Jo 21:15-19 – Cuide das minhas ovelhas

Jo 21:15-19 – Cuide das minhas ovelhas

Neste sermão aprenderemos a enfatizar a importância de expressarmos verbalmente nosso amor e compromisso com Jesus, assim como Pedro fez. Também seremos desafiados a seguir o exemplo de Cristo em suportar pacientemente o sofrimento e a injustiça.

Escrito por Diego Gonçalves e entregue para o mep da Igreja DaeHan em 18/04/2021.

Palavra.

15 Depois de comerem, Jesus perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, você me ama realmente mais do que estes? ” Disse ele: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. Disse Jesus: “Cuide dos meus cordeiros”. 16. Novamente Jesus disse: “Simão, filho de João, você realmente me ama? ” Ele respondeu: “Sim, Senhor tu sabes que te amo”. Disse Jesus: “Pastoreie as minhas ovelhas”. 17. Pela terceira vez, ele lhe disse: “Simão, filho de João, você me ama? ” Pedro ficou magoado por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez “Você me ama? ” e lhe disse: “Senhor, tu sabes todas as coisas e sabes que te amo”. Disse-lhe Jesus: “Cuide das minhas ovelhas. 18. Digo-lhe a verdade: Quando você era mais jovem, vestia-se e ia para onde queria; mas quando for velho, estenderá as mãos e outra pessoa o vestirá e o levará para onde você não deseja ir”. 19. Jesus disse isso para indicar o tipo de morte com a qual Pedro iria glorificar a Deus. E então lhe disse: “Siga-me! ” (João 21: 15-19)

Introdução:

Enquanto meditamos no texto desta manhã, por favor, coloque-se no lugar de Pedro e deixe Jesus perguntar a você: “Você me ama?” Esta é uma pergunta crucial e foi feita três vezes seguidas. Uma razão pela qual Jesus fez essas perguntas a Pedro é porque ele queria ajudá-lo. Pedro estava carregando uma culpa terrível naqueles dias, porque havia falhado miseravelmente com o Senhor. Negou o Senhor três vezes e não havia nada que pudesse fazer para contornar isso.

No entanto, Jesus, sabendo do peso enorme de culpa que Pedro estava carregando, não o criticou, não o envergonhou e não o rejeitou. Em vez disso, fez a Pedro três perguntas simples, porém muito profundas: “Você me ama, Pedro?”

Na língua grega original, há mais de uma tradução para a palavra “amor”. Em nosso texto, nas duas primeiras vezes que Jesus faz a pergunta, ele diz: “Pedro, você me ama com o amor ‘ágape’?” Se você se lembra, Ágape significa o amor incondicional, ou seja, o mesmo tipo de amor que Deus tem por nós.

Então, Pedro, sentindo-se um pouco desconfortável com a pergunta de Jesus, responde: “Sim, Senhor. Eu te amo com o amor Philéo”. Philéo significa amor fraternal, o amor filantrópico e caridoso.

Para ilustrar melhor, vamos tentar parafrasear as perguntas do Senhor e as respostas de Pedro nos versículos 15-17:

Paráfrase de João 21:15-17

“Simão, filho de João, você me ama “incondicionalmente” mais do que ama esses homens?” — Pedro responde: “Sim, Senhor, Você sabe que Eu Te amo como um “amigo e irmão.” 16. Jesus perguntou-lhe novamente uma segunda vez: “Simão, filho de João, você Me ama com meu de amor “do tipo incondicional”? — Pedro responde pela segunda vez “Sim, Senhor, Você sabe que eu Te amo como um “amigo e irmão”. 17. Jesus lhe disse pela terceira vez, agora diz: “Simão, filho de João, você Me ama como “um amigo e irmão?” Então Pedro fica triste, porque agora, Jesus pergunta: “Você Me ama (como um amigo e irmão)?” E Pedro responde: “Senhor, Tu sabes todas as coisas; Tu sabes que Eu Te amo como um amigo e irmão”.

Pedro aprendeu a lição e deu a melhor resposta que podia dar: ele disse: “Meu amor não é incondicional, mas ‘eu te amo, Senhor, você sabe que eu te amo’”.

Quem de nós nunca se viu como Pedro? Quem de nós nunca se viu perturbado pela sua própria consciência? Quem de nós achou que amava a Deus, mas descobriu no meio do caminho que o nosso amor não passa de um amor imperfeito, passível de erros, falhas e falsas promessas?

Se Pedro, sendo quem era e andando com quem andou, foi atormentado pela culpa e pela crise de consciência, imagine nós?

Entretanto, a boa nova é que Jesus nos ajuda a enfrentar nossas crises de consciência. Ele nos tira da perturbação e nos ajuda a vencer todos os fantasmas do nosso passado de frustração.

