Lc 22. 31-34 – O Fracasso e a restauração de Pedro

Lc 22. 31-34 – O Fracasso e a restauração de Pedro

 

Desde quando comecei a cuidar de pessoas há muito tempo atrás, tenho ouvido e até conhecido vários pastores e pregadores famosos que falharam e seus pecados se tornaram públicos. Lembro-me de que nessas ocasiões, não sentia muito compaixão por eles, pois pensava que a extravagância excessiva que eles adotaram em seus ministérios de alguma forma os levou a seus fracassos. Olhando para trás, acho que eu estava espiritualmente presunçoso sobre os pecados alheios. 

Porém, não muitos anos atrás, um grande amigo também falhou e eu fiquei muito triste chateado porque eu o tinha ouvido pregar várias vezes. Ele era um dos meus heróis espirituais. Nesse mesmo período, um pastor que estava me acompanhando de perto, implodiu e depois simplesmente desapareceu. Lembro-me de pensar: “Como tudo isso pôde acontecer tão de repente?” 

Hoje, com um pouquinho mais de experiência, acho que eu consigo encontrar uma resposta para essas coisas. Gostaria de começar ilustrando algo que aconteceu no pneu da minha bicicleta (na vdd, a bike é do meu filho João). Eu não tinha andado de bike durante todo o inverno. Porém, no primeiro dia da primavera, quando fui tirar a bicicleta da garagem, notei que os pneus estavam vazios. 

Alguém já passou por isso? Alguém aqui já teve um vazamento em um pneu da bike ou do carro? Tipo, Às vezes é difícil descobrir de onde o vazamento está vindo, mas o ar de alguma forma está escapando lentamente. O bicicleteiro me disse que os pneus podem simplesmente perder o ar ao longo do tempo, mesmo que não haja furos presentes. 

Por que estou contando isso? Por que creio que Pedro experimentou alguns vazamentos lentos em sua vida espiritual. 

Em Lucas 22: 31-34, aprendemos que Deus perdoa os nossos fracassos. Lemos Jesus dizer a Pedro:

― Simão, Simão, eis que Satanás pediu para peneirar vocês como se faz com o trigo. Contudo, eu orei por você, para que a sua fé não desfaleça. Quando, porém, você se converter, fortaleça os seus irmãos. Ele, porém, respondeu: ― Senhor, estou pronto para ir contigo tanto para a prisão como para a morte. Jesus respondeu: ― Eu lhe digo, Pedro, que ainda hoje, antes que o galo cante, três vezes você negará que me conhece.’”.

Lucas 22: 31-34

Vamos retirar duas verdades da passagem: 

1. Satanás é o nosso adversário.

A primeira verdade é que Satanás está lá fora querendo nos tirar do jogo. Assim como ele fez com Pedro, ele quer nos peneirar também.

A palavra “peneira” usada aqui é um termo agrícola. Quando o trigo era colhido, o grão era esmagado e, em seguida, o trigo era jogado ao ar para soprar o joio para longe. Eles então colocavam o grão em uma caixa quadrada coberta de rede, viravam-no de cabeça para baixo e começavam a sacudi-lo violentamente. A ideia é que toda a sujeira e lixo caiam, deixando para trás apenas o grão limpo. 

Ou seja, Satanás está lá fora esperando para nos virar de cabeça para baixo e nos sacudir em pedaços. Pedro que experimentou na própria pele esse processo, nos diz em sua primeira carta 1 Pedro 5: 8 para

Estarmos em alertas e vigiar. Pois, o Diabo, o adversário de vocês, ronda como um leão, rugindo e procurando a quem devorar.

1 Pedro 5: 8

E em Apocalipse 12: 10 nos é dito que Satanás acusa os crentes dia e noite. Ou seja, por trás de cada falha espiritual há um inimigo espiritual. 

