Hc 1.1-11 – Sermão: Deus se Importa comigo?

Hc 1.1-11 – Sermão: Deus se Importa comigo?

Habacuque é um livro pequeno em sua Bíblia, com apenas três capítulos e não é tão fácil de encontrar. É o quinto livro antes do final do Antigo Testamento, mas a menos que você conheça bem o Antigo Testamento, provavelmente vai querer usar o índice para encontrá-lo. E como mencionei na semana passada, uma vez que o encontrar, marque-o ou anote o número da página, porque voltaremos a este livro a cada semana nas próximas semanas.

Nossa série de mensagens é chamada “A Jornada da Dúvida para a Fé”, porque é sobre isso que o livro de Habacuque trata. Habacuque era um profeta que lutava com questões sobre o mal no mundo e por que Deus permite o mal. As três grandes perguntas de Habacuque eram: “Deus se importa? Deus é justo? Deus está presente?”

As pessoas ainda fazem as mesmas perguntas hoje. O livro de Habacuque traça a jornada do profeta da dúvida para a fé, enquanto ele leva suas queixas a Deus e encontra respostas satisfatórias para suas perguntas.

O livro começa com a passagem de hoje em 1:1-11, onde Habacuque faz a primeira de suas três perguntas: “Deus se importa?” (Leia Habacuque 1:1-11 e ore.)

———————————————–

“Deus se importa?” Essa é uma questão que atormentou inúmeras pessoas ao longo dos tempos, enquanto lidavam com o problema do mal no mundo. “Se Deus é todo-poderoso, por que ele permite o mal e o sofrimento? Deus se preocupa conosco? Ele percebe todos os problemas que acontecem em nosso planeta? Deus se importa?” Se você já fez perguntas semelhantes a essas, saiba que não está sozinho. Habacuque lutou com essas mesmas questões e dúvidas, e ele era um profeta!

Habacuque 1:1 começa: “A mensagem que o profeta Habacuque recebeu em visão.” Habacuque é um dos três profetas do Antigo Testamento que se identificam especificamente como profetas no início de seus livros. Os outros dois são Ageu e Zacarias. Habacuque se identifica como um profeta e identifica o livro que segue como “a mensagem que ele recebeu”.

Uma “mensagem” é outra palavra para profecia. Habacuque está dizendo desde o primeiro versículo que a mensagem neste livro não é de sua própria invenção. Ao contrário, é profecia. É uma mensagem do Senhor.

Há várias palavras hebraicas que podem ser traduzidas como “mensagem” ou “profecia”, mas esta palavra específica também transmite a ideia de um fardo. É usada especialmente para descrever profecias que carregam um aviso ou uma repreensão para os ouvintes. Também pode implicar que trazer uma profecia de julgamento sobre um povo era um fardo para o próprio profeta. Nunca é fácil ser o portador de más notícias.

Habacuque nos diz que ele “recebeu” esta mensagem. A palavra traduzida como “recebeu” neste versículo também significa “ver ou perceber algo”. Portanto, é possível que Habacuque tenha recebido esta mensagem como parte de uma visão. De qualquer forma, isso nos remete a Deus como a fonte da mensagem. O profeta Habacuque era apenas o canal pelo qual Deus trouxe sua palavra.

O apóstolo Pedro diz a mesma coisa sobre a profecia do Antigo Testamento no Novo Testamento. Ele escreve no livro de 2 Pedro: “Antes de mais nada, saibam que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal, pois nunca a profecia teve origem na vontade humana, mas homens falaram da parte de Deus, impelidos pelo Espírito Santo.” (2 Pedro 1:20-21)

Portanto, Habacuque começa apresentando sua mensagem como uma profecia que vem diretamente de Deus. Esta é a mensagem que o profeta Habacuque recebeu do Senhor.

Hoje estamos olhando para os versículos 1-11 que formam a primeira seção desta mensagem. E esta primeira seção contém duas partes. Nos versículos 2-4, Habacuque apresenta sua queixa diante do Senhor. E nos versículos 5-11, Deus graciosamente responde à queixa de Habacuque. E mais uma vez, se fôssemos resumir a queixa de Habacuque nestes versículos, tudo se resume à única pergunta: “Deus se importa?”

