Mt 4.1-11 – Vencendo a tentação

Mt 4.1-11 – Vencendo a tentação

No estudo anterior, aprendemos sobre a preparação de Jesus para o ministério, quando ele foi batizado no Jordão. Deus, no entanto, tinha mais uma fase preparatória para o nosso Senhor antes do início do seu ministério público: um período de provação no deserto. Assim como Adão e Eva foram testados no Jardim do Éden e Israel foi testado no deserto, Jesus também teve que passar por um período de provação antes de iniciar seu ministério.

(Leia Mateus 4:1-11 e ore.)

Hoje vamos falar sobre a tentação. Lutar contra ela é difícil, e vencê-la ainda mais. Por vezes, podemos pensar que seria bom conseguir vencer nessa área. Mas tenho uma boa notícia para você: é possível vencer a tentação. Você não precisa ceder ao pecado. Jesus venceu a tentação e você também pode.

Vamos analisar três aspectos da tentação mencionada nesta passagem: a realidade, a natureza e a vitória sobre ela. Ao seguir o exemplo de Jesus, podemos também vencer a tentação.

1. A realidade da tentação. Mateus 4:1

Primeiro, vamos falar sobre a realidade da tentação. De acordo com Mateus 4:1, “Jesus foi conduzido pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo diabo.” (Mateus 4:1) Essa é uma declaração surpreendente, considerando a passagem da semana passada sobre o batismo de Jesus, que foi um momento alto em sua vida. Quando Jesus saiu da água, os céus se abriram, o Espírito Santo desceu como uma pomba, e Deus, o Pai, falou audível do céu. Parecia um momento perfeito. No entanto, imediatamente depois, somos informados de que Jesus foi levado ao deserto para ser tentado pelo diabo.

Como mencionado anteriormente, este foi um tempo necessário de teste para Jesus. Assim como Adão foi testado no Jardim, Jesus teve que passar por um período de provas. Mas que diferença! Adão foi colocado em um jardim exuberante com todos os tipos de árvores e vegetação. Jesus foi levado para o deserto, um deserto estéril na região montanhosa rochosa da Judéia. Adão recebeu tudo o que precisava. Jesus jejuou por quarenta dias e quarenta noites. Adão ouviu o inimigo e desobedeceu a Deus. Jesus ouviu a Deus e venceu o inimigo.

A. Conheça seu inimigo

Para entender a realidade da tentação, há três coisas que você precisa saber. A primeira delas é que é importante conhecer o seu inimigo.

i. O diabo é real ([1 Pedro 5:8])

Mateus relata que Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo diabo, que é um ser real, pessoal e espiritual. Como fez com Adão e Eva no Jardim, o diabo tentou Jesus no deserto e continua tentando as pessoas a pecarem todos os dias. De acordo com 1 Pedro 5:8, “Sede autocontrolados e alertas. Seu inimigo, o diabo, ronda como um leão rugindo à procura de alguém para devorar.” ([1 Pedro 5:8]).

O Diabo era um dos anjos de Deus. Originalmente, ele foi criado como um ser bom, mas acabou se rebelando contra Deus e se tornando mal. Quando ele caiu, levou consigo muitos outros anjos. Na Bíblia, ele é conhecido por diversos nomes, como Lúcifer, Satanás, o acusador, o enganador e o pai da mentira. É interessante notar que mais pessoas acreditam em Deus do que no Diabo. Se você acredita em Deus, já acredita no mundo espiritual. Portanto, não é difícil entender que exista um ser espiritual que se opõe a Deus e seus propósitos.

ii. A batalha é espiritual ([Efésios 6:12]))

Isso nos leva à segunda parte de conhecer seu adversário – a batalha é espiritual. Como Efésios 6:12 diz: “Porque nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra governantes, autoridades, poderes deste mundo escuro e forças espirituais do mal nos reinos celestiais.” (Efésios 6:12)

Satanás é um ser poderoso, mas seu poder é limitado em comparação ao poder de Deus. Deus é o único que é todo-poderoso, onisciente e está presente em todos os lugares. Satanás só pode estar em um lugar de cada vez, então é improvável que ele nos tente diretamente. Quando a Bíblia fala sobre resistir ao diabo, ela se refere a todas as forças espirituais descritas em Efésios. Nós estamos envolvidos em uma batalha cósmica entre Deus e as forças do mal. Essa batalha é espiritual e não é contra carne e sangue. É importante entender que o diabo é real e conhecer o inimigo é essencial para entender a realidade da tentação.