Agora, você não acha muito interessante que Jesus permitiu que o Adversário atacasse um discípulo? Veja bem, por que Jesus simplesmente não disse a Satanás para cair fora? Acho que eu também sei o porquê. Jesus sabia que Pedro acabaria lucrando com isso, embora passar por isso seria bastante doloroso. A verdade é que Satanás está em uma coleira curta e não pode ir além do que Deus permite. 

2. Jesus é o nosso Advogado. 

A segunda verdade do nosso texto é que Jesus está intercedendo por nós. Ele disse a Pedro:

“Eu orei por você, para que a sua fé não desfaleça.”.

Você não acha curioso que embora Satanás persiga a todos os crentes, ele foca especialmente nos líderes, vendo-os como uma ameaça? Pedro era o líder dos discípulos e se o diabo conseguir abalar a fé dele, muitos outros se desencorajarão.

É muito interessante que Jesus não orou para que Pedro escapasse da prova, mas sim para que sua fé se mantivesse firme durante a provação.

Aqui, é essencial entendermos que Jesus disse a Simão que estava orando por ele. Querido, saiba que Jesus intercede por você, conforme Hebreus 7:25 destaca isso: “Ele (Jesus) vive sempre para interceder por eles.” O Senhor sabia que Pedro vacilaria, porém tinha a certeza de que essa falha seria momentânea; de que Pedro não desistiria para sempre.

Agora, eu consigo ver nessa passagem um processo de três etapas que levou à recuperação de Pedro. 

• A primeira etapa foi da Rebelião: Jesus disse a Pedro que ele se afastaria: “Eu lhe digo, Pedro, que ainda hoje, antes que o galo cante, três vezes você negará que me conhece”.

• A segunda etapa foi do Arrependimento: Jesus disse a Pedro que ele voltaria atrás: “(32) E quando você se converter, Pedro”. Eu amo que Jesus use a palavra “quando” para se referir a Pedro voltando atrás. Não há dúvida de que ele se arrependerá. 

• A terceira etapa foi a Restauração: Jesus disse a Pedro que ele teria uma reviravolta e acabaria por “fortalecer seus irmãos”. 

Rebelião 

Então, primeiramente, embora a negação de Pedro a Cristo tenha sido uma enorme explosão espiritual, na verdade houveram alguns vazamentos acontecendo antes disso. Esses tipos de vazamentos são muitas vezes invisíveis, silenciosos e passam desapercebidos… pelo menos no início.

Aqui estão alguns que vêm à mente. (Quando eu apresentá-los deixe o ar sair. Ok?)

1. Pedro estava orgulhoso. [Deixe o ar sair] 

Os discípulos tinham acabado de discutir sobre quem era o maior. Em João 13: 37, Pedro disse que daria a vida por Cristo. Em Lucas 22: 33, Pedro declarou sua disposição de ir com Jesus “para a prisão e para a morte”. 

Cheio de orgulho, Pedro proclamou em Mateus 26: 33: “Ainda que todos te abandonem, eu nunca te abandonarei.” Pedro achava que era melhor do que todo mundo. 

Então, lá em Marcos 14: 31, o orgulho de Pedro fica tão inflado, do tamanho da bola do Quico (Personagem de Chaves). Ele encheu os pulmões para contradizer o que Cristo estava falando. Ele exclama: “― Mesmo que seja preciso que eu morra contigo, nunca te negarei”.

Portanto, precisamos estar em guarda contra o orgulho em nossas vidas, e fazer isso observando os conselhos de Paulo aos Coríntios: “aquele que considera estar de pé, cuide‑se para que não caia!” (1 Coríntios 10: 12:)

O segundo esvaziamento é que:

2. Pedro estava sem oração. [Deixe o ar sair] 

Em Lucas 22: 45 vemos que Simão dormiu em vez de guerrear em oração. No versículo 46, Jesus lhes diz que a oração pode mantê-los longe da tentação: “Levantem‑se e orem para que vocês não caiam em tentação.” Sem oração, não há poder para lutar. 

