1Sm 9:25-10:8 – Ungido para servir

1Sm 9:25-10:8 – Ungido para servir


Damos continuidade hoje ao segundo capítulo da nossa série “Do Trono ao Abismo”. Quem aqui se lembra do sermão da semana passada? Abordamos a jornada de Saul em busca de umas jumentas perdidas e como Deus tinha um plano muito mais amplo para ele. Agora, vamos focar no momento em que Saul é ungido por Samuel e o que podemos aprender com isso. (Vamos ler juntos 1 Samuel 9:25-10:8 e em seguida orar.)

I. Preparação para Servir (9:25-27)

Primeiramente, vamos abordar a fase da preparação, que é crucial e se divide em dois aspectos:

A. Deus te Molda para Tarefas Específicas (25-26)

– Efésios 2:10

1º aspecto: Deus te molda para executar tarefas específicas. Vamos olhar com cuidado para os versículos 25 e 26 de 1 Samuel 9.

Antes de Samuel proceder com a unção de Saul, houve um período de preparação. Eles tiveram um diálogo no terraço da casa de Samuel.

O texto é escasso em detalhes sobre essa conversa, mas é razoável imaginar que conversaram sobre os desafios e deveres que Saul teria como rei. Talvez Samuel tenha até falado das orientações de Deus sobre o que significa ser rei, conforme o livro de Deuteronômio 17.

O que podemos tirar disso? Assim como um agricultor prepara o solo antes de semear, Deus também te prepara para a obra que tem em mente. Efésios 2:10 nos reforça esse ponto: “Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus preparou de antemão para que andássemos nelas.”

Todo o seu histórico, suas experiências, habilidades e dons, nada é em vão. Deus está te moldando para tarefas específicas que Ele já tem planejadas.

B. Deus te Convoca para a Tarefa (27)

– 1 Pedro 4:10

2º aspecto: Vamos ao versículo 27. Além de preparar Saul, Deus também o convocou. Samuel lhe disse: “Saul… fique mais um pouco, porque eu tenho uma palavra de Deus para você.” Este foi um momento especial que Deus reservou para fazer um chamado específico à vida de Saul, nesse caso, para ser rei de Israel.

E Deus age da mesma forma conosco. 1 Pedro 4:10 nos faz lembrar que todos nós temos dons e talentos específicos e particulares que devem ser utilizados para servir aos outros.

Ou seja, Deus te convoca para usar esses dons em benefício do próximo e para Sua glória.

Em síntese, a fase de preparação engloba dois elementos: Deus te molda e Deus te convoca. Não ocorre um sem o outro. Se você está em um período de preparação, esteja certo de que um chamado para servir está chegando. E se já foi convocado, fique certo de que Deus te preparou para isso. Deus te molda e te convoca para as obras de serviço.

II. Unção para o Serviço (10:1-7)

Seguimos agora para a segunda fase, a unção para o serviço. Existem três pontos importantes que precisamos entender sobre esse tema.

a. Não Servimos a Deus com Nosso Próprio Poder (1)

– Zacarias 4:6

O primeiro ponto é fundamental: servir a Deus não é uma proeza humana, mas sim uma ação possibilitada pela graça de Deus. No versículo 1 do capítulo 10 de 1 Samuel, Samuel toma o frasco de azeite e o derrama sobre a cabeça de Saul, dizendo:

“O Senhor o tem ungido como líder da herança dele”. [[NVI-1º Samuel 10#v1]]

É importante notar que o agente da unção aqui não vem de Samuel, mas sim do Senhor, usando Samuel como um instrumento.

O que essa unção representa? Tradicionalmente, o óleo era utilizado para consagrar pessoas ou coisas para um propósito divino. Quando um profeta, sacerdote ou rei era ungido, isso não apenas significava que ele era separado para servir a Deus, mas também que estava sendo equipado pelo Espírito Santo para a missão que tinha pela frente. Esta unção aponta para Cristo, o verdadeiro Ungido, que reúne em Si os papéis de profeta, sacerdote e rei.

O que tiramos disso? Que servir a Deus não é feito no nosso próprio esforço ou talento. Zacarias 4:6 nos diz:

“‘Não por força nem por violência, mas pelo meu Espírito’, diz o Senhor dos Exércitos”.

Precisamos da unção, do revestimento do Espírito Santo, para servir a Deus de forma eficaz. Assim, antes de embarcar em qualquer missão para o Senhor, busque a unção Dele.