I. Por Que Às Vezes Pensamos que Deus Não se Importa? (1:2-4)

Vamos começar com a queixa de Habacuque. Por que às vezes pensamos que Deus não se importa?

A. Oramos, mas não vemos a resposta de Deus imediatamente (2a)

Uma razão é quando oramos, mas não vemos a resposta de Deus imediatamente. Veja o início do versículo 2. Habacuque clamou a Deus: “Até quando, SENHOR, clamarei por socorro, e tu não ouvirás?” (Habacuque 1:2a) Aparentemente, Habacuque havia orado a Deus por bastante tempo, mas ele não via nenhuma resposta chegando. Ele começou a se perguntar se Deus estava mesmo ouvindo.

Você já se perguntou se Deus está ouvindo quando você ora? Já orou por algo, quero dizer, realmente orou, e então, quando a resposta não veio, questionou se Deus ao menos ouviu? Quando Deus não responde nossas orações imediatamente, às vezes pensamos que Ele não se importa.

B. Estamos em apuros e Deus não nos livra imediatamente (2b)

Outra razão pela qual às vezes pensamos que Deus não se importa é quando estamos em apuros, e Deus não nos livra imediatamente. Veja a segunda metade do versículo 2, onde Habacuque continua sua oração “até quando”: “Até quando, SENHOR, … gritarei a ti: ‘Violência!’ e não salvarás?” (Habacuque 1:2b) A palavra traduzida como “violência” aqui também carrega as ideias de crueldade e injustiça. Não é usada para violência como em um esporte violento, mas sempre de violência em um contexto pecaminoso, onde uma pessoa faz violência injustamente a outra.

Uma das coisas mais difíceis de lidar na vida é quando alguém lhe prejudica intencional e injustamente. Uma injustiça violenta é mais difícil de suportar do que lesões acidentais ou dor, porque há o afronta adicional à sua dignidade. Essa era a situação de Habacuque. E assim, ele clamou: “Até quando, Senhor, até quando?” Você pode ouvir o desespero e a dor em seu clamor.

Você já orou uma oração “até quando”? “Até quando, Senhor, até eu finalmente encontrar um emprego? Até quando até eu melhorar? Até quando até meu casamento melhorar? Até quando até meus entes queridos aceitarem a Cristo? Até quando até este fardo ser tirado de mim?” Passamos por muitos problemas nesta vida. E quando estamos em apuros e Deus não nos livra imediatamente, às vezes pensamos que Ele não se importa.

C. Vemos os ímpios triunfarem sobre os justos (3-4)

E, então, outra razão pela qual às vezes pensamos que Deus não se importa é quando vemos os ímpios triunfarem sobre os justos. Nos dois versículos seguintes, Habacuque muda a pergunta. Ele passa de perguntar a Deus “Até quando?” para perguntar a Deus “Por quê?” Veja os versículos 3-4 comigo agora: “Por que me fazes ver a injustiça? Por que toleras a opressão? Destruição e violência estão diante de mim; há conflito, e a discórdia se levanta. Por isso a lei é paralisada, e a justiça nunca prevalece. Os ímpios cercam os justos, de modo que a justiça é pervertida.” (Habacuque 1:3-4)

Habacuque estava escrevendo em um momento em que o povo de Judá havia quase completamente abandonado sua lealdade a Deus e às leis de Deus. Habacuque estava cercado por violência, destruição, conflito e discórdia. Ele não podia olhar para os líderes da nação em busca de ajuda, pois os líderes eram igualmente corruptos. A lei estava praticamente paralisada nessa situação, e a justiça raramente, se é que alguma vez, prevale

cia. Os ímpios não apenas superavam em número os justos; eles cercavam os poucos justos – encurralando-os, cortando-os, torcendo e distorcendo as coisas até que a justiça não fosse mais reconhecível. E assim, Habacuque clama ao Senhor: “Por quê? Por que me fazes ver a injustiça? Por que toleras a opressão? Senhor, não te importas?”

Você já fez perguntas “por quê” a Deus? Já se perguntou por que Deus permite o mal no mundo? Já se perguntou por que pessoas que não se preocupam com Deus e suas leis parecem prosperar e avançar? Enquanto isso, você está fazendo o seu melhor para servir a Deus, e sente como se estivesse ficando para trás. E começa a se perguntar se vale a pena. Deus realmente se importa? Estas são algumas das mesmas perguntas com as quais Habacuque lutava no início de sua jornada da dúvida para a fé.