O terceiro esvaziamento é que

3. Pedro foi impetuoso. [Deixe o ar sair] 

Pedro estava propenso a reagir de acordo com seus sentimentos, não por sua fé. Aqui, Pedro foi muito semelhante a Sansão: “Movido pela emoção, não guiado pelo Espírito”. Uma evidência clara disso é encontrada em João 18: 10, onde lemos que Simão pegou uma espada e cortou a orelha de um servo e depois fugiu com medo. 

O quarto esvaziamento é que

4. Pedro estava predisposto. [Deixe o ar sair] 

Embora parecesse que Pedro estava muito engajado, acredito que algo o impedia de se dedicar completamente a Cristo. Não consigo identificar exatamente o que é, mas para usar a linguagem das redes sociais, Pedro parecia mais um “contato” de Jesus do que um amigo e seguidor verdadeiro.

O versículo 54 de Lucas diz que “Pedro seguia Jesus à distância”. 

Agora… E quanto a você? Existem alguns vazamentos lentos acontecendo em sua vida agora? E quanto a mim também? Eu preciso me fazer essa pergunta também! 

Bom, o capítulo 26 de Mateus nos mostra como Pedro lidou com essa pressão. Se você prestar atenção, você será capaz de ouvir mais ar assobiando de seus pneus espirituais. 

Negação

• A primeira negação #1: 

Mateus 26:69-70:

“Pedro estava sentado no pátio, e uma criada, aproximando‑se dele, disse: ― Você também estava com Jesus, o galileu. Contudo, ele negou diante de todos, dizendo: ― Não sei do que você está falando.

Mateus 26: 69-70:

É difícil acreditar que este era o mesmo cara que tinha acabado de arrancar a orelha de um servo. 

• A segunda negação #2 

71Depois, saiu em direção à porta, onde outra criada o viu e disse aos que estavam ali: ― Este homem estava com Jesus, o Nazareno. 72E ele, jurando, negou outra vez: ― Não conheço esse homem!

Mateus 26: 71-72

Pedro agora se levanta e se move em direção à porta. Pedro faz um juramento e se refere a Jesus como o “homem”, como se Ele fosse um completo estranho para ele, e usa uma expressão que transmite desprezo. 

• A terceira negação #3 

Cerca de uma hora depois (cf. Lucas 22: 59) lemos em Mateus 26: 73-74:

73Pouco tempo depois, os que estavam por ali chegaram a Pedro e disseram: ― Certamente você é um deles. O seu modo de falar o denuncia. 74Aí ele começou a amaldiçoar e a jurar: ― Não conheço esse homem! Imediatamente, o galo cantou. 

Mateus 26: 73-74

Os galileus eram descuidados com suas vogais e não conseguiam diferenciar claramente as várias consoantes guturais. mais ou menos como as pessoas de São Paulo falam. Enquanto Satanás peneirava, Pedro ficou todo deslocado e impaciente… e então Seu fracasso foi exposto… o calor da sua vergonha queimava e o fedor do seu pecado e impregnou sua vida… mas isso não foi o fim para ele.

 Vamos ver agora alguns passos de arrependimento que Pedro tomou. 

Arrependimento 

1. Falou a sua consciência. 

Enquanto Pedro está amaldiçoando Jesus, ele ouve um galo cantar. Eu o imagino congelando no meio da frase porque a última parte do versículo 74 indica que isso aconteceu “imediatamente” após sua terceira negação. Mateus 26:75: “Então Pedro lembrou-se da palavra que Jesus havia falado: ‘Diante do galo cantar, tu me renegarás três vezes’. E ele saiu e chorou amargamente.” Pedro lembrou-se do que Jesus havia dito. Preciso dizer e expressar que de vez em quando é bom nos sentimos mal. A nossa consciência é um dom de Deus; Ele pode usar nossa culpa para nos trazer de volta ao que é bom. 

