Quando Cristo Morreu Por Nós?

Quando Cristo Morreu Por Nós?

Vamos iniciar lendo Romanos 5: 6-11

De fato, no devido tempo, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu pelos ímpios. Dificilmente, haverá alguém que morra por um justo, embora pelo homem bom talvez alguém tenha coragem de morrer. Mas nisto Deus demonstra o seu amor por nós: Cristo morreu em nosso lugar, apesar de sermos pecadores. Como, agora, fomos justificados pelo seu sangue, muito mais ainda, por meio dele, seremos salvos da ira de Deus! Pois se, quando éramos inimigos de Deus, fomos reconciliados com ele por meio da morte do seu Filho, quanto mais agora, tendo sido reconciliados, seremos salvos pela sua vida! Não apenas isso, mas também nos gloriamos em Deus, por meio do nosso Senhor Jesus Cristo, mediante o qual agora recebemos a reconciliação.

INTRODUÇÃO:

Quando Jesus morreu por você? Não estou falando do acontecimento histórico, sabemos que a morte de Cristo na cruz ocorreu há cerca de dois mil anos. Esta passagem, porém, nos pergunta algo diferente: “Qual era a sua situação quando Jesus morreu por você? Que tipo de pessoa você era?” Quem foram as pessoas pelas quais Jesus morreu? Foram os ricos e privilegiados? Os justos e religiosos? Os bons, os maus, os bonitos e os feios? Quem nós éramos quando Jesus morreu por nós?

A Bíblia nos dá quatro respostas para essa pergunta na passagem de hoje. A Bíblia diz que Cristo morreu por nós:

  1. quando éramos fracos,
  2. quando éramos ímpios,
  3. quando éramos pecadores e
  4. quando éramos inimigos de Deus.

Você vai perceber que esses termos vão de ruim para pior. Não éramos simplesmente fracos, éramos ímpios. E não somente ímpios, éramos pecadores. E além de sermos pecadores, éramos inimigos de Deus.

I. Cristo morreu por nós na hora certa.

Antes de entrarmos em detalhes sobre essas quatro descrições, gostaria de destacar algo importante que a Bíblia nos diz sobre o momento em que Cristo morreu por nós. A Bíblia nos diz que Cristo morreu por nós na hora certa. Veja o versículo 6, onde Paulo escreve:

6 De fato, no devido tempo, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu pelos ímpios.

(Romanos 5: 6)

O que Paulo quer dizer quando diz que Cristo morreu na hora certa?

Em outro lugar, Paulo nos diz que Deus enviou Cristo na plenitude dos tempos. Lemos no livro de Gálatas:

Quando, porém, chegou a plenitude do tempo, Deus enviou o seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo da lei, a fim de redimir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a adoção de filhos.

(Gálatas 4: 4-5)

Quando falamos que Cristo veio na ‘plenitude dos tempos’, estamos afirmando que a chegada de Cristo foi o marco mais importante de toda a história humana. Tudo antes ansiava por esse acontecimento, e tudo depois olha para ele. Deus mandou seu Filho no momento perfeito, um tempo que Ele já havia planejado antes mesmo do início dos tempos, um momento que Ele e Jesus já haviam acordado antes mesmo do mundo existir. “Quando, porém, chegou a plenitude do tempo, Deus enviou o seu Filho.”

Mas há uma maneira diferente de entendermos “no momento certo” aqui em Romanos 5. O momento certo foi quando éramos fracos, ímpios, pecadores e inimigos de Deus. Este era “o momento certo” para Cristo morrer por nós. Porquê? Duas razões vêm à mente.

1. Estávamos no nosso ponto mais profundo de necessidade.

Primeiramente, Ele morreu por nós porque estávamos no fundo do poço, na nossa maior necessidade. Se Cristo tivesse esperado a gente se ajeitar, a gente melhorar, provavelmente Ele ainda estaria esperando. Se Ele tivesse esperado a gente arrumar toda a nossa vida, aprender a resistir ao pecado, seguir perfeitamente as leis de Deus, Ele nunca teria morrido. Além disso, a morte Dele nem seria necessária nessa situação. O principal objetivo da morte Dele era nos fornecer o perdão. Como o próprio Jesus disse aos religiosos da época Dele:

Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Eu não vim chamar justos, mas pecadores ao arrependimento.