B. Conheça o seu Deus

Em segundo lugar, você precisa conhecer o seu Deus. E duas coisas são especialmente relevantes aqui. Deus é fiel, e Deus é bom.

i. Deus é fiel (1 Coríntios 10:13)

Lemos em 1 Coríntios 10:13: “Deus é fiel; ele não permitirá que você seja tentado além do que você pode suportar. Mas quando você for tentado, ele também providenciará uma saída para que você possa se levantar sob ela.” (1 Coríntios 10:13) A tentação é real e pode ser muito forte, mas Deus é fiel e nunca permitirá que você seja tentado além do que pode suportar. Ele sempre lhe dará uma saída.

ii. Deus é bom (Tiago 1:13)

Não só isso, mas Deus é bom. Lemos em [Tiago 1:13]: “Quando tentado, ninguém deve dizer: ‘Deus está me tentando’. Pois Deus não pode ser tentado pelo mal, nem tenta ninguém”. ([Tiago 1:13]) Deus é bom, o que significa que Ele não é tentado pelo mal e não tenta ninguém a fazer o mal. Por vezes, Deus pode permitir períodos de testes em sua vida, assim como Ele fez com Jesus. Contudo, Ele nunca o tentará a fazer o mal. O Espírito levou Jesus ao deserto, mas foi o diabo quem realizou a tentação.

C. Conheça a si mesmo

Conheça o seu inimigo, conheça o seu Deus e, em terceiro lugar, conheça a si mesmo. E há duas coisas que você precisa saber aqui.

i. Seus desejos são maus (Tiago 1:14-15)

Primeiramente, os seus desejos são maus. Tiago 1 afirma: “Mas cada um é tentado quando, por seu próprio desejo maligno, é arrastado e seduzido.” ([Tiago 1:14]) Se você é um cristão, recebeu novos desejos em Cristo, mas ainda tem esses desejos malignos antigos que lutam dentro de você também.

ii. Sua carne é fraca (Mateus 26:41)

Seus desejos são maus, e sua carne é fraca. Foi o que Jesus disse aos seus discípulos no Jardim do Getsêmani: “Vigiai e orai para que não caiais em tentação. O espírito está disposto, mas o corpo é fraco.” ([Mateus 26:41]))

Satanás conhece suas fraquezas e as atacará todas as vezes. Qual é a realidade da tentação? A realidade é que nenhum de nós está isento de tentação e, portanto, nem mesmo Jesus foi isento. Conheça o seu inimigo, conheça o seu Deus e conheça a si mesmo. Essa é a realidade da tentação.

2. A natureza da tentação. (Mateus 4:2-10 e Gênesis 3:1-6)

Em segundo lugar, quero falar sobre a natureza da tentação. Neste encontro entre Jesus e o diabo, temos um estudo de caso incrível em que podemos observar o inimigo e suas técnicas de perto. O diabo traz três tentações contra Jesus, e podemos aprender três coisas sobre a natureza da tentação com essas tentações.

A. Satanás tenta você através de seus desejos físicos (2-4)– [Deuteronômio 8:3]

Em primeiro lugar, Satanás tenta você através de seus desejos físicos. Vemos isso na primeira tentação nos versículos 2-4:

Depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, Jesus estava com fome. O tentador veio a ele e disse: “Se você é o Filho de Deus, diga a estas pedras para se tornarem pão”. (Mateus 4:2-3))

Observe que Satanás começa sua fala com as palavras: “Se você é o Filho de Deus”. Na semana passada, vimos no batismo de Jesus que Deus falou claramente do céu: “Este é o meu Filho, a quem eu amo, com ele me comprazo” ([Mateus 3:17]). Deus afirmou que Jesus era seu Filho, enquanto Satanás começa a lançar dúvidas.