2. Olhar de amor.

No ponto da negação de Pedro, Jesus fixa Seu olhar gracioso em Pedro. Isso é retratado poderosamente no filme Paixão. Lucas 22:61 indica que “o Senhor se virou e olhou diretamente para Pedro”. Com o rosto coberto de cuspe e machucado pelos golpes que recebeu, Pedro vê dor… e vê perdão. O olhar de amor de Seu Senhor partiu o coração orgulhoso de Pedro. Romanos 2:4 nos lembra que, quando consideramos a bondade de Deus, devemos ser levados ao arrependimento: “Ou mostrais desprezo pelas riquezas da sua bondade, tolerância e paciência, não percebendo que a bondade de Deus vos leva ao arrependimento?” As palavras da parte final do música Center diz o seguinte: “Volte os seu olhos pra Jesus, olhe para o seu rosto maravilhoso. E as coisas da terra se tornarão estranhamente fúteis à luz de Sua glória e graça.” 

3. Quebrantamento doloroso.

Isso fez com que Pedro corresse para fora e chorasse amargamente enquanto as palavras que Jesus falava consumiam sua consciência. Marcos 14:72 indica que Pedro “desmoronou e chorou” continuamente. Esta palavra significa que ele chorou violentamente. 

Vamos ler 2 Coríntios 7:10: “A tristeza piedosa traz arrependimento que leva à salvação e não deixa arrependimento, mas a tristeza mundana traz a morte.” O caminho para a restauração requer arrependimento. Lembro de uma citação de um teólogo que diz que, embora você não possa despecar, você pode se arrepender. 

Eu me pergunto se você se sente um pouco como Pedro hoje. Você falhou e sente que não pode ser perdoado. Talvez seu casamento esteja uma bagunça ou talvez uma amizade tenha se desmantelado. Talvez você esteja passando muitas dificuldades na sua escola, no seu trabalho  tenha sido reprovado ou demitido do seu emprego… ou quem sabe seu negócio seja um fracasso. Talvez seus pais não sejam como você queria. Talvez seus filhos estejam te dando muito trabalho. Seu namorado, seu noivo, seu marido… Talvez nesse exato momento, esteja um vazamento lento esteja acontecendo ou talvez você esteja aqui hoje logo depois de ter tido uma explosão nos seus pneus espirituais. Se é o seu caso, então mova-se da rebelião para o arrependimento para que você possa ser restaurado. 

Eu amo a verdade que é encontrada em Provérbios 24:16: “Porque, embora um homem justo caia sete vezes, ele ressuscita.” 

Restauração 

Depois que Jesus foi morto, os discípulos ficam com medo e se escondem – eles não têm certeza do que vai acontecer com eles agora. Três dias depois, no domingo de Páscoa, Jesus ressuscita dos mortos e começa a aparecer para muitas pessoas. 

Eu amo o que o anjo disse às mulheres que vieram ao sepulcro vazio em Marcos 16:7: “Mas vão, digam aos seus discípulos e a Pedro: ‘Ele está indo à frente de vocês para a Galiléia. Lá o verás, assim como Ele lhe disse’”. O anjo queria que Pedro recebesse a notícia de que Jesus estava vivo. 

Esta mensagem personalizada do anjo foi projetada especialmente para alguém que se sentiu o fracasso na pele. Em João 21, lemos que Pedro ainda está aborrecido, então ele decide ir pescar com seus amigos. Talvez se ele fizer alguma coisa naquilo que ele é bom, ele começará a se sentir melhor. – Tô numa bad gigante! Vou fazer aquilo que eu sou bom pra ver se dou uma animada… (esse foi o pensamento de Pedro). Mas eles passaram a noite toda e não pegaram nada. Veja só como são as coisas. É sempre insatisfatório voltar ao modo como você vivia antigamente. Pedro está agora em queda livre, na ladeira abaixo do fracasso. Ele não conseguiu sequer pegar uma sardinha! 

Naquela manhã, um homem estranho, sentado na praia pergunta-lhes: e aí meus joven!  Como foi a pesca. Eles gritam para ele e dizem que foi um fracasso.  Então, o homem na praia grita: jogar as redes do outro lado do barco que vai dar certo. Então eles encontrarão alguns peixes. Quando eles seguiram com sua sugestão, eles pegaram tantos peixes que nem sequer conseguiram puxar a rede. Foi nesse ponto que os discípulos reconheceram que esse homem era Jesus.