(Lucas 5: 31-32)

2. Esta foi a maior demonstração do amor de Deus.

E uma segunda razão pela qual este era o momento certo – isto é, o tempo em que éramos fracos, ímpios, pecadores e inimigos de Deus – é porque esta foi a maior demonstração do amor de Deus. Se Deus nos amou tanto ao ponto de permitir que Cristo morresse por nós, mesmo estando em um estado como Paulo descreve, podemos ter total confiança de que Deus nos ama agora e continuará nos amando no futuro.

João 3: 16 diz:

Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.

(João 3: 16)

Estávamos na fase mais difícil de nossas vidas, e foi nesse momento que Deus mostrou seu grande amor por nós. Cristo morreu por nós no momento exato.

II. Como éramos quando Cristo morreu por nós?

A. Cristo morreu por nós quando éramos impotentes

Vamos entender melhor essa época perfeita em que Cristo deu a vida por nós. Como estávamos quando isso aconteceu? Primeiramente, Cristo se sacrificou por nós quando éramos totalmente fracos.

Romanos 5: 6 diz:

De fato, no devido tempo, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu pelos ímpios.

(Romanos 5: 6)

A palavra traduzida como “fraco” neste versículo é uma palavra que significa “sem força”. Às vezes significa “fraco ou doente”, como em Mateus 26, onde Jesus disse a seus discípulos:

O espírito está pronto, mas a carne é fraca.

(Mateus 26: 41)

No entanto, o versículo se refere a uma fraqueza moral, não física. Não é que estivéssemos fracos fisicamente. Na realidade, estávamos fracos espiritualmente. Não tínhamos forças para resistir ao pecado, não conseguíamos fazer o que era certo e não podíamos nos ajudar.

Então, Jesus disse em João 6:

Todo aquele que o Pai me der virá a mim, e eu jamais rejeitarei aquele que vier a mim.

(João 6: 37)

E Ele também disse:

Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o atrair.

(João 6: 44)

Em outras palavras, não tínhamos sequer a capacidade de buscar a salvação em Cristo por conta própria. Era necessário que Deus Pai nos guiasse. Sem a orientação do Pai, ninguém se aproximaria de Cristo, e isso serve para calvinistas e arminianos.

Paulo coloca assim no livro de Efésios:

Deus, por ser rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, deu‑nos a vida com Cristo quando ainda estávamos mortos nas transgressões — pela graça vocês são salvos.

(Efésios 2: 4-5)

Você não pode ficar muito mais impotente do que morto! Quando estávamos mortos em nossos pecados – sem vida espiritual em nós mesmos, sem desejo de Deus em nós mesmos, sem interesse espiritual em nós mesmos – foi quando Deus nos tornou vivos em Cristo. Algumas pessoas dizem que Deus ajuda aqueles que se ajudam, mas a Bíblia nos diz que Deus ajuda os desamparados. Cristo morreu por nós quando ainda éramos impotentes.

B. Cristo morreu por nós quando éramos ímpios

Em segundo lugar, Cristo morreu por nós quando éramos ímpios. Voltando a Romanos 5:

No devido tempo, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu pelos ímpios.

(Romanos 5: 6)

A palavra traduzida como “ímpio” aqui significa “sem reverência ou adoração”. A ênfase aqui não é tanto na maldade ou no mal, mas sim em uma atitude errada em relação a Deus. É sobre isso que Paulo falou no início do livro de Romanos:

porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus nem lhe renderam graças.

(Romanos 1: 21)

Então, não só éramos fracos, como éramos ímpios. Não tínhamos nenhum desejo de adorar a Deus, nenhum desejo de servi-lo ou glorificá-lo como Deus. Basicamente, Paulo está dizendo que tivemos uma atitude ruim em relação a Deus.