Este é o primeiro princípio que extraímos da unção de Saul: o serviço a Deus não é feito com nosso próprio poder, mas com a capacitação do Espírito Santo.

b. Quando Deus Chama, Ele também Confirma (2-6)

– João 15:5

O segundo ponto que devemos considerar é: quando Deus chama, ele também confirma esse chamado. Na passagem de 1 Samuel 10:2-6, Samuel descreve a Saul três sinais que autenticam seu chamado divino.

Primeiro, Saul receberá informações sobre os jumentos desaparecidos; em seguida, ganhará pães como um presente; e, por fim, cruzará o caminho com um grupo de profetas, sendo cheio do Espírito Santo.

Note como esses sinais crescem em importância. Saul começa encontrando dois homens em Zelza, passa a três homens em Tabor e, finalmente, se encontra com um grupo de profetas em Gibeá. O número de pessoas envolvidas aumenta, simbolizando um crescimento e uma clareza cada vez maior no seu chamado e na confirmação de Deus.

Além disso, esses sinais estão profundamente conectados com a trajetória de Saul. O primeiro, sobre os jumentos, lembra Saul de que sua missão real começou justamente na busca por eles, ou seja, na vida ordinária e cotidiana.

O segundo, com os pães, lembra da acolhida e do regozijo que encontrou na cidade de Samuel.

O terceiro, a profecia entre os profetas, aponta para sua recém-recebida unção, solidificando sua nova posição como um ungido por Deus.

No entanto, eu preciso te lembrar que a confirmação do chamado de Deus em nossas vidas pode não vir acompanhada de sinais extraordinários, como no caso de Saul.

Uma das formas mais tangíveis de Deus confirmar o seu chamado hoje é através dos frutos que você gera. Como Jesus declarou em João 15:5:

“Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma”.

Sendo assim, uma forma eficaz de saber se estamos na direção correta é analisar os frutos do nosso ministério. Se, ao servir a Deus, você nota transformações positivas nas vidas das pessoas, encorajamento e fortalecimento da fé, é provável que você esteja no percurso que Deus traçou. Caso contrário, pode ser hora de repensar e buscar mais clareza sobre qual é o campo de atuação que Deus tem para você.

Para resumir, o segundo princípio que tiramos da unção de Saul é: quando Deus chama, ele também confirma. Seja através de sinais distintos, seja através dos frutos que você produz, a confirmação de Deus é um elemento constante que nos dá a segurança de que estamos no caminho certo.

c. Quando Deus Convoca e Ele Capacita (7)

– Atos 1:4-8; 1 Pedro 4:11

Chegamos agora ao terceiro e último princípio: quando Deus convoca, Ele também capacita. Samuel foi claro para Saul: “O Espírito do Senhor se apossará de você, e você mudará. Se transformará em outra pessoa.” (1 Samuel 10:6). E complementa:

“Assim que esses sinais tiverem se cumprido, faça o que achar melhor, pois Deus está com você”.

Note a ordem: primeiro, Saul é preenchido com o Espírito de Deus. Só depois ele recebe o aval para tomar ações. Deus não só identifica Saul para um propósito como também o habilita para a missão, enchendo-o com o Espírito Santo. Assim equipado, Saul estava apto para enfrentar qualquer desafio que se apresentasse.

Isso também vale para nós. Quando aceitamos Jesus como Salvador, somos transformados e habilitados pelo Espírito Santo. Deus nos dota com dons e habilidades para realizar a obra que Ele planejou para nós.

E como está escrito em 1 Pedro 4:11b:

“…Se alguém serve, faça-o com a força que Deus provê, de forma que em todas as coisas Deus seja glorificado mediante Jesus Cristo”

A grande lição aqui é que nossa capacidade de servir não vem de nós mesmos, mas do poder que Deus nos confere. É o Espírito Santo em nós que nos capacita para realizar a obra de Deus. Assim, toda a honra e toda a glória são direcionadas a Ele, e não reivindicadas por nós.

Vemos essa mesma lógica aplicada aos apóstolos no Novo Testamento. Jesus não os enviou de imediato; Lemos no primeiro capítulo de Atos que Ele pediu que esperassem pelo Espírito Santo. Somente após serem preenchidos com esse poder é que estavam prontos para serem testemunhas de Cristo. (Atos 1:4-8)

Para resumir, três princípios emergem da unção de Saul: Deus convoca, Deus confirma e Deus capacita. Não é por nossa habilidade ou esforço pessoal que servimos; é pela capacitação que Deus nos fornece para cumprir a missão designada por Ele.