Pedro, fiel à sua natureza impulsiva, pulou na água e nadou até a praia. Depois de tomar café da manhã na praia, Jesus restaura Pedro ao ministério. Um pastor escreveu que há muitas coisas que Jesus poderia ter dito a Pedro. Ele poderia ter respondido a ele como nós teríamos. Ele poderia tê-lo tratado com silêncio e levantado o ombro. Ele poderia ter expressado raiva e deixado Pedro sofrer. Ele poderia ter dito: “Sabe, Pedro, eu simplesmente não confio mais em você”. Ele poderia ter trazido à tona seu fracasso em todas as conversas. Ele poderia ter falado com os outros discípulos sobre isso: “Lembram-se daquela noite em que Pedro me negou?”

Fiquei muito pensativo nas últimas horas. Acho que somos muito duros com as pessoas que pecam de uma forma diferente da nossa, não somos? Acredito que há muitas coisas que podemos aprender sobre como Jesus restaura Pedro em João 21:15-22. 

1. Ame generosamente. 

Depois que o café da manhã termina, Jesus perdoa publicamente e reintegra Pedro. Isso é para o benefício de Pedro mas também fornece algum ensinamento para os outros seis discípulos que estão ouvindo a conversa. 

Quando Pedro sente o cheiro do fogo do carvão e sente seu calor, ele é lembrado de como ele se aqueceu ao lado de uma fogueira em um pátio antes de negar Jesus três vezes. 

Acho que Pedro ficou surpreso quando Jesus o cumprimentou com “Simão, filho de João”. Ele provavelmente desejava que Jesus o tivesse chamado de Pedro, grande pedaço de rocha. Mas ele sabia que era tudo menos uma rocha naquele momento. Jesus então fez a Pedro uma pergunta: “Você realmente me ama mais do que estes?” Jesus estava se referindo ao peixe na brasa? Ou Ele estava falando do barco e dos suprimentos de pesca? 

Na verdade, Jesus queria que Pedro admitisse que seu orgulho havia desaparecido. Ele não podia mais dizer que era melhor do que os outros discípulos. Em vez de se gabar, ele estava quebrado. Esse é um bom lugar para estar, de acordo com o Salmo 51:17: “Os sacrifícios de Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás.” 

Jesus poderia ter perguntado a Pedro qualquer coisa, ou dado algum ensinamento, ou contado uma parábola, mas Ele escolheu averiguar seu nível de amor. Mais duas vezes ele perguntou a Pedro se ele O amava. No versículo 17 lemos que “Pedro ficou magoado porque Jesus lhe perguntou pela terceira vez: ‘Tu me amas?’” Através da repetição da mesma pergunta, Jesus está trazendo à tona a profundidade da culpa de Pedro. 

E quanto a você? O que você mais valoriza na vida? Posses? Pessoas? Seu próprio orgulho? Existe alguma coisa ou alguém que você ama mais do que você ama o Senhor? 

2. Sirva desinteressadamente. 

Com cada uma das respostas de Pedro, Jesus lhe dá uma tarefa a fazer. O Senhor não está olhando para o passado de Pedro; Ele está focado no que Pedro pode fazer no futuro. Uma maneira de Pedro demonstrar seu carinho por Cristo é amando e cuidando das pessoas. 

O ponto principal aqui é que nosso amor por Deus sempre se mostrará em amor e cuidado pelo povo de Deus. Pedro foi instruído a apascentar os cordeiros do Senhor e a cuidar de Suas ovelhas. 

Eu gosto de olhar para a vida de Sansão e tirar algumas lições dos pecados que ele cometeu: Eu posso resumir os pecados de Sansão em uma frase: 

“Não deixe que o que você fez o impeça de fazer o que Deus quer que você faça. Você não é o que fez; voce é quem Deus te fez para ser.