Os quarenta dias e quarenta noites lembram-nos de Moisés no Monte Sinai e Israel no deserto. Contudo, eles possuem um propósito prático: quando Satanás tentou Jesus, este estava com fome. Jesus era o Filho de Deus, mas o seu corpo era tão humano quanto o nosso. Por isso, o seu corpo respondeu e exigiu comida tal como o nosso. Satanás atingiu Jesus onde este era fraco: com fome. Assim, tentou-o a transformar pedras em pão.

Da mesma forma, Satanás tenta você através dos seus desejos físicos. Muitos dos pecados que cometemos têm a ver com os desejos físicos que experimentamos em nossos corpos, como a tentação ao álcool, gula, preguiça ou luxúria. Já vimos anteriormente que somos tentados pelos nossos próprios desejos malignos. Jesus não tinha maus desejos, então Satanás o tentou no único ponto físico que pôde – o ponto de fome física depois que Deus ordenou que Jesus jejuasse.

Jesus respondeu: “Está escrito: ‘Nem só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus’”. (Mateus 4:4))

Jesus cita as Escrituras de [Deuteronômio 8:3], que fala sobre Deus dando maná a Israel no deserto. O ponto aqui é que somos mais do que apenas seres físicos. A resposta de Jesus nos ensina que a obediência à palavra de Deus tem mais importância do que todo desejo físico, mesmo quando você está com fome depois de não comer por quarenta dias! Satanás tenta você através de seus desejos físicos.

B. Satanás tenta você distorcendo a palavra de Deus (5-7)

Em segundo lugar, Satanás tenta distorcer a palavra de Deus para enganá-lo, como vemos na segunda tentação descrita nos versículos 5-7.

Então o diabo levou-o para a cidade santa e mandou-o ficar no ponto mais alto do templo. “Se você é o Filho de Deus”, disse ele, “jogue-se para baixo. Pois está escrito: “‘Ele ordenará aos seus anjos a seu respeito, e eles te levantarão em suas mãos, para que você não bata o seu pé contra uma pedra.’” (Mateus 4:5-6))

Jesus tinha acabado de citar as Escrituras para Satanás, então Satanás cita as Escrituras de volta! Satanás leva Jesus ao topo do templo em Jerusalém e o desafia a pular, com base em uma passagem do Salmo 91 que fala sobre a proteção de Deus para o seu povo. Se Deus o preservasse milagrosamente, seria um grande show, e muitas pessoas o homenageariam e glorificariam. Talvez até mesmo o reconhecessem como o Messias! Isso seria um grande momento do tipo “pessoal, olhem para mim!” – E Jesus faria uma última selfie pulando do templo.

O fato é que o Salmo 91 não foi escrito para encorajá-lo a fazer coisas perigosas como pular do topo dos templos ou na frente de trens em movimento. Ele é simplesmente uma afirmação poderosa de que Deus cuida do Seu povo e protege de todos os tipos de perigos.

Embora Satanás possa ter conhecido a Bíblia, Jesus a conhecia ainda melhor.

Jesus respondeu-lhe: “Também está escrito: ‘Não ponhais à prova o Senhor, vosso Deus.’” (Mateus 4:7))

Jesus cita [Deuteronômio 6:16] nesta passagem, que fala sobre os israelitas testando o Senhor no deserto. Aqui, Jesus demonstra um princípio importante quando se trata da Bíblia: é preciso ter cuidado para não tirar os versículos do contexto. A melhor maneira de garantir isso é comparando as Escrituras com as Escrituras.

Satanás tenta distorcer a palavra de Deus para fazê-lo entender mal, interpretar errado ou simplesmente ignorar as Escrituras. A palavra de Deus é uma luz para o seu caminho, e Satanás fará tudo o que puder para diminuir essa luz. Portanto, é importante estar atento e buscar um entendimento correto e preciso das Escrituras. Lembre-se de que Satanás tenta distorcer a palavra de Deus, mas cabe a você resistir a suas tentações e seguir o caminho da verdade.

