reino diferente dos outros. Ele afirmou isso durante todo o seu ministério.

Este é um reino que opera de forma diferente dos reinos mundanos, que acreditam que o poder é a chave para manter a ordem e que a violência é necessária para alcançar a paz. No entanto, é essa maneira de operar que faz com que esses reinos mundanos virem a vida de seus súditos de cabeça para baixo. O reino de Jesus, por outro lado, vira o mundo para o lado certo, oferecendo reconciliação. Jesus faz isso através de seu exemplo de sofrimento e submissão à morte, absorvendo toda a força, poder e violência do mundo em seu corpo espancado e ensanguentado.

Jesus não governa sentado em um trono, mas sim pendurado em uma cruz em uma colina chamada Calvário. Pilatos, ao tentar entender quem é Jesus, pergunta: “Então, você é um rei?” (João 18:37). Jesus é um novo tipo de rei, que não se encaixa na conta deste mundo. É somente sendo um novo tipo de rei de um reino diferente que Jesus pode ser proclamado Rei dos reis e Senhor dos senhores.

Depois desta conversa, Pilatos entregará Jesus para ser crucificado, sacrificando mais uma vida pela Pax Romana, a Paz de Roma. Mas a crucificação deste Homem, um dos muitos executados pelos romanos, será lembrada mais do que qualquer outra. E a história do Império Romano será apenas uma nota de rodapé na narração da história deste Homem Único que morreu como um novo tipo de rei. No entanto, a história ainda não acabou… O domingo está chegando….

Aplicação

Como seguidores de Jesus, é importante lembrarmos que somos parte de um reino diferente e que devemos viver de acordo com os valores desse reino. Isso significa que devemos buscar a paz, a reconciliação e a justiça, mesmo quando o mundo nos diz que a violência é necessária para alcançar esses objetivos. Podemos encontrar consolo em saber que nosso rei, Jesus, também sofreu injustiça e violência, mas escolheu responder com amor e submissão. Que possamos seguir seu exemplo e viver como cidadãos do seu reino, mesmo em um mundo que muitas vezes parece estar de cabeça para baixo.

Por Diego Gonçalves.


Gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos e familiares para que eles também possam aprender mais sobre o assunto. E não se esqueça de se inscrever em nossas redes sociais para receber mais conteúdo como este. Até a próxima!

Inspire-se com outros devocionais e reflexões no meu site.

© O Diário de um Jondô

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.