como amo a sua lei - white printer paper

Encontrando felicidade verdadeira na Lei do Senhor | Salmo 119

Introdução: Hoje, vou pregar sobre o Livro dos Salmos, especificamente o Salmo 119, versículos 1 a 8 que nos ensina a respeito da verdadeira felicidade.

Porém, antes de fazer a exposição, me permitam falar sobre nosso Plano de Leitura Bíblica. Já percorremos os livros de Gênesis, Jó e Êxodo, e agora chegamos ao livro de Levítico.

Plano de Leitura Bíblica

Muitas pessoas que iniciam seus planos de leitura da Bíblia, mesmo com as melhores intenções, falham miseravelmente ao chegar neste livro repleto de descrições minuciosas sobre como os israelitas deveriam adorar, o que podiam comer e vestir.

O livro de Levítico é difícil para os cristãos entenderem e apreciarem devido a três principais razões:

  1. O contexto cultural do livro é muito diferente do atual. Por exemplo, nós moramos em apartamentos, eles moravam em tendas. Em Levítico 19:19, há a proibição de usar roupas de dois materiais, algo estranho para nós.

  2. O contexto literário maior do livro, que logo vem depois de Êxodo 25-40, é em grande parte focado em instruções para a construção do tabernáculo. A maioria dos cristãos acha isso muito tedioso.

  3. O conteúdo focado na lei quase não tem histórias cheias de tensão e trama como vimos em Gênesis e Êxodo, o que pode ser menos interessante para alguns.

No entanto, como cristãos, compreendemos que o Levítico é a palavra de Deus para o nosso benefício. Na verdade, acreditamos que o Levítico — assim como todo o Antigo Testamento — nos auxilia a entender melhor a obra de Cristo.

Compreendendo Levítico

É necessário compreendermos o Levítico em seu contexto original, ou não seremos capazes de aplicá-lo hoje. Por exemplo, quando você lê algo sobre uma questão cultural, como usar roupas de dois materiais, perceberá que isso fará muito sentido quando você se lembrar que as vestes sacerdotais eram de materiais mistos. Aplicando aos nossos dias, entendemos que isso é ressignificado sobre respeitar o papel único dos líderes da igreja.

Quando você lê algo sobre o contexto literário, deve se lembrar que Levítico é parte de uma história maior, que começa a ser contada em Êxodo. Levítico explica sacrifícios, fornece sacerdotes, dá leis sobre impureza e fornece uma cerimônia anual para remover impurezas, orientando-os a viver como “reino de sacerdotes e nação santa”. Isso pode ser interpretado como um chamado para os cristãos a viverem vidas santas e dedicadas a Deus, refletindo Seu amor e justiça em todas as áreas de suas vidas.

Em termos de direito, vimos que a lei do Senhor não veio antes da redenção, mas depois dela. A lei dada através dos 10 mandamentos em Êxodo 20 e em todo o livro de Levítico não é para salvação, mas um guia para a vida como o “reino dos sacerdotes e da nação santa”.

A obediência à lei do Senhor sempre fluirá da graça. Porque a lei é mais uma entre os vários meios de graça do Senhor. De fato, a lei é um presente de Deus para o povo de Deus. A lei nos ajuda a entender Jesus. E é isso que autor de Hebreus está constantemente argumentando: “Se você realmente quer entender quem é Jesus, e o que Jesus fez, e o quanto ele é MAIOR do que qualquer outra coisa, então você precisa entender Levítico!”

Então, meu querido, não desista do Plano Bíblico. Você já avançou bastante! A perseverança e a disciplina são grandes aliadas do crente.

Pregando no Salmo 119 – Um tributo a Lei do Senhor

Bem… Uma vez dito e entendido isso, faz todo o sentido pregar no Salmo 119, que é o salmo mais longo da Bíblia. E sobre o que se trata o Salmo 119?

O Salmo 119 é uma verdadeira celebração da lei do Senhor. É como se fosse um tributo à lei. O salmista o entendeu como um dom e, como qualquer um dos dons do Senhor, sentiu prazer na lei (cf. v. 24) e intenso desejo pela lei (cf. v. 20).