Jesus queria que Pedro soubesse que Ele ainda tinha um propósito para ele. 

3. Siga fielmente. 

A chave quando falhamos não é se afundar num abismo interno, mas seguir em frente. 

• Devemos seguir, não importa o que aconteceu ou o que vai acontecer. O mandamento “siga-me” no versículo 19 é um imperativo presente, que significa “continue a me a seguir”. 

• Devemos seguir fielmente, não importa quem mais siga. 

Gostamos de nos concentrar no que os outros estão fazendo, não é? Depois que Jesus revelou alguns planos de pastoreio para ele, Pedro imediatamente quis saber o que Jesus iria fazer a respeito de João. Eu amo a resposta que Jesus deu no versículo 22: “Se eu quero que ele permaneça vivo até que eu volte, o que é isso para você? Você deve me seguir.” 

Princípios de Pedro 

Podemos aprender pelo menos duas coisas com Pedro. 

1. O fracasso não tem de ser definitivo. 

Pedro havia se atrapalhado ao falhar muito. Ele se sentiu horrível. Ele poderia ter simplesmente desistido – mas não desistiu. Ele passou da rebelião ao arrependimento e à restauração.

 VOCÊ NÃO É UM FRACASSO SÓ PORQUE FALHOU. 

2. O fracasso pode ser frutífero. 

Se você fosse estudar a vida de Pedro, você descobriria que seu fracasso teve um efeito positivo em sua vida. Antes de sua explosão, ele foi imprudente, impetuoso e abrupto. Depois de se arrepender e ser restaurado, Pedro era um homem mudado. Ele se tornou mais terno e humilhado por seu óbvio fracasso. Ele se tornou um dos líderes da igreja primitiva e escreveu duas cartas que eventualmente se tornaram parte essencial da Bíblia. 

VOCÊ PODE FORTALECER OS OUTROS PORQUE AGORA SABE COMO É FÁCIL FALHAR. 

Em 2009, quando estive na Rússia, vi várias pistas de patinação no gelo. Vi que no primeiro contato com a pista, o professor passava mais tempo ensinando aos patinadores apenas duas coisas – como cair e como se levantar. Acho que o professor queria que soubéssemos que se você vai patinar no gelo escorregadio; você vai cair. E, uma vez que você cai, você precisa se levantar. 

Acredito que há uma aplicação de vida aqui. Deus sabe que você vai cair e você vai falhar. A vida é como uma pista de patinação no gelo às vezes. Eu suspeito que alguns de vocês caíram, mas não querem se levantar. Talvez você esteja tão envergonhado com seu fracasso que simplesmente não quer arriscar outra tentativa. 

Lembro-me de ver um amigo caindo umas  100 vezes em 45 minutos. Ele vinha deslizando pelo gelo, com os braços balançando e sempre caia bem de costas. Mas Isso nunca pareceu incomodá-lo. Ele apenas se levantou e tentou novamente. Ele parecia um ioiô. Ele ia alguns metros e caía, se levantava e caía, se levantava e caía. O assustador era que esse cara gostava de velocidade – e ele não caia macio não.  Outros amigos foram um pouco mais cautelosos; eles deram pequenos passos para que não caíssem muito rapidamente. Mas eventualmente, eles acabaram caindo também. 

A aplicação então é essa: Se você caiu, é hora de se levantar… você pode estar para baixo, mas você não está fora do jogo. Jesus morreu como seu substituto para solucionar todos os seus pecados. Até mesmo aqueles que você cometerá no futuro. Se você está vazando ar, é hora de tapar os buracos… para que você não tenha uma explosão e sua fé fique vazia… mantenha as disciplinas espirituais em sua vida… estabeleça limites… encontrar um parceiro de prestação de contas.

O mep é um lugar de graça onde os caídos podem ter um novo começo. Então vamos nos encher com o Espírito Santo mais uma vez [bombeie o pneu]. E peça ajuda do Senhor para que você possa continue rodando na estrada da fé! 

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.