II. Como Sabemos que Deus se Importa? (1:5-11)

Então, como sabemos que Deus se importa? E quanto a quando oramos e não vemos a resposta de Deus imediatamente? E quando estamos em apuros e Deus não nos livra imediatamente? E quando os ímpios triunfam sobre os justos? Quero dizer, nessas situações, realmente pode parecer que Deus não se importa.

Mas, claro, as aparências podem enganar. Nos versículos 5-11, Deus responde à queixa de Habacuque. E, ao responder às perguntas de Habacuque, Deus mostra a Habacuque – e nos mostra – que sim, Ele percebe; sim, Ele está preocupado; sim, Deus se importa.

A. Deus nos assegura que ouve cada uma de nossas orações (5)

Então, como Deus faz isso? Primeiro, Deus nos assegura que Ele ouve cada uma de nossas orações. Lembre-se, Habacuque se perguntava se Deus estava ouvindo suas orações por justiça, mas Deus estava ouvindo o tempo todo. Veja o versículo 5, onde Deus diz a Habacuque: “Olhem para as nações e vejam — maravilhem-se e espantem-se. Pois estou realizando em seus dias uma obra que vocês não creriam, se alguém lhes contasse.” (Habacuque 1:5) Deus não estava apenas ouvindo, mas também movendo nações inteiras em resposta às orações de Habacuque. Deus disse a Habacuque: “Você só precisa observar e ver como vou responder. Você ficará totalmente admirado.”

Não é assim com Deus? Enquanto estamos ocupados clamando “Até quando?” e nos perguntando se Ele está mesmo ouvindo, Deus já está no processo de responder às nossas orações. E Deus muitas vezes responde de maneiras surpreendentes. Se alguém nos dissesse antecipadamente como Deus iria responder às nossas orações, provavelmente nem acreditaríamos. Os caminhos de Deus são mais altos que os nossos; seus pensamentos são mais altos que os nossos.

Quando oramos e Deus não responde imediatamente, às vezes podemos pensar que Deus não se importa. Mas Deus nos assegura que Ele ouve cada uma de nossas orações. 1 João 5 nos diz: “Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos de Deus: se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade, ele nos ouve. E se sabemos que ele nos ouve — seja o que for que pedirmos — sabemos que temos o que pedimos dele.” (1 João 5:14-15) Deus ouve e responde quando oramos.

Deus responde a cada oração? Bem, há algumas condições que Deus estabelece em sua Palavra. Primeiro, Deus diz que devemos pedir de acordo com a sua vontade. Acabamos de ler isso em 1 João 5: “Se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade, ele nos ouve.” (1 João 5:14) Deus diz que devemos pedir sem egoísmo. Leemos isso no livro de Tiago: “Quando pedem, não recebem, porque pedem por motivos errados, para gastarem em seus prazeres.” (Tiago 4:3) Deus também diz que devemos nos aproximar dele com um coração puro. Leemos em Salmos 66:18: “Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria.” (Salmos 66:18) Mas quando nos aproximamos de Deus com um coração puro, com os motivos certos e pedindo de acordo com a sua vontade, Deus promete ouvir e responder às nossas orações. Deus nos assegura que Ele ouve cada uma de nossas orações. Deus se importa.

B. Deus nos promete que nos livrará em Seu tempo (6-11)

Outra maneira de sabermos que Deus se importa é porque Ele nos promete que nos livrará em Seu tempo. Essa é a resposta para a pergunta de Habacuque “Até quando?”: “Até quando devo esperar?” Deus tem seus propósitos, e devemos aprender a confiar no Seu tempo. Veja o versículo 6, onde Deus diz a Habacuque como Ele o livrará. Deus diz: “Estou levantando os babilônios, aquele povo cruel e impetuoso, que varre a terra inteira para tomar posse de moradas que não são suas.” (Habacuque 1:6)

Isso era a “coisa surpreendente” que Habacuque não teria acreditado mesmo se lhe contassem. Enquanto Habacuque estava ocupado clamando “Até quando?”, Deus estava orquestrando os eventos da história para que os babilônios chegassem ao domínio mundial e finalmente pusessem fim à violência e injustiça em Judá. Habacuque teve que esperar pelo tempo de Deus em tudo isso, mas Deus o assegurou que, uma vez que os babilônios chegassem, a libertação seria rápida e certa.