Por isso é que ele fez essas perguntas. Ele queria ajudar Pedro. Mas Jesus também queria ouvir Pedro.

E o meio pelo qual Jesus usou para ajudar Pedro fez com que ele abrisse a boca e exprimisse seu amor imperfeito pelo Senhor. Quem sabe também Jesus use dos mesmos meios com você.

Parece loucura, afinal, a Bíblia diz que antes das palavras chegarem a nossa boca, Deus já sabe tudo o que vamos dizer. E se Deus já sabe tudo o que vamos dizer, por que Ele fez basicamente a mesma pergunta, por três vezes, a Pedro?

Não tenho dúvidas de que há uma conexão com as três negações de Pedro. Mas além disso, tenho certeza de que Jesus queria ouvir Pedro expressar seu amor. Porque aquilo que é sentido profundamente no coração do homem precisa ser testificado livremente com os lábios.

E Pedro testifica três vezes: Tu sabes tudo! Eu te amo, Senhor. Assim, nós também deveríamos testificar neste dia.

Contudo, o amor não pode ser movido apenas por palavras. Conforme os versículos 15-17, Jesus também disse a Pedro: “Se você me ama, Simão? — Então cuida dos meus cordeiros. Apascenta as minhas ovelhas. Cuida minhas ovelhas.”

Perceba que o amor não se resume a palavras. O amor é atitude, é ação, é toque, é cuidado. O amor é troca, é convívio, é unidade e é pastoral. Assim como Jesus deu funções a Pedro, Jesus também nos atribui funções. Ele diz: cuida dos meus cordeiros. Apascenta as minhas ovelhas. Cuida minhas ovelhas.

Qual rebanho Jesus te confiou? Você tem cuidado dele? Você tem alimentado? Você tem servido? Saiba que Jesus te chama para servi-Lo servindo aos outros.

O Novo Testamento nos expõe essa verdade diversas vezes. Em 1 Coríntios 9:19, Paulo disse: “Porque, embora seja livre de todos, fiz-me servo de todos, para ganhar o maior número possível de pessoas”.

Em 2 Coríntios 4:5, Paulo disse: “Pois não nos pregamos a nós mesmos, mas a Jesus Cristo, o Senhor, e a nós como servos de vocês, por amor de Jesus”.

Então, em Gálatas 5:13, Paulo diz aos cristãos: ”Gálatas 5:13. Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne; pelo contrário, sirvam uns aos outros mediante o amor”.

Salmo 100:2 nos diz para “servir ao Senhor com alegria!”

Em Lucas 22:24-27, poucas horas antes de Jesus morrer na cruz por nós, lemos que os discípulos estavam discutindo qual deles seria o maior no Reino de Deus. Naquela noite, Jesus lhes disse:

Os reis das nações dominam sobre elas; e os que exercem autoridade sobre elas são chamados benfeitores. 26. Mas, vocês não serão assim. Pelo contrário, o maior entre vocês deverá ser como o mais jovem, e aquele que governa como o que serve. 27. Pois quem é maior: o que está à mesa, ou o que serve? Não é o que está à mesa? Mas eu estou entre vocês como quem serve. (Lucas 22:24-27)

Pense nisso: se até os Doze Apóstolos precisaram de ajustes de caráter, certamente nós também precisaremos. Deus nos ordena a servir como Ele serviu: com amor, bondade e humildade.

Por fim, continue confiando no Senhor, mesmo quando as coisas não estão indo como você gostaria. As coisas tomaram um rumo inesperado quando Jesus falou com Pedro nos versículos 18-19. Lá, Jesus disse a Pedro:

“Digo-lhe a verdade: Quando você era mais jovem, vestia-se e ia para onde queria; mas quando for velho, estenderá as mãos e outra pessoa o vestirá e o levará para onde você não deseja ir”. 19. Jesus disse isso para indicar o tipo de morte com a qual Pedro iria glorificar a Deus. E então lhe disse: “Siga-me! ” (João 21: 18-19)

Observe que Jesus não disse: “Pedro, eu sei que você me ama, e você vai fazer grandes coisas por mim.” Jesus também não disse: “Pedro, você vai glorificar a Deus pregando no Dia de Pentecostes. E três mil pessoas serão salvas!” E Jesus não disse: “Pedro, você vai glorificar a Deus fazendo milagres em meu nome, e levando os primeiros gentios à fé.”

Obviamente, Jesus sabia que todas essas grandes coisas aconteceriam. E certamente elas trariam glória a Deus. Entretanto, Jesus se concentrou no sofrimento de Pedro. Jesus disse: “Pedro, você vai glorificar a Deus fazendo algo que não quer fazer: Sofra em uma cruz por Mim”.