E quanto a você? Você tem uma atitude ruim em relação a Deus? Você procura expulsá-lo de sua vida? Falta-lhe o desejo de adorar e glorificar o seu Criador? Você acha que é impossível mudar? Coragem! Quando ainda éramos fracos, Cristo morreu pelos ímpios. Cristo ainda pode salvá-lo. Ele pode vencer a vossa fraqueza. Ele pode lhe dar uma nova atitude.

Observe a palavra “pelos” nessa frase: “Cristo morreu pelos ímpios”. Quando a Bíblia diz que Cristo morreu por nós, isso significa não apenas que Ele morreu em nosso lugar, mas também para nosso benefício. Que contraste!

Jesus Cristo – o único que verdadeiramente adorou a Deus Pai em espírito e em verdade – este mesmo Jesus morreu pelos ímpios. Ele morreu por pessoas como eu e você, que tinham atitudes ruins e que eram impotentes para nos ajudar.

C. Cristo morreu por nós quando éramos pecadores

  1. Cristo morreu por nós quando éramos impotentes. 2) Cristo morreu por nós quando éramos ímpios. 3) E em terceiro lugar, Cristo morreu por nós quando éramos pecadores. Voltando a Romanos 5, veja os versículos 7-8:

Dificilmente, haverá alguém que morra por um justo, embora pelo homem bom talvez alguém tenha coragem de morrer. Mas nisto Deus demonstra o seu amor por nós: Cristo morreu em nosso lugar, apesar de sermos pecadores.

(Romanos 5: 7-8)

Paulo estabelece outro contraste aqui. Ele contrasta a disposição de Cristo de morrer pelos pecadores com a nossa falta de vontade de morrer por ninguém. Alguém aqui disposto a morrer por outra pessoa? Algum voluntário hoje?

Paulo diz: “Dificilmente alguém morrerá por um homem justo”. Essas palavras “Dificilmente” referem-se mais à dificuldade de fazermos tal coisa do que à real raridade da ocorrência. Em outras palavras, Paulo está dizendo que é uma coisa muito difícil de fazer. Poucos têm força ou coragem para morrer pelo outro. Nós poderíamos traduzir o versículo 7 desta maneira:

“Com muita dificuldade alguém morreria por um homem justo, embora para um homem bom alguém pudesse ousar morrer”.

(Romanos 5: 7 – tradução minha)

Você pode estar se perguntando, qual é a diferença entre uma pessoa justa e uma pessoa boa neste versículo? Obviamente, há muitas semelhanças, mas a diferença seria a seguinte. A pessoa justa é alguém inocente, uma pessoa que não merece morrer. Ela é uma das acusadas injustamente. Já a bondade se refere ao modo como uma pessoa trata os outros. A palavra traduzida como “bom” aqui significa “agradável ou útil”. Uma pessoa boa mostra afeto e gentileza em suas relações pessoais.

Então, o pensamento completo do versículo é mais ou menos assim:

É muito difícil morrer por outra pessoa, mesmo para uma pessoa inocente que não merece morrer, embora você possa ousar morrer por alguém que foi gentil com você no passado.

(Romanos 5: 7, paráfrase minha)

Agora, se é difícil morrer por uma pessoa justa ou mesmo por uma pessoa boa, então o que dizer daqueles que não são nem justos nem bons? E os que merecem morrer? Ou aqueles que foram indelicados com você? Você morreria por eles? Seria preciso muito amor para morrer até mesmo por um justo ou uma boa pessoa, mas seria preciso ainda mais amor para morrer por uma pessoa injusta ou por alguém que não era uma boa pessoa.

E, no entanto, foi exatamente isso que Deus fez por nós. Veja o versículo 8 novamente:

Mas nisto Deus demonstra o seu amor por nós: Cristo morreu em nosso lugar, apesar de sermos pecadores. (Romanos 5: 8)

A palavra “pecadores” aqui significa alguém que ficou aquém ou errou o alvo. Romanos 3:23 diz:

pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus.

(Romanos 3: 23)

Todos nós perdemos a marca da perfeição de Deus. Todos nós ficamos aquém dos padrões de Deus. Em outras palavras, quando Cristo morreu por nós, não éramos justos nem bons; Éramos pecadores.