Estrutura do Salmo 119

O Salmo 119 é dividido em 22 seções, cada uma correspondendo a uma letra do alfabeto hebraico. Cada seção tem oito linhas no texto hebraico, e cada linha começa com a letra do alfabeto correspondente.

Esta primeira seção é associada à letra hebraica Álef, que é semelhante à nossa letra A. Nesta parte, as oito linhas do versículo começam com uma palavra que se inicia com a letra Álef em hebraico. Esta seção fala principalmente sobre a felicidade daqueles que seguem a palavra de Deus e que desejam seguir a palavra de Deus.

Vamos explorar isso, começando pelos dois primeiros versos desta seção, Salmo 119 versos 1 e 2.

1 Como são felizes os íntegros, os que seguem a lei do Senhor! 2 Como são felizes os que obedecem aos seus preceitos e o buscam de todo o coração.

Este magnífico Salmo, composto por 176 versos, começa com a afirmação “Como são felizes os íntegros”. O salmista inicia descrevendo a felicidade humana com a ideia de que a integridade é uma verdadeira bênção.

A Felicidade na Integridade

Há muitas pessoas, tanto do passado quanto do presente, que acreditam que uma vida vivida de acordo com o primeiro verso, com integridade, é chata. Elas acreditam que, se não houver impureza em nós, a vida não pode ser realmente divertida. No entanto, aquele que segue a palavra de Deus conhece a verdadeira alegria de viver e apreciar uma vida íntegra.

Podemos dizer de maneira simples: Deus é abençoado. Você consegue pensar em alguém mais abençoado no universo do que o próprio Deus? E Ele quer que compartilhemos de sua alegria. Sua palavra nos guia para compartilhar um pouco da felicidade de Deus, algo que encontramos ao manter a integridade em nosso caminho.

Estudos e Pesquisas sobre a Felicidade

Se quisermos trazer essa ideia para o mundo atual, estudos e pesquisas indicam consistentemente que as pessoas que vivem suas vidas de acordo com os padrões de Deus são muito mais felizes, têm muito mais prazer na vida e são muito mais satisfeitas.

No entanto, a ilusão ainda persiste entre nós. Muitas pessoas acreditam que uma vida sem regras é mais divertida, mas isso não é verdade. Na realidade, a pessoa abençoada é aquela que mantém a integridade em seu caminho.

A Necessidade de Instrução Divina

Precisamos que Deus nos ilumine sobre o caminho para uma vida plena, e isso está focado em ser, para retomar a expressão do primeiro versículo, íntegro em nosso trajeto.

James M. Boyce falou a respeito:

“Por que não somos felizes? A razão pela qual não somos felizes é que pecamos. E a principal razão pela qual pecamos tanto é que não conhecemos a Bíblia suficientemente bem. Sem ser instruídos por Deus, os seres humanos não sabem como alcançar a felicidade. Precisamos da instrução da palavra de Deus se realmente quisermos ser felizes.”

O Caminho da Felicidade

Portanto, felizes são os íntegros, que conforme aponta o primeiro verso, andam na lei do Senhor. Na mente do salmista, há uma conexão forte e definitiva entre ser íntegro e andar na lei do Senhor. Andar na lei do Senhor é, de fato, ser íntegro na vida.

É interessante notar que nunca saberíamos o que é uma vida pura se Deus não nos informasse. Certamente, alguns aspectos de uma vida pura são revelados na consciência humana e são amplamente reconhecidos pela humanidade. No entanto, existem outros aspectos da vida pura que só aprendemos a partir da palavra de Deus.

A Lei do Senhor e a Integridade

Na segunda parte do verso 1, o salmista menciona a lei do Senhor. Esta é a primeira vez que alguém usou de uma frase referindo-se à revelação escrita de Deus neste Salmo.

