Jo 12:27 – Veio para morrer

Jo 12:27 – Veio para morrer

Devocional:

Há cerca de dois mil anos, a cruz era um instrumento de horror e vergonha, uma punição miserável e degradante. No entanto, hoje, a cruz é universalmente reconhecida como o símbolo da fé cristã. Ela está estampada em peças de roupas, adesivos de carro e até em peças de joalherias. Mas a maioria das pessoas que usam esses objetos não têm a mínima ideia do seu significado.

A morte de Jesus na cruz não o pegou de surpresa, tanto que a predisse continuamente a seus discípulos. Ele sabia que era chegada a hora. E, com sua crucificação iminente diante de si, Jesus mesmo disse:

“Que direi eu? Pai, me salva desta hora? Não, pois foi precisamente com este propósito que eu vim para esta hora” (João 12.27).

Jesus disse que veio para morrer. Mas por quê? Por que Ele veio para morrer? A resposta é simples: Cristo morreu pelos nossos pecados. Jesus Cristo, o Filho eterno de Deus, tomou sobre si uma natureza humana e teve uma morte terrível em nosso lugar, sofrendo o que deveríamos ter sofrido, para pagar a pena pelos nossos pecados. Essa é a razão da cruz.

A história se desenrola desde o Jardim do Éden, onde Deus impôs uma proibição simples para Adão e Eva: não deveriam comer da árvore do conhecimento do bem e do mal. Não havia nada intrinsicamente mal naquela árvore. Deus poderia ter escolhido qualquer árvore do jardim. Nem a obediência era difícil. Muitos tipos de árvores do jardim eram agradáveis aos olhos e boas para comer. É difícil imaginar um teste mais fácil para Adão e Eva. No entanto, quando a Serpente questionou a bondade e a fidelidade de Deus, Eva cedeu e assim o fez Adão. E imediatamente começaram a pecar. A queda de Adão deu origem não só à culpa, mas também à depravação ou corrupção moral. Agora, o homem que era totalmente receptivo à vontade de Deus, passou a se inclinar para o mal. Os teólogos se referem a essa persistente inclinação para o mal como o pecado original. Paulo a chamou de natureza pecaminosa (chamada de carne em algumas traduções da Bíblia).

Nunca entenderemos a cruz se não começarmos a compreender algo da natureza e da profundidade do nosso pecado. E, para entender isso, precisamos percorrer todo o caminho de volta até o Jardim do Éden. Nossas melhores obras estão manchadas pelo pecado. Por causa disso, nossos atos de obediência estão tão distantes da perfeição, imundos pelo pecado remanescente, que são como “trapo da imundícia” (Isaías 64.6) quando comparados à justiça que a Lei de Deus requer. Se limitarmos nossa atenção aos pecados isolados e negligenciarmos nossa natureza pecaminosa, jamais descobriremos quão profundamente infectados pelo pecado realmente estamos.

A nossa natureza pecaminosa afeta e contamina tudo o que fazemos. Nossas ações têm o potencial de afetar negativamente a vida de outras pessoas, e muitas vezes negligenciamos esse fato. Entretanto, a história da cruz é uma história de amor e sacrifício. É uma história de Deus amando a humanidade o suficiente para enviar seu próprio filho para morrer em nosso lugar, a fim de pagar pelos nossos pecados e nos reconciliar com ele. É uma história que toca a alma e nos faz refletir sobre a profundidade do nosso pecado e a grandeza do amor de Deus por nós.

Portanto, para entender a cruz e o seu significado, é preciso olhar para dentro de si mesmo e reconhecer a sua própria natureza pecaminosa. Nossas ações e escolhas diárias são afetadas por essa natureza, e muitas vezes negligenciamos o impacto que elas têm na vida dos outros. A cruz nos lembra que somente através do sacrifício de Jesus Cristo é que podemos ser perdoados e reconciliados com Deus.

Neste sentido, ao compreender o significado da cruz, podemos mudar nossas vidas e nos tornar melhores pessoas. Podemos aprender a amar o próximo e a tratar os outros com respeito e compaixão. Podemos nos esforçar para viver de maneira justa e honesta, e para fazer a diferença no mundo. Pois, a cruz é um símbolo poderoso de esperança e redenção. Ela nos lembra que, não importa o quão pecaminosos sejamos, sempre há uma maneira de nos arrependermos e de sermos perdoados. Ela nos dá a força para enfrentar as dificuldades da vida e a fé para acreditar em um futuro melhor.

Em resumo, a cruz é uma história de amor, sacrifício, redenção e esperança. Ela nos ensina a importância de reconhecer a nossa natureza pecaminosa, de amar o próximo e de viver de maneira justa e honesta. É uma mensagem relevante que ressoa para todas as pessoas, de todas as eras, e nos lembra da grandeza do amor de Deus por nós.

Agora é a Sua Vez!

Abra seu coração e deixe que a mensagem de amor e sacrifício transforme sua vida. Abra-se para a mensagem da cruz e experimente a verdadeira liberdade e redenção que só ela pode oferecer. Lembre-se de que Deus o ama o suficiente para enviar seu próprio filho para morrer em seu lugar, e que a cruz é a resposta para a sua natureza pecaminosa.

Por Diego Gonçalves.


Gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos e familiares para que eles também possam aprender mais sobre o assunto. E não se esqueça de se inscrever em nossas redes sociais para receber mais conteúdo como este. Até a próxima!

Inspire-se com outros devocionais e reflexões no meu site.

© Diego Jondô

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.