Sl 23:4 – Sobre não temer o mal!

Sl 23:4 – Sobre não temer o mal!

Davi, um pastor e poeta, usa a metáfora do “vale da sombra da morte” para descrever os tempos difíceis da vida, destacando a necessidade de um pastor e o cuidado protetor de Deus. Escrito em 14 de maio de 2021

Palavra

Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam. (Salmo 23.4)

Quando eu era criança, lembro-me de ter lido uma frase marcante no diário da minha tia. Dizia assim: “Nem sempre Deus nos levará pelo caminho fácil, mas sempre nos ajudará a atravessar o caminho difícil.” Embora essa frase possa soar clichê, ela retrata uma grande verdade do texto bíblico que acabamos de ler.

Como você deve saber, o Salmo 23 é um Salmo popular que descreve Deus como nosso pastor. Ele foi escrito por Davi, que é reconhecido na Bíblia como um homem segundo o coração de Deus. E apesar de sua integridade e grande devoção, muitas vezes, Davi se viu andando pelo “vale da sombra da morte”. Essa descrição representa os tempos difíceis que todos nós enfrentamos ou enfrentaremos um dia. Vamos procurar entender por que Davi usou essa metáfora.

Davi, que também era pastor, retrata o grande desafio de manter e proteger suas ovelhas. Pelo caminho, as ovelhas dependiam do pastor para conduzi-las em segurança entre vales e montanhas, de um pasto seco para outro local com um pasto mais verdejante.

Durante a travessia, muitas vezes, as ovelhas tinham que se espremer através de uma passagem estreita, que era cercada por penhascos irregulares. Além disso, as altas montanhas bloqueavam a luz do sol, e as sombras escuras faziam dali um lugar perigoso para o rebanho. À espreita na sombra, ficavam as raposas, os lobos e outros animais predadores, além de alguns ladrões, que atacavam as ovelhas desgarradas e vulneráveis. Então Davi, que conhece bem todo esse cenário, passa a se comparar a uma dessas ovelhas indefesas, ao ter de enfrentar as muitas circunstâncias difíceis da vida.

Assim como Davi não foi poupado de caminhar por esses lugares perigosos, nós também não somos. É por isso que, ao longo da jornada da nossa vida, nós precisamos de um pastor. E segundo o Evangelho de João capítulo 10 e versículo 11, Jesus é o nosso Bom Pastor.

No meio das provações mais difíceis, Davi disse: “Não temerei mal nenhum”. Embora cercado pelo mal, Davi experimenta uma paz sobrenatural de Deus que preenche a sua alma. A mesma verdade vale para todo aquele que conhece o Senhor. Não sofremos temor em nossas adversidades, não como o mundo que não tem pastor amoroso. Não entramos em pânico em nossas dificuldades como aqueles que não têm esperança. Sabemos que o Senhor está no controle de nossas vidas. Ele já contou nossos dias e, por isso, nada pode tirar nossas vidas até que chegue a hora!

Ao passar pelo “vale da sombra da morte”, Davi pode dizer: “pois Tu estás comigo”. Ele sabia que Deus estava com ele a cada passo do caminho, protegendo-o e preservando-o. Esse tipo de conduta nos lembra da promessa de Jesus que disse: “Eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” (Mateus 28:20). A presença constante de Jesus nos encoraja quando nos encontramos nos vales escuros da vida.

Davi também acrescenta outro aspecto do cuidado do Senhor, “Seu bordão e seu cajado me consolam”. O bordão do pastor tinha cerca de 2 metros de comprimento e era usado para defender o rebanho contra animais selvagens cruéis. E o cajado do pastor tem o mesmo tamanho, porém com um formato de um ponto de interrogação e era usado para agarrar as ovelhas e colocá-las novamente na direção certa. Esses dois instrumentos —o bordão e o cajado do pastor— representam o cuidado soberano e protetor do Senhor sobre a vida de Davi.

É muito interessante notar que a palavra “consolo” vem da mesma palavra hebraica “Naim”, da qual o profeta Naum e Neemias derivam seus nomes. Ambos experimentaram o conforto e consolo do Senhor enquanto ministravam durante os tempos difíceis. Esta é a mesma tranquilidade que só Deus poderia ter dado a Davi quando perigos o cercavam de todos os lados.

Isso não significa que Davi nunca tenha sofrido trauma emocional ou períodos de depressão. Os muitos salmos de lamento que ele escreveu revelam o medo que ele frequentemente sentia. Mas no meio desses tempos turbulentos, Davi encontrou consolo e conforto constante no Pastor sempre presente.

Além disso, esta palavra ‘consolo’ também pode ser traduzida como: “mudar de ideia”. Ou seja, este ‘consolo divino’ indica que a presença do nosso Pastor muda o estado do nosso coração em tempos perigosos. Ele nos dá a paz que somente Ele pode dar nas tempestades da vida.

Em nossa fraqueza, o poder de Deus em nós é aperfeiçoado. Devemos ficar perto do nosso grande Pastor enquanto caminhamos por vales escuros. Afinal de contas, até mesmo os melhores entre nós ainda são apenas ovelhas. Acima de tudo, podemos não ser capazes de ver todos os perigos ameaçadores ao nosso redor, mas Ele pode. Tudo o que precisamos fazer é segui-Lo e confiar em sua direção.

Quero concluir este devocional lembrando que Jesus, o bom pastor, nunca desiste de suas ovelhas. Confie nele, olhe para Ele em busca de ajuda e força e permita que Ele te guie pelos tempos difíceis desta vida. Nós não sabemos tudo o que o futuro nos reserva. Então, temos duas opções: estressar e se preocupar com isso ou entregar tudo nas mãos do Bom Pastor.

Embora tenhamos a tendência de ser naturalmente pessoas que se estressam, oro para que cada vez mais aprendamos a nos apoiar em Jesus e confiar nele para nos conduzir pelos tempos difíceis. Que possamos nos juntar a Davi e dizer: “Mesmo que eu passe pelas trevas mais profundas, não temerei mal nenhum, porque o Senhor está comigo“!

Deus te abençoe!
— — — — — — — — — —

Escrito por Diego Gonçalves.


Gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos e familiares para que eles também possam aprender mais sobre o assunto. E não se esqueça de se inscrever em nossas redes sociais para receber mais conteúdo como este. Até a próxima!

Inspire-se com outros devocionais e reflexões no meu site.

© O Diário de um Jondô

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.