Vivendo aqui em SP, muitos de nós estamos acostumados a conseguir o que queremos. Mas Deus nem sempre nos dará o que queremos, e há algumas razões importantes para isso. Uma razão pela qual é porque nem sempre queremos a coisa certa. Além disso, não somos o centro do universo. Coisas maiores estão acontecendo do que o que queremos. Além disso, como alguém uma vez disse, “Deus está mais preocupado com nosso caráter do que com nosso conforto. Seu objetivo não é nos mimar fisicamente, mas nos aperfeiçoar espiritualmente.”

O melhor que podemos fazer é ouvir Jesus dizer: “Siga-me” e depois confiar Nele o suficiente para entregar nossos desejos a Deus. Foi o que Pedro fez. Ele confiou em Jesus o suficiente para entregar seus desejos ao Senhor.

Em 2 Pedro 1:14, o Apóstolo disse que sabia “que em breve deveria largar a sua tenda, tal como o Senhor Jesus Cristo lhe mostrou”. Nessa mesma passagem, Pedro nos exorta a crescer em bondade, piedade e amor. E em sua primeira carta, Pedro nos desafia a sofrer tratamento errado pacientemente. Como ele disse em 1 Pedro 2:21-24:

Para isso fostes chamados, porque também Cristo padeceu por nós, deixando-nos um exemplo, para que seguisseis os Seus passos: 22. que não cometeu pecado, nem foi encontrado em Sua boca; 23. O qual, quando foi insultado, não insultou em troca; quando sofreu, não ameaçou. — Mas se comprometeu com Aquele que julga com justiça; 24. O qual levou os nossos pecados em Seu próprio corpo sobre o madeiro, para que nós, tendo morrido para os pecados, vivamos para a justiça por cujas pisaduras fostes curados. 1 (Pedro 2:21-24)

Todos nós precisamos confiar em Jesus Cristo o suficiente para entregar nossos desejos a Deus, sobretudo porque foi isso que o Senhor fez por nós.

Enquanto Pedro caminhava com Jesus naquele dia, ele deve ter olhado para as mãos do Senhor. Você não teria feito o mesmo? Pedro deve ter visto as cicatrizes da cruz. E vendo essas cicatrizes, ele deve ter pensado: “Nada que eu pudesse fazer poderia retribuir tudo o que Ele fez por mim. Eu preciso amá-Lo. Eu vou amá-Lo. Eu O amo.”

CONCLUSÃO:

A pergunta que Jesus fez a Pedro há muito tempo atrás, Ele nos faz hoje: “Você me ama?” Se você O ama, então confesse seu amor pelo Senhor, comprometa-se a trabalhar para Ele e continue confiando n’Ele, mesmo que Ele o guie pelos lugares mais difíceis da vida.

Creio que este é um bom momento para demonstrar nosso amor pelo Senhor. Você pode fazer isso agora enquanto nos curvamos para oração. Se você nunca recebeu Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador, coloque sua confiança n’Ele e peça a Ele para salvá-lo agora.

Oração

Senhor, nós te agradecemos por nos amar incondicionalmente, mesmo quando falhamos e somos imperfeitos. Obrigado por nos mostrar através do exemplo de Pedro que podemos encontrar perdão e cura em Você, mesmo quando carregamos o peso da culpa.

Ajude-nos a amá-Lo com todo o nosso coração, mente e alma. Ajude-nos a cuidar das ovelhas que você nos confiou e a servi-lo com amor, bondade e humildade. Dê-nos a força e a coragem para seguir o caminho que você tem para nós, mesmo quando é difícil e desafiador.

Ajude-nos a crescer em bondade, piedade e amor, e a sofrer tratamento errado pacientemente. Ajude-nos a confiar em Ti, de modo que possamos entregar nossos desejos ao Senhor e a confiar em Ti para guiar os nossos passos.

Nós te amamos, Senhor. Ajude-nos a expressar esse amor através de nossas palavras e ações diárias.

Em nome de Jesus Cristo oramos, amém.

Texto por Diego Gonçalves.


Se este texto lhe foi útil, compartilhe com seus amigos e familiares. E lembre-se sempre: fale com amor, valorize seus amigos e seja grato por todas as pessoas que estão sempre prontas para dobrar seu paraquedas.

Para mais textos como este, visite o meu site.

© O Diário de um Jondô

Avatar de Diego Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diego Souza

Sou ministro na Igreja Holiness e amo escrever. Graduando em Letras pela UNIVESP, com Bacharel em Teologia pela UMESP e com pós em Novo Testamento pela EST, neste blog compartilho meus pensamentos sobre a vida cristã e o cotidiano, buscando conectar a fé com o dia a dia.