O autor demonstra repetidamente seu apreço pela Palavra de Deus, referindo-se a ela de diversas maneiras: lei, mandamentos, estatutos, entre outros. Isso evidencia o quanto ele ama, respeita e considera a Palavra de Deus importante. Ele utiliza um vocabulário extenso para descrever a Palavra de Deus em toda a sua amplitude. No primeiro versículo desta seção, ele usa a palavra “Torá” para se referir à “lei” do Senhor.

G. Campbell Morgan afirmou que “Torah” é a palavra principal que os hebreus usam para se referir à lei. Esta palavra é usada para descrever a primeira divisão da Bíblia, conhecida como Pentateuco ou os primeiros cinco livros de Moisés. No entanto, ao longo do Salmo 119, a referência à lei do Senhor não se limita apenas a estes cinco livros, mas abrange a totalidade da revelação escrita de Deus.

O Valor da Lei

Charles Spurgeon, ao comentar sobre a ideia de alcançar a verdadeira felicidade e manter a integridade seguindo a lei do Senhor, destacou que para experimentar essa felicidade, a conduta sagrada precisa se tornar um hábito. E este exercício de fé é bem diferente de uma religiosidade superficial. Portanto, não basta apenas evitar

o mal e o comportamento errôneo, é preciso haver avanço e prática constante na vida cristã para experimentar a verdadeira felicidade.

Versículo 2: A Felicidade na Obediência

Continuando no versículo 2,

“Como são felizes os que obedecem aos seus preceitos e o buscam de todo coração.”

Obedecer os preceitos de Deus é praticamente o mesmo que andar na lei do Senhor. Nesse trecho, notamos uma característica marcante da poesia hebraica, que é o paralelismo. Este é um recurso que realça e clarifica ideias por meio da repetição. O salmista diz: “Como são felizes aqueles que obedecem os seus preceitos”. Ele está frisando que seguir não é apenas ouvir ou ler, mas também agir. Não basta apenas ter conhecimento da palavra de Deus, é importante colocá-la em prática. Como observou o comentarista puritano John Trapp, “para sermos verdadeiramente felizes, precisamos viver os preceitos de Deus, não apenas refletir sobre eles”.

Charles Spurgeon, em sua análise “Os Tesouros de Davi”, explica que a verdadeira felicidade pertence àqueles que valorizam a palavra de Deus. Isso significa que devemos nos aprofundar nas escrituras, entender o seu propósito, amá-las e constantemente colocá-las em prática. Antes de guardar algo em nosso coração, precisamos entender bem o que é. Para realmente abraçar a palavra de Deus, devemos acolhê-la com carinho e amor.

Se alguém deseja buscar a Deus com todo o coração, é imprescindível um estudo dedicado da Sua palavra escrita. Claro, existem formas válidas e importantes de buscar a Deus além da Sua palavra, como através da oração, da adoração, do jejum, servindo aos outros, e assim por diante. Mas, se essas práticas não incluírem a busca de Deus em e através da Sua palavra, elas podem nos levar por caminhos equivocados. Por exemplo, você pode orar, mas como saber se está orando da forma correta? Lendo a palavra de Deus. Você pode adorar, mas como saber se está adorando de forma correta? Lendo a palavra de Deus.

Buscar a Deus com todo o coração não significa apenas uma busca emocional ou sentimental, mas também envolve um profundo interesse na Sua palavra. A ênfase aqui é no coração. Não podemos buscar a Deus corretamente apenas com a mente, é preciso envolver o coração. Nós amamos o Senhor nosso Deus com todo o nosso coração, toda a nossa alma e toda a nossa mente, mas o amor não pode parar na mente. Existe um sentido em que é o nosso amor por Deus e Sua palavra que nos proporciona um maior entendimento.

A Busca Completa por Deus

Charles Spurgeon, no mesmo comentário, disse algo maravilhoso:

“O amor se revela ao amor. Deus manifesta o seu coração ao coração de seu povo. É inútil tentar compreendê-lo apenas pela razão. Devemos apreende-lo pela afeição.”