Observe que Paulo diz aqui no versículo 8:

Deus demonstra o seu amor por nós: Cristo morreu em nosso lugar, apesar de sermos pecadores.

(Romanos 5: 8)

A cruz não foi apenas uma demonstração do amor de Cristo por nós. Foi também uma demonstração do amor de Deus Pai.

Algumas pessoas têm essa ideia equivocada de que Deus foi quem ficou bravo conosco por causa do nosso pecado, e foi Jesus quem nos amou tanto que veio morrer na cruz. Em outras palavras, eles veem Deus como zangado e Jesus como amoroso. Mas Romanos 5: 8 nos diz que a morte de Jesus na cruz foi uma demonstração do amor de Deus por nós. Deus, o Pai, enviou de bom grado o seu próprio Filho, o seu único Filho a quem tanto amou, para morrer na cruz pelos nossos pecados.

Como Deus mostrou seu amor por nós? Não apenas que Cristo morreu. Não apenas que Cristo morreu por nós. Mas Cristo morreu por nós enquanto ainda éramos pecadores. Cristo, o Cordeiro perfeito, sem pecado e impecável de Deus morreu pelos pecadores. 1ª João 4: 10 diz:

Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como expiação pelos nossos pecados.

(1ª João 4: 10)

D. Cristo morreu por nós quando éramos inimigos de Deus

Como éramos quando Cristo morreu por nós?

  1. Cristo morreu por nós quando éramos fracos.
  2. Cristo morreu por nós quando éramos ímpios.
  3. Cristo morreu por nós quando éramos pecadores. E em quarto lugar,
  4. Cristo morreu por nós quando éramos inimigos de Deus.

Voltando a Romanos 5 agora, veja os versículos 9-10:

Como, agora, fomos justificados pelo seu sangue, muito mais ainda, por meio dele, seremos salvos da ira de Deus! Pois se, quando éramos inimigos de Deus, fomos reconciliados com ele por meio da morte do seu Filho, quanto mais agora, tendo sido reconciliados, seremos salvos pela sua vida

(Romanos 5: 9-10)

Cristo morreu por nós quando éramos inimigos de Deus. Isso significa que o pecado não é apenas um fracasso, um aquém da vontade de Deus. Mas também é rebelião. É uma recusa em fazer a vontade de Deus. Não é que queiramos fazer a vontade de Deus e ficar aquém. Ficamos aquém porque não queremos fazer a vontade de Deus. E assim, éramos inimigos de Deus.

Como inimigos de Deus, não éramos apenas hostis a Deus, mas estávamos sob o julgamento e a ira de Deus. Essa frase “inimigos de Deus” captura tanto a nossa hostilidade em relação a Deus, quanto a hostilidade de Deus em relação ao nosso pecado.

Esses últimos versículos se dirigem ao crente que colocou sua fé em Cristo, mas ainda teme o julgamento de Deus no último dia. Você já se perguntou sobre o julgamento final, sobre se Deus vai admiti-lo para o céu? Se você morresse hoje, sabe ao certo se iria estar com Deus no céu? Você tem certeza de sua salvação? Ou você teme a ira de Deus?

A ira de Deus refere-se à ira justa de Deus em relação ao pecado e à sua justa punição do pecado. Além de Cristo, estamos todos sob a ira de Deus. Somos todos pecadores que merecem justamente o castigo eterno por nossos pecados. Mas Paulo diz que se sua fé está em Cristo, então você foi justificado por Seu sangue. E se você foi justificado pelo Seu sangue, isto é, se você foi declarado justo aos olhos de Deus pela morte de Cristo por você na cruz, quanto mais você será salvo da ira de Deus através de Cristo! Agora é a certeza!

O versículo 10 afirma a razão dessa garantia em termos inequívocos.

Pois se, quando éramos inimigos de Deus, fomos reconciliados com ele por meio da morte do seu Filho, quanto mais agora, tendo sido reconciliados, seremos salvos pela sua vida!