C. Satanás te tenta com as coisas deste mundo (8-10)– [Dt 6:13]; [1 João 2:15-17]

E em terceiro lugar, o diabo tenta você com as coisas deste mundo. Isso é evidente na terceira tentação, conforme descrito nos versículos 8-10.

Mais uma vez, o diabo levou-o a uma montanha muito alta e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e seu esplendor. “Tudo isso eu lhe darei”, disse ele, “se você se curvar e me adorar”. (Mateus 4:8-9))

É possível questionar se Satanás seria capaz de cumprir essa oferta. Em certo sentido, ele tem a posse temporária deste mundo, mas em um sentido maior, Deus já é dono de tudo. Além disso, Deus já havia prometido tudo a Jesus quando este concluiu sua missão na terra. No mínimo, Satanás estava oferecendo a Jesus um atalho – uma forma de adquirir todos os reinos do mundo sem ter que passar pela cruz.

Satanás tenta nos seduzir com as coisas mundanas também. [1 João 2:16] identifica essas coisas como “os desejos da carne, a vontade dos olhos e a ostentação dos bens”. ([1 João 2:16]) O primeiro se refere aos nossos desejos, o segundo à cobiça e o terceiro ao orgulho. É interessante notar como essas três descrições das coisas mundanas se alinham com as três tentações de Jesus no deserto. A fome de Jesus estava relacionada aos desejos, os reinos do mundo estavam relacionados à cobiça e saltar do templo estava relacionado ao orgulho.

O objetivo da tentação é fazer você servir qualquer outra coisa além de Deus. Satanás exagerou nesta última tentação e Jesus lhe disse: “Longe de mim, Satanás! Pois está escrito: ‘Adorai ao Senhor, vosso Deus, e servi-Lo somente.’” ([Mateus 4:10]). Jesus citou as Escrituras para ele uma terceira vez, desta vez de [Deuteronômio 6:13]

Conforme mencionado anteriormente, a passagem bíblica do encontro de Jesus no deserto é um estudo de caso fascinante sobre como Satanás trabalha na tentação. É interessante notar que Satanás utilizou exatamente as mesmas três técnicas com Adão e Eva no Jardim. Ele os tentou por meio de seus desejos físicos, como quando Eva viu que o fruto da árvore era bom para alimento e agradável aos olhos (Gênesis 3:6). Ele os tentou distorcendo a palavra de Deus, como quando perguntou a Eva se Deus realmente havia dito que eles não deveriam comer de nenhuma árvore no jardim (Gênesis 3:1). E, finalmente, tentou-os com orgulho e com as coisas deste mundo, como quando disse que, ao comerem do fruto, seus olhos se abririam e seriam como Deus, conhecendo o bem e o mal (Gênesis 3:5).

Satanás é, sem dúvida, muito habilidoso na arte da tentação. Então, como é possível vencê-lo?

3. Vitória sobre a tentação (Mateus 4:11)

Com isso, chegamos à terceira e última parte da mensagem: vencer a tentação. Confira Mateus 4:11.

“Então o diabo o deixou, e anjos vieram e o atenderam.” (Mateus 4:11)

Jesus venceu Satanás e você também pode. Quando Jesus disse: “Sai daqui, Satanás!”, o diabo foi embora. Não seria ótimo se você também pudesse simplesmente mandar o diabo embora? Pois saiba que em Cristo você tem autoridade sobre Satanás e não precisa ceder à tentação. Para ajudá-lo nesta batalha contra o pecado, você conta com três recursos incríveis.

a. O poder da Palavra de Deus ([Salmo 119:9,11]; [Ef 6:17])

Primeiramente, é importante lembrar que você tem o poder da palavra de Deus. Você percebeu que todas as três vezes em que Satanás tentou Jesus, Ele respondeu com as Escrituras? A palavra de Deus é capaz de vencer a tentação e o pecado. O Salmo 119 diz: “Como pode um jovem manter puro o seu caminho? Vivendo de acordo com a tua palavra… Escondi a tua palavra no meu coração para que eu não pecasse contra ti.” ([Salmos 119:9,11])