Ele enfatiza que é essencial envolver todo o nosso coração. Deus é singular e só conseguiremos conhecê-lo profundamente quando buscarmos a Ele com todo o nosso coração. Esta busca é um desafio quando o coração está dividido, mas não quando está quebrantado. Se o seu coração está quebrantado, entregue-o a Deus e você o encontrará. Mas é preciso alinhar o coração dividido diante d’Ele.

Versículo 3: Andar nos Caminhos de Deus

Continuando no versículo 3, ele diz:

“Não praticam o mal e andam em seus caminhos.”

A mensagem dos versículos um e dois é reforçada aqui. Aqueles que valorizam e seguem os ensinamentos de Deus e que mantêm a pureza em seu comportamento, também não cometem iniquidade. Há uma pureza e uma bondade que marca a vida daqueles que realmente amam e aprendem com a palavra de Deus. Eles fazem o que o versículo 3 nos orienta, seguem os caminhos de Deus. Eles descobriram esses caminhos através da escritura sagrada, mas é através dela que Deus também concede a graça e a força para seguirmos Seus caminhos.

Versículos 4-8: A Oração do Salmista

Vamos agora considerar do versículo 4 até o final desta seção. Começando no versículo 4 e indo até o 8:

4 Tu nos encarregaste de seguir fielmente suas ordens. 5 Meu grande desejo é que minhas ações sempre reflitam teus decretos. 6 Então não ficarei envergonhado quando meditar em todos os teus mandamentos. 7 Eu te darei graças por viver corretamente, à medida que aprender os seus justos estatutos. 8 Obedecerei a teus decretos; por favor, não desistas de mim!

O salmista estabeleceu uma ligação entre a obediência a Deus e as bênçãos que isso traz para o obediente. Em outras palavras, ele nos mostra que Deus nos pede para seguirmos Seus ensinamentos não apenas para honrá-Lo, mas também porque isso nos leva ao caminho da bênção. E por que Deus deseja nossa obediência? Porque é bom para nós obedecê-Lo. Deus nos conhece, Ele nos criou de uma forma específica e, por isso, nos orienta a seguir Seus ensinamentos com afinco, como mencionado no versículo 4, para que possamos viver uma vida cheia de bênçãos.

A Oração do Salmista

A partir do quarto versículo, vemos que o salmista começa a falar diretamente com Deus em oração. Nos primeiros três versículos, ele estava apenas comentando, mas agora faz uma oração, que manterá durante a maior parte do salmo. Isso mostra que o autor deste salmo não era apenas um estudioso da Bíblia, mas também um homem de oração.

Ele diz: “o Senhor nos encarregou de seguir fielmente tuas ordens”. Repare que Deus não nos mandou criar as ordens, mas seguir as que Ele já deu. Algumas pessoas parecem empenhadas em criar regras, sobretudo na igreja. Elas criam regras que vão além do que Deus determinou. Nós, porém, fomos orientados a seguir os preceitos de Deus, e não a criar novos. E então, pensando nisso, ele exclama no versículo 5:

“Meu grande desejo é que minhas ações sempre reflitam teus decretos.”

Isso não era só um desejo, era também uma oração pedindo forças para obedecer à palavra de Deus.

O salmista reconhece que, independentemente da obra de Deus em nós, nos falta a capacidade de cumprir Seus mandamentos. Neste ponto, o salmista estabelece uma relação pessoal. Ele interage com o Deus vivo sobre Sua principal forma de se revelar a nós. A palavra escrita de Deus não é a única maneira pela qual Ele se revela, mas é a principal, a mais específica e a mais vital.

Versículo 6: Meditar nos Mandamentos

Continuando no versículo 6:

“Então não ficarei envergonhado quando meditar em todos os teus mandamentos.”

O salmista também conhecia a vergonha que surge quando comparamos nossa vida ao padrão estabelecido pela palavra de Deus. Ao olhar para o que Deus me diz neste livro e ao refletir sobre minha própria vida, eu digo: “Senhor, não quero sentir vergonha”. Quero orar pelo poder de viver uma vida sem ter do que me envergonhar. E então, quando isso acontece, o impacto do versículo 7 se torna real na minha vida:

“Eu te darei graças por viver corretamente, à medida que aprender os seus justos estatutos.”