(Romanos 5: 10)

O ponto de Paulo é o seguinte: se Cristo morreu por nós quando ainda éramos seus inimigos, quanto mais Ele nos salvará agora que somos seus amigos! Se Deus já nos mostrou o último ato de amor quando ainda éramos inimigos, quanto mais Deus nos salvará agora que nos reconciliamos, agora que fomos restaurados à amizade com Deus! Esta é uma verdade incrível! Cristo morreu por nós quando ainda éramos inimigos de Deus.

Uma vez ouvi a história de Michael Monsoor, um soldado da marinha americana, que estava em um telhado em Bagdá com outros cinco soldados na guerra de 2006, quando de repente uma granada voou do nada no lugar onde eles estavam. O soldado vendo o estrago que aquilo ia fazer, pulou em cima da granada colocando-a em seu peito.

Talvez se ele tivesse corrido dali, provavelmente poderia ter escapado, mas então os outros soldados desavisados teriam sido mortos ou feridos. Mas em vez de correr, ele pulou na granada e tomou toda a força da explosão para eles. Ele acabou morrendo pela explosão, mas salvou a vida dos outros cinco homens. (Fonte: Navy SEAL pagou preço final para salvar amigos)

Estamos, com razão, espantados com a bravura e o sacrifício deste homem pelos seus amigos. Mas Cristo não morreu por seus amigos. Cristo morreu por seus inimigos. Gente, isso é inédito. Tal conceito revolucionaria a guerra. Não faz o menor sentido. Como alguém pode morrer pelo inimigo? E, no entanto, foi isso que Jesus fez. Ele tomou toda a força da explosão do pecado por nós, e o fez enquanto ainda éramos inimigos de Deus.

Esse é o incrível e incrível amor de Deus. E se Cristo morreu por nós quando éramos inimigos de Deus, agora que fomos reconciliados pela fé em Cristo, quanto mais seremos salvos da ira vindoura! Podemos ter plena certeza de nossa salvação quando nossa fé está em Cristo.

E assim, Paulo conclui no versículo 11:

Não apenas isso, mas também nos gloriamos em Deus, por meio do nosso Senhor Jesus Cristo, mediante o qual agora recebemos a reconciliação.

(Romanos 5: 11)

Eu gosto de como a NVT traduz esse verso:

Agora, portanto, podemos nos alegrar em Deus, com quem fomos reconciliados por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.

(Romanos 5: 11, NVT)

Sim, costumávamos ser inimigos de Deus. Mas agora somos seus amigos. Jesus disse aos seus seguidores em João 15: 15:

Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o senhor. Em vez disso, eu os tenho chamado amigos.

(João 15: 15)

Costumávamos estar sob o terror e a ira de Deus. Mas agora nos alegramos com ele, porque recebemos a reconciliação. Estamos em paz com Deus, uma paz que o próprio Deus proporcionou na cruz e que recebemos na nossa salvação.

Alegramo-nos em Deus! O cristianismo é uma religião alegre. Por que? Porque recebemos o perdão e a reconciliação. Fomos trazidos de volta ao relacionamento com nosso grande e amoroso Deus.

CONCLUSÃO:

Muito raramente alguém morrerá por um homem bom ou justo. Mas Cristo morreu por nós quando ainda éramos impotentes, ímpios, pecadores e inimigos de Deus. E se Deus fez tudo isso por nós quando ainda éramos seus inimigos, quanto mais Ele nos salvará da ira que virá agora que somos seus amigos por meio de Cristo Jesus, nosso Senhor. Louvado seja Deus! Alegrai-vos n’Ele!

Permitam-me que vos deixe três breves palavras de aplicação para concluir:

  1. Cristo morreu por você quando você estava sem forças:

– tenha compaixão dos fracos.

  1. Cristo morreu por você quando você ainda era pecador:

– perdoai aqueles que pecam contra você.

  1. Cristo morreu por você quando você ainda era inimigo de Deus:

– ame seus inimigos e ore por eles.

 

Referências:

Bíblia Sagrada, NVI

Bíblia Sagrada, NVT

 

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.