Observe todas as palavras relacionadas à velocidade e rapidez espalhadas pelos versículos 6-11. Os babilônios são “impetuosos” – a palavra hebraica significa “ser apressado ou estar com pressa”. Eles “varrem” a terra. Seus cavalos são “mais rápidos que leopardos”. Sua cavalaria “galopa a toda velocidade”. Eles “voam” como uma águia ou abutre. Eles “passam rapidamente” como o vento.

Quando estamos em apuros e Deus não nos livra imediatamente, às vezes podemos pensar que Deus não se importa. Mas Deus promete nos livrar em Seu tempo. Salmos 34:19 diz: “O justo passa por muitas aflições, mas o SENHOR o livra de todas.” (Salmos 34:19) Salmos 91:15 diz: “Ele clamará a mim, e eu lhe darei resposta; estarei com ele na angústia; livrá-lo-ei e o glorificarei.” (Salmos 91:15) E 1 Pedro 5 nos lembra que precisamos olhar para o tempo de Deus para nossa libertação, e não para o nosso. Lemos em 1 Pedro 5:10: “E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, firmará, fortalecerá e fundamentará.” (1 Pedro 5:10) Deus nos promete que nos livrará em Seu tempo. Deus se importa.

C. Deus Afirma que Julgará Todo o Mal no Mundo (6-11)

E, finalmente, uma terceira maneira pela qual sabemos que Deus se importa é porque Ele afirma que julgará todo o mal no mundo. Esta é a resposta para a pergunta “Por quê?” de Habacuque: “Por que, Senhor, toleras o mal?” (Habacuque 1:3) A resposta de Deus para Habacuque é basicamente esta: “Eu não tolero o mal. Na verdade, julgarei todas as injustiças neste mundo”. A nação de Judá estava cheia de violência e injustiça. Judá se afastou de Deus e de sua lei, e agora Deus julgaria Judá por seus pecados. Deus estava levantando os babilônios para esse propósito específico.

Nos versículos 6-11, Deus descreve como será a invasão babilônica. No versículo 6, Deus chama os babilônios de “povo cruel e impetuoso”. A palavra “cruel” significa amargo. Ela fala da amargura do julgamento vindouro. Já vimos que a palavra “impetuoso” significa “ser apressado ou estar com pressa”. Deus diz que eles “varrerão a terra inteira para tomar posse de moradas que não são suas”. A palavra “morada” no hebraico é a mesma palavra para “tabernáculo”. O tabernáculo era o lugar da presença de Deus entre os israelitas no deserto. Não apenas os babilônios tirariam as casas do povo de Judá, mas também destruiriam o templo, o lugar permanente da presença de Deus em Jerusalém que havia substituído o tabernáculo.

No versículo 7, Deus diz: “Eles são um povo temido e aterrorizante; são uma lei para si mesmos e promovem a própria honra.” (Habacuque 1:7) Os babilônios não têm respeito pela lei ou justiça e não se preocupam com ninguém mais. Não se pode razoar ou negociar com eles. Eles só se preocupam com a própria honra. Assim, são um povo temido e aterrorizante.

O versículo 8 descreve os babilônios em termos de predadores rápidos e ferozes: eles são como leopardos conhecidos por sua velocidade; são como lobos da noite famintos e prontos para a caça; são como um abutre que desce para devorar. A palavra para “abutre” aqui também pode significar uma águia, que acredito ser a melhor escolha – a imagem de uma grande águia descendo sobre sua presa.

Os versículos 9-10 retratam os babilônios como uma força imparável: “Todos eles vêm para praticar a violência. Seus exércitos avançam como um vento do deserto e acumulam prisioneiros como areia. Eles zombam dos reis e escarnecem dos governantes. Eles riem de todas as cidades fortificadas; constroem rampas de terra e as capturam.” O versículo 11 diz: “Então eles passam como o vento e seguem adiante – homens culpados, cuja própria força é o seu deus.” (Habacuque 1:9-11)

Note como as descrições dos babilônios correspondem em muitos aspectos ao povo de Judá. O povo de Judá estava cheio de violência. Os babilônios são descritos como cruéis e “todos voltados para a violência”. O povo de Judá distorceu a justiça e minou a lei. Agora, seriam superados por um povo que era uma lei para si mesmo.