[Efésios 6:17] chama a palavra de Deus de “a espada do Espírito”. Por isso, é fundamental que você leia, estude e memorize as Escrituras. A palavra de Deus e a oração são suas únicas armas ofensivas contra o inimigo. Como obter vitória sobre a tentação? Primeiramente, você tem o poder da palavra de Deus.

b. A autoridade de Jesus (Mt 28:18; Ef 6:10; Tiago 4:7)

Em segundo lugar, é importante lembrar da autoridade de Jesus Cristo sobre sua vida. De acordo com [Mateus 28:18], “Toda a autoridade no céu e na terra” foi dada a Jesus. É por isso que Satanás teve que ir embora quando Jesus o ordenou. Jesus tinha autoridade sobre ele. Lembre-se de que, como cristão, você também tem essa autoridade em Cristo.

É por isso que a passagem de Efésios 6:10, sobre vestir a armadura de Deus, começa com estas palavras: “Sede fortes no Senhor e no seu poderoso poder”. ([Efésios 6:10]) Isto é, você não pode lutar contra Satanás com suas próprias forças, pois ele é muito forte para você. Mas quando você é forte no Senhor e em Seu poder, aí é uma outra história.

[Tiago 4:7 diz:] “Submetam-se, pois, a Deus. Resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” ([Tiago 4:7]) Perceba que a condição é que você deve se submeter a Deus primeiro, ou seja, se submeter à autoridade de Cristo. Então, quando você resistir ao diabo, Deus diz que o diabo fugirá de você, assim como ele fugiu de Cristo.

c. A misericórdia de Jesus ([Hebreus 2:18], [4:15-16]))

Então, como você pode vencer a tentação? Utilize seus recursos! Você tem o poder da palavra de Deus, a autoridade de Jesus e a misericórdia dele. Como [Hebreus 2:18] nos ensina: “Pois, tendo em vista que ele mesmo foi tentado, é capaz de ajudar aqueles que também estão sendo tentados”. Lembre-se de que, como [Mateus 4:1] nos mostra, o Espírito levou Jesus ao deserto para que Ele pudesse ser tentado pelo diabo e, assim, estar pronto para ajudá-lo quando você for tentado. Confie em seus recursos e você terá a vitória!

O Livro de Hebreus 4 afirma com confiança: “Não temos um sumo sacerdote que não possa compreender as nossas fraquezas. Pelo contrário, temos um que foi tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Portanto, aproximemo-nos do trono da graça com confiança, para que possamos receber misericórdia e encontrar graça, a fim de sermos ajudados em nosso tempo de necessidade.” ([Hebreus 4:15-16]))

Como você obtém vitória sobre a tentação? Você tem à sua disposição três recursos incríveis: o poder da Palavra de Deus, a autoridade de Jesus e a misericórdia de Jesus. Não hesite em usá-los com confiança!

CONCLUSÃO:

A vida cristã é muitas vezes três passos para frente, dois passos para trás. Embora as tentações sejam inevitáveis e todos nós saibamos o que é falhar, podemos confiar na graça de Deus para nos levantar quando caímos. O sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado, como está escrito em 1 João 1:7. Sim, há tentações por aí, mas podemos encontrar força naquele que nos fortalece. Jesus nos mostrou o caminho para a vitória, e é hora de começar a vencer as tentações com confiança.

O texto fala sobre como Satanás tentou Jesus no deserto e como ele tenta as pessoas hoje em dia. Satanás usa três técnicas: tentando através dos desejos físicos, distorcendo a palavra de Deus e oferecendo as coisas deste mundo. Jesus venceu Satanás citando as Escrituras e resistindo à tentação. Para vencer a tentação, é importante lembrar que você tem o poder da palavra de Deus, a autoridade de Jesus e a misericórdia dele. A vida cristã é uma batalha, mas podemos encontrar força em Deus para vencer as tentações com confiança.

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.