III. A Importância de Esperar pelas Instruções de Deus (10:8)

Depois de falarmos sobre como Deus prepara e unge para o serviço, vamos ao último ponto: a necessidade de aguardar as instruções divinas. Samuel foi bem claro com Saul no versículo 8:

“Vá na minha frente até Gilgal. Depois eu irei também, para oferecer holocaustos e sacrifícios de comunhão, mas você deve esperar sete dias, até que eu chegue e lhe diga o que fazer”.

Agora, o texto não deixa bem claro se Samuel tá mandando Saul ir pra Gilgal e esperar sete dias imediatamente ou se tá falando do que vai acontecer com Saul no futuro.

Ambas as interpretações têm seus méritos, mas eu acredito que isso seja um sinal do que vai rolar lá na frente com Saul em Gilgal, no capítulo 13. A gente vai voltar a falar disso quando chegarmos lá.

De qualquer forma, o fato é que Saul foi ungido e será equipado pelo Espírito Santo. Agora, Saul tem a missão de fazer grandes coisas, sempre orientado pelo Espírito. Mas também fica claro que ele não tem um passe livre para fazer o que bem entender.

Acabou-se o tempo dos juízes. E mesmo sendo rei, Saul precisa respeitar o que Deus diz através do profeta Samuel. Ou seja, ele tem que esperar as instruções do Alto.

Isso não é diferente pra gente. A gente pode até ser chamado e equipado por Deus, mas, igual a Saul, precisamos também aguardar o que Deus tem a nos dizer. E como fazemos isso? De duas maneiras, que vou explicar agora.

A. Aguardar com Fé e Oração (Salmo 27:14)

O começo de tudo é a espera em Deus, e isso se faz através da oração. O Salmo 27:14 é claro ao dizer:

Espere no Senhor. Seja forte! Coragem! Espere no Senhor.

O conselho é simples: não se precipite. Faça uma pausa e converse com Deus. Apresente seus planos e anseios a Ele e peça que conduza seus passos. Tenha em mente: sem uma relação sólida de oração, você não conseguirá manter a presença divina em sua vida. Portanto, o primeiro movimento é sempre aguardar no Senhor por meio da oração.

B. Firmar-se na Palavra (João 15:7)

A segunda medida é se manter ancorado na Palavra de Deus. Jesus nos orienta em João 15:7:

“Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido”.

A Bíblia é o nosso guia de fé e de conduta. Tudo que você faz, diz e pensa deve estar em sintonia com o que está escrito. Se você quer que a presença de Deus esteja em sua vida, além de orar, é crucial estar enraizado na Sua Palavra.

Conclusão

Então, qual é a lição que tiramos hoje? Nunca tente agir em nome de Deus baseado apenas em sua própria força. Assim como Saul precisava da influência do Espírito Santo para assumir como rei, você também necessita dessa influência para qualquer coisa que queira realizar em nome do Senhor. A presença de Deus em nossa vida é evidenciada pelos frutos que produzimos. Além disso, é vital que mantenhamos a Palavra de Deus como nossa autoridade máxima, inseparável do Espírito de Deus.

Quem tenta agir por conta própria está fadado ao fracasso. Como o próprio Jesus nos adverte: “Sem mim, nada podeis fazer” (João 15:5). Por isso, antes de qualquer ação, busque a direção do Espírito Santo. Certifiquemos que estamos em busca da influência divina em tudo que fazemos em nome de Deus.

Perguntas para Pequenos Grupos:

  1. O que o Salmo 27:14 nos ensina sobre a importância da oração antes de agir? Você já teve alguma experiência em que a oração fez diferença no resultado de uma ação ou decisão?
  2. Em João 15:7, Jesus fala sobre a importância de suas palavras permanecerem em nós. Como você tem feito para manter a Palavra de Deus ativa e relevante em sua vida diária?
  3. Saul recebeu sinais claros e até mesmo sobrenaturais para confirmar seu chamado. Em sua experiência, quais foram as maneiras pelas quais você sentiu que Deus confirmou seu chamado ou propósito para sua vida?


Gostou deste sermão? Então compartilhe com seus amigos e familiares para que eles também possam aprender mais sobre o assunto. E não se esqueça de se inscrever em nossa newsletter para receber mais conteúdo como este. Até a próxima!


© Todos os direitos reservados à BibliadeEstudos.com.br

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.