Habacuque perguntou a Deus, “Por que toleras o mal?” Deus respondeu a Habacuque, “Eu não tolero, e não tolerarei. O povo de Judá será julgado por seus pecados.” Quando vemos injustiça no mundo, quando vemos os ímpios triunfarem sobre os justos, às vezes pensamos que Deus não se importa. Mas

Deus afirma que julgará todo o mal no mundo. Eclesiastes 3:17 diz que “Deus julgará tanto os justos quanto os ímpios, pois há um tempo para cada atividade, um tempo para cada obra.” (Eclesiastes 3:17)

Você pode se perguntar por que Deus esperou tanto tempo para julgar o povo de Judá. Sabemos de outros livros do Antigo Testamento que Deus não julgou a nação de Judá imediatamente porque estava dando tempo para se arrependerem e se afastarem de seus pecados. O motivo de enviar profetas como Jeremias e Habacuque era adverti-los do julgamento vindouro na esperança de que se afastassem de seus pecados.

Na verdade, se Judá tivesse respondido a esta profecia de Habacuque com arrependimento genuíno e sincero, Deus poderia muito bem ter retirado sua mão de julgamento. Deus, em Sua misericórdia, estava dando tempo para se arrependerem. Mas quando Judá não se arrependeu de seus pecados, o julgamento de Deus finalmente veio. E quando veio, foi rápido, severo e completo.

A mesma situação existe hoje. Deus, em Sua misericórdia, também lhe dá tempo para se afastar de seus pecados e vir a Cristo para salvação. 2 Pedro 3:9 diz isto sobre o retorno de Cristo e o julgamento final: “O Senhor não demora em cumprir a sua promessa, como julgam alguns. Ao contrário, ele é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento.” (2 Pedro 3:9)

Se você se arrepender de seus pecados e vir a Cristo, será salvo. Mas se não o fizer, o tempo de julgamento de Deus também chegará para você, assim como aconteceu com o povo de Judá. É por isso que o apóstolo Paulo escreve em Romanos 2: “Ou desprezas a riqueza da bondade, tolerância e paciência de Deus, não reconhecendo que a bondade de Deus te leva ao arrependimento? Mas, devido à tua teimosia e ao teu coração impenitente, estás acumulando ira contra ti mesmo para o dia da ira de Deus, quando seu justo julgamento será revelado.” (Romanos 2:4-5)

Não se engane, Deus se importa com o pecado e o mal, e Ele afirma que julgará todo o mal no mundo.

CONCLUSÃO:

Habacuque Lutou com Orações Não Respondidas, Problemas e o Mal no Mundo

Habacuque lutou com orações não respondidas, com provações e tribulações na vida, e com o problema do mal. Isso o fez duvidar, e ele começou a questionar: “Deus realmente se importa?” Deus respondeu à pergunta de Habacuque com um retumbante “Sim!” Ele mostrou a Habacuque que Ele ouve nossas orações, que nos livra de nossos problemas em Seu tempo e que julgará todo o mal no mundo.

Talvez você tenha lutado com dúvidas como Habacuque. Talvez você esteja se perguntando: “O que devo fazer com todas as minhas perguntas e dúvidas?”

Acredito que Habacuque apresenta um bom exemplo para nós neste aspecto. Muitas vezes, quando estamos lutando com dúvidas na vida, nos afastamos de Deus. Mas Habacuque fez exatamente o oposto. Ele foi até Deus com todas as suas perguntas e dúvidas. E Deus o respondeu. Pode não ter sido a resposta que ele estava procurando. Na verdade, a resposta de Deus na verdade provocou um novo conjunto de perguntas para Habacuque, as quais olharemos na próxima semana.

Mas o importante é que Habacuque continuou voltando para Deus. E acredito que essa é a chave quando você tem perguntas. Traga suas dúvidas e suas perguntas a Deus. Venha a Jesus com fé, acreditando. Porque Deus ouve. Deus percebe. Deus se importa.


Gostou deste post? Então compartilhe com seus amigos e familiares para que eles também possam aprender mais sobre o assunto. E não se esqueça de se inscrever em nossa newsletter para receber mais conteúdo como este. Até a próxima!


© Todos os direitos reservados à BibliadeEstudos.com.br

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.