O salmista considerava importante não só louvar a Deus, mas fazê-lo com retidão de coração. Ele não desejava oferecer a Deus uma expressão de louvor ou um momento de louvor, quando o restante de sua vida não demonstrava retidão.

Versículo 8: Obedecer aos Decretos

Ele diz com determinação no versículo 8:

“Obedecerei a teus decretos; por favor, não desistas de mim!”

Essa era uma promessa de zelar e cuidar dos ensinamentos de Deus, a palavra escrita de Deus. Queridos irmãos e irmãs, essa é, em parte, nossa missão. Precisamos zelar e cuidar da palavra de Deus. Não que a palavra de Deus não possa se defender sozinha, mas ao proclamarmos e deixarmos a palavra de Deus em evidência, estamos dando a ela a chance de se manifestar.

Porém, nunca podemos esquecer que, de fato, somente Jesus Cristo poderia dizer: “Eu obedecerei os teus decretos”. Jesus, que foi o maior obediente da palavra de Deus, foi ele quem realmente conseguiu viver em total conformidade com os ensinamentos de Deus.

Por fim, eu realmente gosto de como essa primeira seção do Salmo 119 termina:

“Por favor, não desistas de mim.”

Aqui, percebe-se uma certa angústia no salmista. Ele valoriza e ama a palavra de Deus, mas está plenamente consciente de sua própria limitação para viver de acordo com essa palavra, sem a ação de Deus em sua vida. Se Deus o abandonasse, ele se sentiria completamente perdido.

Então, esse coração que clama: “Por favor, não desista de mim”, é um coração que anseia por estar perto de Deus. Quero lembrar que o autor do Salmo 119 não era um mero estudioso frio da Bíblia. Ele verdadeiramente amava a Deus e desejava estar próximo a Ele. E por isso ele tinha tanto amor pela palavra de Deus.

O Salmo 119 e Jesus Cristo

Como esta

seção do Salmo 119, versos 1 a 8, aponta para Jesus Cristo? Jesus é o homem mais abençoado de todos. Nos dois primeiros versos, quando se lê:

“Abençoados são os íntegros no caminho, que andam na lei do Senhor. Abençoados os que guardam os seus testemunhos, e o buscam de todo o coração.”

Pense em quão abençoado Jesus era e é, o Filho imaculado de Deus.

Se alguém viveu toda a sua vida de maneira íntegra e andou na lei do Senhor, esse alguém foi Jesus. Ele desfrutou dessa bem-aventurança. Se alguém, com todo o seu ser, guardou os testemunhos de Deus e buscou o Senhor de todo o coração, esse alguém foi Jesus. Jesus é o homem mais abençoado de todos. E à medida que permitimos que Jesus viva em nós e através de nós, à medida que permitimos que seu amor pela palavra de Deus nos preencha, também conheceremos um pouco dessa bem-aventurança. Vamos considerar isso enquanto continuamos na segunda seção do Salmo 119.

Oração

Senhor, agradecemos por Tua palavra e pelos ensinamentos que por meio dela recebemos. Ajuda-nos a caminhar em Tua lei e a buscar-Te de todo o nosso coração. Concede-nos a graça e a força para vivermos uma vida íntegra e a obedecer aos Teus estatutos. Que possamos valorizar e amar a Tua palavra como o salmista, e que através dela possamos aproximar-nos mais de Ti. Pedimos-te que não desistas de nós, mesmo em nossas fraquezas e limitações. Agradecemos pelo exemplo de Jesus, o mais abençoado e íntegro, que guardou Teus ensinamentos e Te buscou com todo o seu coração. Ajuda-nos a seguir Seu exemplo e a permitir que Seu amor pela Tua palavra preencha nossos corações. Em nome de Jesus, amém.

Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *